Dezembro Laranja: se exponha, mas não se queime


Com a chegada do verão, os cuidados com a pele para a exposição ao sol devem ser redobrados. Dezembro Laranja é o mês conhecido pela Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. O Instituto Nacional de Câncer registra, a cada ano, 180 mil novos casos da doença, sendo o tipo de câncer mais recorrente no Brasil.
A dermatologista Dr.ª Camila Laranjo aponta alguns cuidados que ajudam a prevenir o câncer de pele. “A proteção solar pode ser feita através de: evitar o sol nos horários entre as 10 e 16 horas, evitar a exposição ao sol em excesso, evitar câmaras de bronzeamento artificial, usar protetor solar com Fator de Proteção Solar (FPS) no mínimo 30, cerca de meia hora antes de se expor ao sol e reaplicá-lo a cada 2-3h – até mesmo aqueles que são ‘à prova d’água’. Além do protetor solar, utilize bonés, chapéus, roupas compridas, óculos escuros e procure sempre lugares com sombra”, indica a dermatologista.
Quando descoberto no início, o câncer de pele possui altas chances de cura. “O principal tratamento para o câncer de pele é a cirurgia. Em alguns casos, principalmente nos casos avançados, a radioterapia e a quimioterapia também podem ser utilizadas”, explica a Dra. Camila. Ela esclarece, também, sobre os principais mitos e verdades acerca das causas do câncer de pele. Confira:

Queimadura pode se tornar um tumor de pele.
Verdade. É raro, mas pode acontecer, principalmente em grandes cicatrizes de queimaduras. É preciso observar mudanças na pele da cicatriz e buscar um especialista, caso alguma diferença seja notada.

Quem tem pele, cabelo e olhos claros corre maior risco de ter câncer de pele.
Verdade. As pessoas morenas produzem mais melanina, que protegem a pele. Já as pessoas claras são mais sensíveis, então têm de se proteger e sempre usar protetor solar nas áreas expostas ao sol.

Negros não precisam usar protetor solar.
Mito. Independentemente da cor da pele, todas as pessoas têm de usar protetor solar para se proteger, apesar de o câncer de pele negra ser menos comum. Porém, pessoas de pele negra podem adquirir o carcinoma espinocelular, carcinoma basocelular e o melanoma.

Câmeras de bronzeamento são 100% seguras.
Mito. No Brasil, este tipo de bronzeamento é proibido, assim como em outros países, justamente pelo alto risco que oferecem. Banhos de luz são recomendados apenas para doenças como psoríase e vitiligo, entre outras, pois as lâmpadas usadas nestes tratamentos usam ondas apropriadas para o tratamento.

Depilação a laser pode ser um fator para o surgimento do câncer de pele.
Mito. A fonte de luz é diferente das lâmpadas de bronzeamento e não causam câncer de pele. A interação pele e laser é conhecida há muitos anos e até o presente momento não se detectou evidência entre tratamentos a laser e câncer da pele.

Comentários