quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Você já ouviu falar sobre visitas estendidas em UTIs?


Maior complexo hospitalar privado de Uberlândia realiza essa prática desde setembro de 2019.

Ter uma pessoa querida internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pode trazer prejuízos e gerar impactos na saúde, inclusive, de quem não está doente. Lidar diretamente com a doença e os riscos associados a ela, acaba criando situações de ansiedade e estresse, principalmente quando os horários de visita são reduzidos a duas horas diárias.   
Na contramão dessa realidade e com o intuito de minimizar os impactos negativos que uma internação em UTIs pode causar, vários hospitais no país passaram a ter o horário de visitas aumentado para até 12 horas diárias. O estudo replicado pelo jornal  O Tempo, foi publicado pelo Jornal da Associação Americana de Medicina (Jama) no ano passado.   
Desde setembro de 2019, a visita estendida passou a ser uma das normas das Unidades de Terapia Intensiva do Santa Genoveva Complexo Hospitalar. Com isso, além do horário normal de visitas, os familiares e acompanhantes poderão estar junto ao paciente por mais tempo.      
Segundo a Psicóloga Hospitalar e Pisicanalista Winnicottiana do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Adriana Barbosa de Freitas Capparelli, a internação hospitalar, em especial em uma UTI, deve levar em consideração o bem-estar do paciente em todos os sentidos. "A maneira como a pessoa se adapta à internação depende de vários fatores, incluindo a natureza do problema de saúde, a maturidade emocional, a idade cronológica, a presença de apoio emocional, do estilo cognitivo, da capacidade de compreensão, do nível de informação e das estratégias de enfrentamento que possui", salienta.   
"Esse tipo de internação intensifica os fatores estressantes presentes em uma hospitalização, tanto pela gravidade do estado de saúde do paciente, que necessita de um cuidado intensivo, como pelo isolamento. Situações assim, em muitos casos, podem ocasionar sentimentos de despersonalização da pessoa internada, sensação de perda de controle sobre si mesmo, de tristeza e solidão, medo da morte e estados de confusão mental transitória, especialmente em idosos", completa.   
De acordo com a psicóloga, a visita estendida oferece vários pontos positivos e faz parte da estratégia de humanização, que está presente no programa de assistência e cuidados com a saúde do Santa Genoveva Complexo Hospitalar. "Os fatores estressores podem ser minimizados se o paciente puder contar com o apoio da família e pessoas queridas. Neste sentido, a presença do familiar ou acompanhante auxilia na recuperação e facilita o vínculo com a equipe", explica. 
"É importante ressaltar que, além da importante assessoria da equipe do Serviço Social, as pessoas podem contar com o Serviço de Psicologia, que promove reuniões semanais nas UTIs com os familiares e acompanhantes para orientações e apoio, associados ao acompanhamento dos pacientes", finaliza Adriana Capparelli.   

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Você já ouviu falar sobre visitas estendidas em UTIs?
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial