quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

“Sobre Ratos, Maridos e Pulgas” é o primeiro espetáculo de dezembro do CITU


Peça do grupo Coletivo Flores de Teatro marcará o penúltimo fim de semana da primeira temporada do Circuito Independente de Teatro de Uberlândia. 

O grupo Coletivo Flores de Teatro retorna aos palcos do Circuito Independente de Teatro de Uberlândia – CITU neste fim de semana. A peça “Sobre Ratos, Maridos e Pulgas” será apresentada nos dias 07 e 08 de dezembro, na Escola Livre do Grupontapé.
O espetáculo contempla um espaço manicomial, no qual uma interna desvela um conjunto de lembranças carregadas por amargas experiências inspiradas em cartas escritas por três diferentes mulheres. Desse modo, as paredes de um quarto frio servem de confessionário para os dramas da personagem. A perda de uma filha, a ausência de uma mãe e os horrores da sua internação no manicômio se tornam os sussurros do que antes eram apenas desabafos escritos no papel.
“Sobre Ratos, Maridos e Pulgas” foi criado a partir de um texto escrito em 2016, durante uma oficina de dramaturgia realizada com o grupo Malayerba na cidade de Quito – Equador. O autor parte de cartas escritas por três diferentes mulheres. A primeira é Pierina Cechini, filha de imigrantes italianos, que em 26 de abril de 1909 matou sua filha de dezessete meses de idade por meio de afogamento, ato que desencadeou sua internação no Hospício de São Pedro, de Porto Alegre. Pierina queria ser ouvida e, para isso, escrevia cartas. Já a escultora Camille Claudel permaneceu internada por 30 anos, até sua morte, no Hospício de Montfavet - França, de onde escrevia cartas para sua mãe. Essa, porém nunca a visitou. O terceiro grupo de cartas foi escrito a partir de uma prisão, onde Rosa Luxemburgo descrevia os horrores da guerra, antes de ser torturada e assassinada.
  
Processo de montagem
Segundo a diretora da peça, Vilma Campos, na proposta de cena foi buscado tratar do tema dentro de um espaço intimista em que o público está localizado em três partes de um quadrado. “Como compondo três paredes de um quarto, de uma cela, onde a atriz revelará seu universo. No prólogo, utilizamos uma projeção com imagens que remetem ao universo manicomial. Em áudio e imagens aspectos sensitivos. Nossa intenção é circular o trabalho entre um público variado e popular, buscando especialmente a discussão com grupos de mães e mulheres acerca de questões que envolvem as condições das mulheres na sociedade e seus enfrentamentos”, afirma.
Os trabalhos de pesquisa tiveram início em 2018 com experimentações da primeira e terceira parte do texto. No primeiro semestre de 2019, a imersão se deu sobre a segunda parte do texto e nesse momento além da diretora, dramaturgo e atriz em cena, o grupo abriu os ensaios a artistas convidados que, gradativamente vão colaborando nos signos visuais da cena, como é o caso do convite à iluminadora que passou a compor a ambientação juntamente com o sonoplasta audiovisual encarregado de apresentar uma paisagem sonora e nos aspectos ligados à projeção de imagens. No segundo semestre de 2019, o processo de criação do espetáculo se debruçou no refinamento dos signos visuais e trabalhou intensivamente na produção para a estreia no CITU.

O Grupo
 A montagem de “Flores Arrancadas à Névoa” de Arístides Vargas dá origem ao Coletivo Flores do Teatro, uma vez que a temática dessa peça escrita pelo dramaturgo argentino exilado no Equador está em consonância com a investigação de seus membros de debruçar-se sobre o contexto da cultura Latino Americana, especialmente sob um viés de aspectos que envolvem o feminino e o exílio.
O segundo trabalho da Cia. “Sobre Ratos, Maridos e Pulgas” é uma continuidade da investigação iniciada anteriormente. O autor, Luiz Carlos Leite, tradutor do primeiro texto do coletivo é também o criador do segundo.

Chamado da comissão organizadora
“Nós estamos na reta final do CITU e esperamos que o público possa desfrutar desse momento tão importante conosco. O nosso papel de manter uma agenda teatral permanente à população continua. Portanto, vem aí mais um fim de semana com teatro de qualidade. Estamos de braços abertos para receber os amantes das artes cênicas”, destaca uma das integrantes do CITU, Maria De Maria, que também estará em cartaz como atriz no último fim de semana no espetáculo Mulher de Juan.


FICHA TÉCNICA
Direção: Vilma Campos | Atuação Roberta Liz | Dramaturgia Luiz Carlos Leite | Sonoplastia e projeção Luciano Pacchioni | Figurinos  Letz Pinheiro | Iluminação  Camila Tiago | Operação de luz Gabriel Grace de Alcântara | Cenografia  Edu Silva | Customização Tapete Cenográfico  Alice Pedersoli, Luísa de Angelis, Maeu Rocha, Lara Puccinelli | Coreografia  Ana Carolina Tannús |Equipe de Produção Luciano Pacchioni, Maria De Maria, Roberta Liz , Verônica Bizinoto e Vilma Campos | Fotos Luciano Pacchioni | Registro audiovisual Alessandro Carvalho e Italo Pitemalgo.
Agradecimentos Curso de Teatro UFU, IARTE, Geac e Laboratórios Curso de Teatro UFU, Programas Residência Pedagógica e Pibid-CAPES.
                                                                                                                             
Serviço
Espetáculo: Sobre Ratos, Maridos e Pulgas
Grupo ou Artista: Coletivo Flores de Teatro
Datas: 07 e 08 de dezembro de 2019
Horário: Sábado às 20h e domingo às 19h
Local: Teatro da Escola Livre do Grupontapé
Gênero: Monólogo
Classificação etária: 14 anos
Contato: Vilma Campos | (34)99184-3394 | floresdeteatro@gmail.com
Entrada: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia) 

Compartilhar

Postagens Relacionadas

“Sobre Ratos, Maridos e Pulgas” é o primeiro espetáculo de dezembro do CITU
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial