quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Oficinas deste sábado vão mostrar como a destruição do Rio Uberabinha vai impactar a qualidade de vida da população


Estudantes e professores da rede municipal de ensino de Uberaba e da Universidade Federal do Triângulo Mineiro se reunirão nesse sábado (31) para mais um encontro realizado pela Associação para Gestão Socioambiental do Triângulo Mineiro (Angá). Neste próximo encontro, que acontecerá das 13h às 17h30, na UFTM, eles terão  palestras com o geógrafo Alfredo Arantes,  o biólogo Eurípedes Luciano e a cineasta Nara Sbreebow. As aulas fazem parte do projeto “Uberabinha, Meu Amigo”, que busca informar estudantes e professores sobre a importância da Bacia do Rio Uberabinha para nossa região. 
Segundo o geógrafo Alfredo Silveira, a aplicação da oficina aos professores atende aos principais agentes multiplicadores junto à sociedade, por meio de seus alunos. Em sua oficina, o profissional analisará historicamente o uso e ocupação do solo na bacia do Uberabinha e as implicações resultantes, avaliando as atividades econômicas e os impactos causados sobre o meio ambiente. "Mostraremos como as ferramentas de geotecnologias podem propiciar ao professor uma maneira prática e interativa de ensino no âmbito das disciplinas formais, envolvendo as temáticas ambientais para a bacia hidrográfica do rio Uberabinha. Faremos uma apresentação dos trabalhos executados no ano de 2013 com o Diagnóstico Ambiental, trazendo os resultados e suas implicações no dia a dia das pessoas". 
Em sua aula, o Alfredo ilustrará como a dinâmica de uso e ocupação do solo pode alterar as condições de vida da biodiversidade e ainda o fluxo hídrico deste importante manancial de abastecimento público. "Vamos tratar sobre a questão do regime hidrológico da Bacia e como a ocupação de áreas importantes para a manutenção deste regime pode afetar a vida da população", pontua.
As oficinas para os estudantes terão como enfoque a biodiversidade, o que significa esta palavra repetida frequentemente nos noticiários do país e do mundo quando se referem à Amazônia e às suas riquezas? Como podemos reverter o quadro de degradação das últimas áreas de Cerrado do Uberabinha? No audiovisual, os alunos vão ser iniciados no trabalho de edição, selecionando imagens para a produção de seus documentários. 
Programação do terceiro encontro – 31 de agosto (Sábado) – das 13h às 17h30. 

OFICINA PROFESSORES
Das 13h às 14h
Apresentação do geógrafo Alfredo Arantes Guimarães Silveira:
- Mapas de uso e ocupação do solo da Bacia do Rio Uberabinha – uma análise histórica e geográfica das atividades econômicas praticadas na região.
Das 14h às 14h30
- Propostas de políticas públicas para a melhoria da Bacia do Rio Uberabinha.

OFICINA ESTUDANTES
Das 13h às 14h30
Coordenação Eurípedes Luciano
Avaliação da tarefa extraclasse: a delimitação de micro bacias no entorno da casa do aluno;
- Biodiversidade: definições e importância para o meio socioambiental;
- Propostas de áreas prioritárias para a conservação na Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha.

OFICINA ESTUDANTES/PROFESSORES
Das 13h às 14h30 e das 15h às 17h30
Coordenação Nara Sbreebow
- aos estudantes de imagens e áudios de arquivo da Bacia do Rio Uberabinha e de material captado pelos próprios estudantes;
Organização do arquivo de imagens e áudios em pastas para, no quarto encontro, servir de repertório para a produção de vídeos.
Introdução ao aplicativo que será instalado nos computadores das escolas e será empregado na edição de vídeos.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Oficinas deste sábado vão mostrar como a destruição do Rio Uberabinha vai impactar a qualidade de vida da população
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial