quarta-feira, 10 de abril de 2019

Bailarinos de Uberlândia competem novamente no Youth America Grand Prix em Nova York


Ana Luiza Sartini e João Vitor Percilio embarcam nesta quarta-feira (10/04), junto a professora Guiomar Boaventura, para os Estados Unidos. 

Os bailarinos do Ballet Vórtice, Ana Luiza Moraes Sartini, de 13 anos e João Vitor Percilio, de 14 anos vão participar novamente das finais de uma das competições mais importantes do mundo na área da dança: o Youth America Grand Prix, em Nova York, entre os dias 12 e 20 de abril.
Eles foram selecionados no ano passado na seletiva brasileira do YAGP que foi realizada em Uberlândia, durante o Prêmio de Dança, no Teatro Municipal. Na ocasião, participaram cerca de 500 bailarinos de várias partes do país.
Em Nova York, Ana Luiza vai apresentar a variação de repertório “Aurora” e o solo contemporâneo “Melodia” criado pela coreógrafa Carol Segurado. Já João Vitor apresenta a variação masculina de repertório “Fraz” e o solo contemporâneo “Insane”, também de autoria de Carol Segurado.
Os dois bailarinos já participaram das finais do YAGP em Nova York, no ano passado. João Vitor Percilio foi classificado entre os vinte melhores para a final na categoria júnior e dançou no palco do Lincoln Center, o principal da competição. Na época, ele só tinha três anos de estudo de ballet clássico e era a primeira vez que participava de um concurso internacional. Ao final ele foi contemplado com uma bolsa de estudos para o Harid Conservatory, na Florida.
Já a bailarina Ana Luiza Sartini participou da categoria pré-competitiva e recebeu uma bolsa de estudos para a escola Rock School Education, na Filadélfia. Mas os dois decidiram continuar os estudos de ballet em Uberlândia com os professores do Ballet Vórtice e projeto Pé de Moleque, Guiomar Boaventura e Vladimir Rybyakov.
Recentemente o bailarino João Vitor Percilio alcançou outro resultado expressivo. Ele foi um dos seis bailarinos contemplados com bolsas de estudos durante o Prix de Lausanne, na Suíça. Para a professora Guiomar Boaventura, “essa experiência acrescenta muito na formação do artista. O intercâmbio com outros países, outras maneiras de se mover, de ver a Dança é sempre importante para expandir horizontes”.

Sobre Youth America Grand Prix:
Durante a competição os bailarinos participaram de aulas, recebem feedback individual dos jurados, se apresentaram diante dos diretores das principais escolas e empresas de dança do mundo, assistem apresentações de gala e podem receber bolsas de estudo. Neste ano o Youth America Grand Prix comemora vinte anos e terá uma programação especial com galas de aniversário e um festival internacional de escolas de dança.


Compartilhar

Postagens Relacionadas

Bailarinos de Uberlândia competem novamente no Youth America Grand Prix em Nova York
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial