terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Especialista explica mitos e verdades em relação a anestesia

Dr. Gustavo Rezende, anestesiologista.
Anestesiologia, conhecida popularmente como anestesia, é uma especialidade médica necessária em 100% dos procedimentos cirúrgicos, sendo motivo de ansiedade e preocupação para muitos pacientes. Ela também é utilizada no tratamento de dores agudas, como as do pós-operatório imediato e na dor crônica, comum em pacientes oncológicos que estão enfrentando algum tipo de câncer. A fim de desvendar os mitos e verdades sobre o tema e tranquilizar quem precisa passar por esse processo, o anestesiologista Dr. Gustavo Rezende, participou do Santa Clara Responde.
O especialista explica que as anestesias podem ser divididas em: sedação, anestesia geral e anestesia regional. “Essa última conta com a raquianestesia e a anestesia epidural. Todas essas técnicas podem ser utilizadas de forma isolada ou combinadas, sempre visando o conforto e a segurança do paciente”, explica Dr. Gustavo.
Em situações de emergência, em que o paciente corre risco de morte, o processo é feito durante a cirurgia por falta de tempo hábil. Já quando o procedimento é agendado, há uma consulta pré-anestésica antes. “Nesse caso, o paciente tem a oportunidade de ser avaliado pelo anestesista. São feitos exames que possibilitam que o profissional escolha a técnica que melhor atenderá a necessidade do paciente” esclarece Dr. Gustavo.
O médico ainda explica que a duração da anestesia costuma ser uma preocupação das pessoas, mas que ela dura o tempo necessário para a execução do procedimento ao qual o paciente será submetido. “O especialista considera o peso, a idade, estado físico do paciente e a necessidade do cirurgião antes de escolher a melhor técnica e medicamentos. Muita gente acha a anestesia geral a mais perigosa, mas isso é mito.  Ela é exclusivamente necessária em algumas cirurgias, podendo ser utilizada inclusive no parto por cesárea”, informou o anestesiologista.
Após a anestesia, o paciente pode manifestar alguns sintomas, como: calafrios, dores de cabeça, dificuldade para urinar, náuseas, vômitos e desorientação. Ao contrário do que muitas mulheres pensam, não existem comprovações médicas de que a anestesia pode causar queda de cabelo. “Não há um teste especifico para identificar alergia a algum tipo de anestesia, mas isso pode ser feito por meio de assimilações a medicamentos e remédios, por meio de uma análise na consulta pré-anestésica. As anestesias são seguras, o que deve ser feito é encontrar a anestesia correta para cada caso”, finaliza Dr. Gustavo.
A entrevista completa com o Dr. Gustavo pode ser acessada no canal do Hospital Santa Clara no YouTube. Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=6SBJg4V5ON4

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Especialista explica mitos e verdades em relação a anestesia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial