sábado, 3 de agosto de 2019

O dinheiro pode ser motivo de separação no casamento?


O dinheiro é um assunto delicado. Muitos casais evitam abordar as questões financeiras em seus relacionamentos por se sentirem desconfortáveis. Lá na frente, fugir do tema, ou não saber lidar com ele, poderá trazer sérias consequências. Citado como a principal causa dos divórcios – 57% das separações são motivadas por ele -, a forma como você trata o seu dinheiro tem implicações diretas na sua relação com o seu parceiro.
É necessário falar sobre ele, e é normal discordar, mas os casais precisam chegar a um consenso. Alguns aspectos devem ser levados em consideração. O primeiro ponto é avaliar o histórico familiar, a relação com o dinheiro desde a infância. Quais eram os valores e os objetivos financeiros da família? Os pais gastavam livremente ou eram cautelosos? Havia a preocupação de poupar para o futuro? Este pode ser um ponto de partida para compreender o seu comportamento atual e o início de uma conversa franca com o parceiro.
Outra questão é o que você considera importante no trato com o dinheiro. Você e o seu parceiro têm áreas de interesse comum ou elas são conflitantes? Preferem economizar para as férias ou gastar em bons restaurantes? Como estão se preparando para aquilo que ainda está por vir? Vocês fazem um planejamento financeiro? Pretendem comprar uma casa? Ter filhos? Quais os sonhos que gostariam de realizar? A discussão sobre as metas individuais e conjuntas levará a um comprometimento de objetivos do casal e ao estabelecimento de estratégias realistas para a sua concretização.
Jennifer Lobo, matchmaker, CEO e fundadora da plataforma de relacionamentos MeuPatrocínio, defende que o alinhamento de expectativas é fator fundamental para o sucesso de uma relação e que não há como fugir do tema financeiro. “As pessoas acham mais fácil falar sobre as suas fantasias sexuais do que abordar os aspectos que envolvem o dinheiro. É um tema delicado para a maioria, mas não deve ser ignorado. Cada um deve expor claramente o seu nível e a possibilidade de comprometimento financeiro para a realização dos sonhos comuns e individuais”. Jennifer afirma que os fundamentos da relação sugar – objetivos honestos e transparentes desde o início – deveriam servir de parâmetro para todos os relacionamentos. “Saber quem é responsável por determinada despesa, quanto será investido ou poupado, com quanto cada um irá contribuir. São assuntos que, se tratados com a devida clareza, evitarão frustrações futuras”, finaliza a matchmaker.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

O dinheiro pode ser motivo de separação no casamento?
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial