quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Donos de veículos se unem para economizar na proteção de seus bens


Quem tem carro, sabe o esforço para adquirir esse bem e a preocupação ao deixar o veículo sem proteção. Porém, sabe também a dificuldade de fazer um seguro automotivo. Além do valor da apólice, existem situações e veículos que não conseguem ser segurados devido ao ano do carro. A proteção veicular surge como alternativa ao seguro especialmente pela praticidade e pelo menor custo.
Uma opção, que se apresenta ao consumidor como alternativa, precisa ser convincente para ganhar espaço num mercado concorrido. Quando um grupo de donos de veículos se une, se organiza como associação formal e legalizada e assume o compromisso de dividir diretamente os custos de sinistros, o resultado é economia. Por meio de uma contribuição mensal, paga pela contratação do serviço, fica garantido o pagamento dos custos de eventuais sinistros. E isso sem despesas com renovações anuais.
Assim os bens dos associados, independentemente do perfil do usuário, ganham cobertura igual, no mínimo, ou mais vantajosa que no caso do seguro automotivo “O tratamento é o mesmo, sem discriminação, uma questão de utilidade pública”, explica o supervisor comercial da Magna Proteção Automotiva, Marcelo França. E a proteção vem sem que se pague a mais por isso, sem o desgaste com exigências burocráticas nem a sujeição a limitações que possam comprometer o recebimento de indenização.
“O valor do rateio é fixo, não varia para o associado, mesmo com a ocorrência de sinistros, e a associação assume o compromisso de atender o usuário do veículo, com a recuperação, o conserto, o que for necessário, conforme aquilo que for combinado na contratação”, explica França, que há três anos trabalha com a proteção veicular. “A oferta desse tipo de serviço é possível graças às pessoas que se juntam para praticar o mutualismo e, em conjunto, se for caso, bancar as despesas”, argumenta.
A experiência em um mercado tão concorrido permite a França a indicação e critérios para o cidadão interessado em proteger seu escolher a associação em que fará a contratação da proteção veicular. “É importante levar em conta o tempo de presença da instituição no mercado; a sua infraestrutura, com escritórios próprios e oficinas próprias ou credenciadas; e, por fim, a oferta de canais de variados de atendimento, por exemplo, serviço de atendimento ao consumidor e site”, descreve o supervisor.

MAGNA
            A Magna foi fundada há oito anos, tem sede em Uberlândia e conta com mais de 100 colaboradores diretos, trabalhando em 12 escritórios. Hoje, há representações da associação em Rio Verde e Itumbiara, no Estado de Goiás; em São José do Rio Preto, em São Paulo; e em municípios do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Donos de veículos se unem para economizar na proteção de seus bens
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial