quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Empreendedorismo e esporte: como profissionais do segmento esportivo podem se beneficiar dessa relação?



Outras práticas como inteligência emocional e marca pessoal influenciam na carreira de atletas e ex-atletas. Temas serão tratados no workshop gratuito Jogando pra Valer

Idade, fadiga psicológica, contusões e resultados em declínio são alguns dos principais motivos que levam ao encerramento de uma carreira esportiva. Isso os atletas até sabem e, algumas vezes, temem. Mas o planejamento para enfrentar os desafios dessa transição, a escolha de uma nova profissão ou como administrar sua carreira no presente já pensando no futuro são temas que a maioria acaba deixando de lado.
Embora exista uma similaridade entre os perfis de empreendedor e atleta, é preciso conhecer, estudar, aprender e se organizar para aproveitar melhor as oportunidades que tal semelhança proporciona. O workshop “Jogando pra Valer” busca esse entendimento, por meio de troca de experiências, autoconhecimento e mudança de comportamentos, em dois dias de atividades.
Neste ano, o workshop acontece em Uberlândia (29 e 30/11), Belo Horizonte (6 e 7/12) e Araxá (13 e 14/12). O projeto foi viabilizado via Lei de Incentivo ao Esporte, tendo como proponente o Centro de Formação Profissional Júlio Dário, com patrocínio do BMP Money Plus, da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), do Grupo Décio e da Start Química.
Luís Cambraia, ex-atleta profissional de basquete, é um dos palestrantes contratados. Ele, que é empresário do segmento têxtil esportivo e credenciado como selecionador e facilitador/instrutor líder do seminário Empretec no Brasil – metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU), vai mostrar como aprimorar as habilidades emocionais por meio da inteligência emocional, para potencializar comportamentos construtivos e amenizar os prejudiciais e, assim, melhorar a produtividade e a performance individual e coletiva.
Já o empresário Leandro Haddad, que é especialista em liderança, inovação e empreendedorismo e também é facilitador/líder do Empretec, vai abordar, entre outros tópicos, como criar e investir em um negócio após o encerramento da carreira como atleta. E Francine Franco, especialista em cultura organizacional, etiqueta empresarial e personal branding, falará sobre a importância da construção da imagem pessoal durante a carreira como atleta, para colher benefícios durante e depois da transição.

Por que empreender?
O empreendedorismo pode ser um dos caminhos mais promissores para os atletas e outros profissionais do esporte após o encerramento da carreira esportiva. Cambraia explica que o workshop apresenta técnicas comprovadas por pesquisas que empreendedores utilizam e obtêm melhores resultados.
“São práticas de comportamento, tais como: estabelecer metas e objetivos de longo prazo mensurado, criação de uma boa rede de contatos, mostrar que o atleta pode usar a sua imagem para influenciar, como ter mais capacidade de calcular riscos, e muito mais. Se ele se preparar, poderá utilizar tudo o que conquistou na sua carreira nessa transição, para gerar crescimento e novos negócios”, explica o ex-jogador.
Mais informações sobre o projeto e inscrições para o workshop estão disponíveis no site www.jogandopravaler.com.br

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Empreendedorismo e esporte: como profissionais do segmento esportivo podem se beneficiar dessa relação?
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial