sexta-feira, 23 de agosto de 2019

ENGIE repassa mais de R$ 3,5 milhões a municípios e incentiva projetos sociais na região


Uma troca que tem dado certo: A ENGIE, maior geradora privada de energia do Brasil, utiliza recursos hídricos para a geração de energia elétrica fornecida para o Sistema Interligado Nacional, o SIN. Como contrapartida, a Empresa deve realizar o repasse da chamada CFURH, Contribuição Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos. Na região, 7 cidades são beneficiadas por meio das Usinas de Jaguara e Miranda (Uberlândia, Uberaba, Nova Ponte, Indianópolis e Sacramento, em Minas Gerais, e Rifaina e Pedregulho, do estado de São Paulo) Só no primeiro semestre deste ano, a companhia já retornou mais de R$ 3,5 milhões a esses municípios. Na prática, eles recebem das usinas um valor mensal que contribui para o desenvolvimento das cidades, justamente por estarem diretamente ligados aos respectivos reservatórios.
Em Minas Gerais, o total repassado aos municípios que apresentam influência direta dos reservatórios é mais R$ 2,6 milhões. Sendo este montante dividido entre Sacramento, que recebeu R$ 985 mil, Uberlândia, beneficiada com R$ 699 mil, Indianópolis, que recebeu R$ 606 mil, Nova Ponte, que teve créditos de R$ 236 mil e Uberaba, com R$ 106 mil.
No estado de São Paulo, os municípios com recursos hídricos explorados pela companhia receberam mais de R$ 1 milhão. O repasse foi dividido entre Rifaina, com R$ 934 mil, e Pedregulho, com R$ 102 mil.
O valor repassado por meio da Compensação Financeira beneficia também os Governos Federais e Estaduais. Neste ano, o governo Federal já recebeu quase R$ 2 milhões, incluindo o montante destinado à ANA - Agência Nacional de Águas, ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, ao Ministério de Meio Ambiente e ao Ministério de Minas e Energia. Já os Governos de Minas Gerais e São Paulo receberam juntos quase R$ 2 milhões.
A ENGIE assumiu a concessão das usinas Jaguara e Miranda no fim de 2017. A UHE Miranda entrou em operação em maio de 1998, com 03 unidades geradoras cuja potência de instalação é de 408 MW. Seu reservatório apresenta um perímetro de 247 km e uma área de 52km². Já a UHE Jaguara iniciou a operação em 1971. Atualmente, ela opera com quatro unidades geradoras, com potência instalada de 424 MW. O reservatório possui perímetro de 75km e área de 33 km².

Além do retorno financeiro
O retorno à sociedade vai além da compensação em forma de capital. Nas Usinas Jaguara e Miranda, mensalmente, são realizadas ações de incentivo ao espírito de responsabilidade social dos colaboradores e terceiros. Em Miranda, arrecadações de doações voluntárias são feitas, como a arrecadação de mais de 300 fraldas para o Lar André Luiz, mais de 130 unidades de leite pasteurizado para o Hospital do Câncer da cidade de Uberlândia, mais de 50 ovos de páscoa para o Centro de Múltiplo Uso de Indianópolis, 17kg de roupas e agasalhos para a Casa Maria de Nazaré,  cestas básicas e alimentos não perecíveis para a Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista, e uniformes escolares para as crianças do Centro de Múltiplo Uso de Indianópolis.
“Todo início do mês comunicamos o tipo de doação e a entidade a ser beneficiada para quem tiver interesse em contribuir. A importância, além de incentivar o espírito de responsabilidade social, é conseguir ajudar de alguma forma as instituições sociais que sempre precisam de apoio para realização das suas atividades”, afirma Paulo Feitosa, gerente da Usina Miranda.
Outra ação promete dar um rumo promissor para crianças e adolescentes de escolas públicas de Indianópolis é o projeto XYZ, realizado em parceria com a prefeitura de Indianápolis. Desenvolvido com recursos da Lei de Incentivo ao Esporte, a ENGIE contribuiu com cerca R$200mil, em 2019, ao Projeto Indianápolis, que oferece treinamento de vôlei de alta performance para 50 meninas entre 9 a 15 anos, incluindo participação em competições estaduais.
O recurso garante os uniformes e o salário do treinador e outros recursos, enquanto o município disponibiliza o local de treinamento.. Ainda para Feitosa, o projeto tem grande responsabilidade no futuro da cidade. “O projeto é apresentado nas escolas pelo treinador. As atletas que têm interesse indicam os nomes. A partir daí elas já começam a participar dos treinamentos na hora e local informados. Incentivar o esporte nas crianças e adolescentes de Indianópolis é muito importante.  O esporte auxilia no desenvolvimento de valores, tais como perseverança, disciplina. Projetos como este trazem grandes ganhos à sociedade local e reafirmam o compromisso social que a ENGIE tem com as comunidades no entorno de seus empreendimentos”, afirma.
Na Usina Jaguara não é diferente. Juntos, os colaboradores e parceiros doaram e arrecadaram 212 litros de leite para a Creche Tia Nina em Sacramento (MG) e ainda 15 Kg de bolo em comemoração à páscoa para a APAE da cidade, além da doação de cadeiras, quadros de aviso para o Hospital Municipal, camisetas para a Festa do Desemboque, R$ 5 mil para a Secretaria de Esporte do município, destinado ao campeonato amador, R$ 50 mil para o Projeto Semeando o Futuro da Instituição Lar de Euripedes e R$ 25 mil para o Projeto Brinquedoteca da instituição Abrigo Doce Lar da Criança Irene NYE.
Também por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, a Usina colaborou com R$ 100 mil ao Projeto "Escola de Voleibol - Meninas de Ouro". Já o Fundo Municipal do Idoso foi utilizado na modernização e reforma da Cozinha do Lar São Vicente de Paulo (temos valor?).Para o Projeto Limpando Nossa Praia, da Secretaria de Meio Ambiente de Rifaina (SP), foi feita uma doação de 400 Kits lanches, enquanto a Polícia Militar de Franca (SP) foi feita uma doação de 40 Cadeiras Universitárias.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

ENGIE repassa mais de R$ 3,5 milhões a municípios e incentiva projetos sociais na região
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial