sábado, 25 de janeiro de 2020

Pesquisa inédita mostra os efeitos do endividamento no trabalho dos brasileiros

Estudo encomendado pela Creditas ao Ibope Inteligência revela ainda que 39% dos entrevistados perdem o sono quando se endividam. 

Cerca de 44% dos brasileiros gostariam de trabalhar em uma empresa que os ajudem na gestão financeira, segundo pesquisa encomendada pela Creditas, principal plataforma online de crédito com garantia do Brasil, ao Ibope Inteligência - o número sobe para 54% quando se fala apenas em endividados. O levantamento, segundo Murilo Doro, líder de pesquisas da Creditas, foi encomendado para entender as principais dores dos brasileiros em relação às suas dívidas e também o impacto que o benefício do consignado privado, produto oferecido pela fintech, pode ter na vida dos colaboradores de suas empresas parceiras e também no auxílio de sua retenção de talento. “O consignado privado, junto com outros benefícios, pode prover uma melhor saúde financeira e, consequentemente, uma melhor produtividade no trabalho”, diz Doro.
O estudo aponta ainda que os trabalhadores que possuem crédito consignado declaram estar menos desmotivados com o trabalho que quem não possui (17% vs 23%). Além disso, 19% das pessoas com dívida consideram ser muito provável pegar um empréstimo consignado privado nos próximos seis meses, sendo que 31% delas desejam o benefício para refinanciar dívidas mais caras existentes.
Oferecer o consignado privado também é um benefício para a empresa e para a área de Recursos Humanos. O estudo revela ainda que ter muitas dívidas pode aumentar a rotatividade de funcionários, já que 37% buscam um novo emprego para pagar as contas, enquanto 32% fazem trabalho extra para complementar a renda. Outros 19% dizem que produzem menos no trabalho quando as contas não estão em dia. Para 39%, ter dívidas significa perder o sono, enquanto 27% afirmam ter impacto na autoestima e 44% assumem ter vergonha de se endividar.  
“Muitas pessoas ainda relacionam empréstimo como algo negativo. A verdade é que o empréstimo ruim, que vem com juros muito caros e altas parcelas mensais, podem, sim, prejudicar a vida financeira das pessoas”, diz Ramires B. Paiva, VP do consignado privado da Creditas. “Por isso, a empresa oferecer um crédito mais barato, com parcelas mais baixas, ao colaborador é uma forma de ajudá-lo a quitar esta dívida cara e incentivá-lo na realização de um sonho, como fazer um MBA e se casar. Muitas pessoas estão enroladas no empréstimo pessoal, por exemplo, com juros que chega a mais de 100% ao ano, sendo que no consignado privado da Creditas, ele paga a partir de 16,6% ao ano. É uma diferença enorme na renda da pessoa.”
Foi exatamente o que aconteceu com o Matheus, que era jovem aprendiz de uma empresa parceira da Creditas, e precisou pegar um empréstimo pessoal para reformar a casa nova. A parcela pesava no orçamento e, quando ele ficou sabendo do consignado privado, ele trocou a dívida antiga e passou a economizar R$ 100 em cada parcela, além de ter diminuído um ano de empréstimo. 
Outro dado que chama a atenção é que mais da metade dos brasileiros que possuem crédito (51%) não sabe qual é a taxa de juros cobrada em seus empréstimos. Este número sobe para 70% com o cheque especial. O estudo mostra também que 42% dos entrevistados usam uma opção cara de crédito. A pesquisa conclui que os endividados buscam 1,9 vezes mais um novo emprego para pagar as dívidas e estão 1,4 vezes mais desmotivados com o trabalho, além disso, quem possui dívidas faz mais hora extra para complementar a renda do que quem não possui dívidas (1,7 vezes). A pesquisa ouviu mil pessoas entre homens e mulheres, acima de 18 anos, da classe ABC nas cinco regiões do Brasil. 

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Pesquisa inédita mostra os efeitos do endividamento no trabalho dos brasileiros
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial