sexta-feira, 29 de março de 2019

Mercado internacional é tema de painel no Encontro de Gestão de Cafeicultores


 Encoffee acontece nos dias 2 e 3 de abril em Uberlândia e vai reunir cerca de 300 produtores de café de todo o Brasil para discutir temas que melhorem práticas no segmento

Oportunidade de mercado, diversificação do risco, economia de escala, sazonalidade e concorrência. Pensar em internacionalização de negócios requer uma profunda análise sobre o modelo atual e sobre o papel que quer exercer em um mercado global e, sobretudo, entender que a ação é seguida de riscos que devem ser antecipados para que a estratégia não tenha efeitos contrários.  
O tema será um dos tópicos dos painéis, focados na excelência da gestão do ‘Agronegócio Café’, discutidos no Encontro de Gestão de Cafeicultores - Encoffee, que será realizado nos dias 2 e 3 de abril, no Center Convention, em Uberlândia, Minas Gerais. De acordo com o CEO da Ipanema Agrícola, Washington Rodrigues, a internacionalização é uma oportunidade de adquirir mercados consumidores ainda não explorados, mas para galgá-lo exige uma série de fatores a ser seguido. “Tudo dependerá da escala do produtor. Os custos de exportação, hedge, formalização de contratos e atendimento de demandas fazem com que seja muito difícil que isso seja obtido em vários mercados ao mesmo tempo. Além disso, todo negócio traz benefícios e riscos e com a internacionalização não é diferente. A presença física em mercados novos pode auxiliar no sentido de poder prover educação, informação e fácil acesso ao produto. Cabe avaliar se isso não gera a dificuldade de estabelecer a parceria com um player local. Os riscos maiores são os custos estruturais para essa presença, além da tendência de afastamento de players locais por entenderam a presença como competição”, explica Rodrigues, que estará presente no Encoffee atento ao painel para decidir sobre os rumos que a empresa dará em relação à exportação.

Brasil é primeiro no ranking em exportação de café
Além de maior produtor mundial, o Brasil é também o maior exportador e o segundo maior consumidor de café, mas nem sempre foi assim. O produtor rural Walber Machado de Oliveira, da Fazenda Santa Rita, conta que desde a década de 1990 muitos esforços têm sido envidados pelos produtores e demais membros da cadeia produtiva no sentido de mudar a imagem do Brasil, antigamente associada à baixa qualidade. "Esses esforços têm trazido resultados concretos, materializados no crescimento do mercado de cafés especiais, inclusive no mercado interno. Acredito que o Ministério das Relações Exteriores - Itamaraty teria que ter um envolvimento muito mais direto com o setor cafeeiro, em particular, e com o setor agrícola, em geral. Afinal, uma de suas funções precípuas deveria ser promover os produtos do Brasil mundo afora”, afirma. Oliveira comenta ainda que pelo fato de o país passar por um período adverso de crise de preços, é natural que os produtores procurem saídas na tão propalada "agregação de valor" ao café. “As iniciativas nesse sentido - certificações internacionais, verticalização da produção, exportação direta - talvez não estejam sendo suficientes para viabilizar as propriedades cafeeiras em termos econômicos. Eventos como o Encoffee podem nos ajudar a encontrar soluções para estes gargalos ainda existentes”, avalia. 

Sobre o Encoffee
O evento reunirá cerca de 300 cafeicultores de todo o país e contará com palestrantes como o jornalista William Waack; o presidente da Cooperativa dos Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), Carlos Alberto Paulino; o diretor executivo da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), Luiz Cornacchioni; o CEO da MPrado Consultoria Empresarial, Marcelo Prado; o professor da Universidade do Café, Samuel Giordano; José Maria de Oliveira, da Fazenda Marimbondo; o colunista de vinho no Valor Econômico e comentarista de Vinhos da Rádio CBN, Jorge Lucki; a diretora da MPrado, Luciana Martins; o CEO da Ipanema Agrícola, Washington Rodrigues, entre outros.
Dentre os assuntos debatidos estão a cadeia produtiva do café e a inovação do segmento produtivo, avaliação de novos conceitos e ferramentas de gestão, análise de novas práticas e soluções que podem impactar positivamente na atividade. Além das palestras, no Encoffee também haverá painéis que, além do mercado internacional, abordarão verticalização como caminho para aceleração do crescimento, sucessão familiar como pilar de garantia da perpetuidade, tecnologias digitais, finanças e gestão de risco no café. O evento também é um oportuno momento para troca de ideias e promoção de networking.
O Encoffee tem parceria com a ABAG, Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cooxupé, Centro do Comércio de Café do Estado de Minas Gerais (CCCMG), Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), Casul e Conselho Nacional do Café (CNC).
Os interessados em participar podem ligar no (34) 3227-4286 e confirmar a presença ou se inscrever por meio do site www.gpoconecta.com.br, que também conta com a programação e informações gerais do evento.

Serviço:
Encoffee - Encontro de Gestão de Cafeicultores
2 e 3 de abril de 2019, de 8h às 18h
Center Convention - Uberlândia-MG
Informações: (34) 3227-4286 / (34) 9.9947-0005
Inscrições: www.gpoconecta.com.br

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Mercado internacional é tema de painel no Encontro de Gestão de Cafeicultores
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial