sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Professores e estudantes debatem políticas públicas para a Bacia do Rio Uberabinha em oficinas de Meio Ambiente e Audiovisual


Neste sábado, dia 14, na quarta, de um total de cinco oficinas, oferecidas pela Angá - Associação para a Gestão Socioambiental do Triângulo Mineiro – a professores e estudantes de Uberaba, o tema principal será o debate de propostas para a melhoria ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha. Por meio do projeto “Uberabinha, meu Amigo”, a Angá compartilha com a comunidade escolar, o resultado de suas pesquisas mais recentes na bacia que, além de abastecer de água toda a população de Uberlândia, é demandada na produção de grãos e exploração de argila refratária.
A oficina, que será realizada das 13h às 17h30, na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), terá entre os palestrantes o presidente da Angá, Gustavo Malacco. O biólogo apresentará a professores do ensino fundamental e técnicos da UFTM, o que os estudos da associação têm apontado como caminhos para a recuperação ambiental do Rio Uberabinha. “Essas propostas serão encaminhadas para as autoridades públicas competentes, mas, para nós, é importante que a sociedade civil conheça os problemas da Bacia e se envolva na busca de soluções para eles”, esclarece Malacco.
Para a gestora de comunicação da entidade, a jornalista e geógrafa Betânia Côrtes, os 10 anos de experiência da Angá em organizações multissetoriais e em fóruns que tratam de questões ambientais, fizeram com que a associação desenvolvesse iniciativas que levassem informação a diferentes públicos da comunidade escolar. Segundo ela, “se a população não conhece as suas riquezas ambientais, não estabelece vínculos afetivos com esses bens e não irá se mobilizar para protegê-los”.
Além de apresentar suas propostas, a entidade quer ouvir os professores sobre suas experiências com projetos socioambientais e debater novas ações pedagógicas que ampliem para o conjunto do público das escolas diretamente envolvidas os temas discutidos nas oficinas. “Queremos apoiar as escolas”, diz Malacco, “e os meios para isso são os mais diversos. Podemos levar o pesquisador à sala de aula, oferecer informações sobre técnicas que usamos em campo, que podem ser empregadas no ensino, a exemplo dos aplicativos geoespaciais. A possibilidade de troca é imensa”, avalia.
Nas oficinas para os estudantes, o biólogo Eurípedes Luciano tem utilizado, na sala de informática, as ferramentas de georreferenciamento para apresentar conceitos de bacia hidrográfica, propiciando a visualização da área territorial da Bacia e, assim, uma maior proximidade dos alunos com a sua diversificada paisagem. As novas tecnologias também estão presentes nas aulas de audiovisual, ministradas pela documentarista Nara Sbreebow. O que se quer é que técnicas de produção de roteiro, entrevistas e imagens  contribuam na formação cidadã dos adolescentes e seus professores. “A importância do ensino formal para a cidadania é imensa e queremos, como ONG, apoiá-lo nesse esforço”, finaliza Gustavo Malacco.
Cronograma da próxima aula – 14 de setembro –das 13h às 17h30.

Oficina Professores
O presidente da Angá, Gustavo Malacco, abordará propostas de medidas de recuperação para a Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha e abrirá para a participação dos professores que farão um relato dos projetos socioambientais de suas escolas. Um dos Objetivos é discutir perspectivas de inserção da comunidade escolar nos projetos de melhorias das condições ambientais do Uberabinha e de outras bacias importantes para Uberaba. Com esta dinâmica, pretende-se incentivar a construção de propostas pedagógicas cujas experiências possam ser compartilhadas pelas instituições escolares parceiras. Representantes de cada escola deverão levar o debate para seus colegas e, no último encontro, apresentar suas proposições ao grupo.

Oficina Estudantes – Coordenação Eurípedes Luciano
Ø  Biodiversidade na Bacia do Rio Uberabinha;
Ø  Resultados encontrados na primeira pesquisa realizada pela Angá na Bacia do Rio Uberabinha – no uso da terra, fauna e flora;
Ø  Escolha de parâmetros no Diagnóstico Ambiental;
Ø  Nossa possível contribuição para a conservação da Bacia do Rio Uberabinha.
- Coordenação Nara Sbreebow
Ø  Conclusão do trabalho de edição do vídeo iniciado na oficina do dia 31 de agosto, que tem como tema um poema de Manoel de Barros.
Ø Apresentação e discussão do vídeo pré-editado na aula do dia 31;
Ø  Detalhamento de técnicas de enquadramento, luz e conteúdo.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Professores e estudantes debatem políticas públicas para a Bacia do Rio Uberabinha em oficinas de Meio Ambiente e Audiovisual
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial