segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Melhores cafés da Região do Cerrado Mineiro serão conhecidos nesta quarta-feira, em Uberlândia



Nesta quarta-feira, 21 de novembro, a partir das 16h, a Casa Garcia em Uberlândia será palco da sexta edição do Prêmio Região do Cerrado Mineiro, uma celebração da safra e reconhecimento aos produtores dos melhores cafés da safra 2018/2019  da Denominação de Origem Região do Cerrado Mineiro. Serão conhecidos os produtores dos 20 melhores cafés Naturais e dez cafés Cereja Descascado, totalizando 30 finalistas. 
O primeiro lugar de cada categoria recebe R$1.980 por saca; o segundo R$1.540, e o terceiro receberá R$1.320 por saca de 60 quilos. O evento, realizado pela Federação dos Cafeicultores do Cerrado com apoio do Sebrae Minas, irá reunir produtores, compradores, importadores e exportadores. Na edição deste ano há ainda uma inovação no modelo de negócio com a realização do leilão ao vivo e presencial durante a cerimônia de premiação. Do primeiro ao terceiro colocado, o valor  mínimo do lance será,  respectivamente, R$ 1.980, R$ 1.540 e R$ 1.320, e do quarto colocado em diante o valor mínimo do lance, por saca de 60 quilos, será de R$ 880.

Capacitação que gera qualidade
Entre os finalistas estão sete participantes do projeto Cluster de Qualidade desenvolvido pelo Sebrae, sendo três de São Gotardo, dois de Carmo do Paranaíba, e os outros dois das cidades de Monte Carmelo e Uberlândia. O projeto presta consultoria em pós-colheita e estimula grupos de produtores inseridos na Denominação de Origem Região do Cerrado Mineiro a melhorarem a qualidade dos cafés produzidos. 
“Buscamos, por meio do projeto, melhorar a rentabilidade dos produtores da Região e fortalecer o uso da certificação de Origem e Qualidade da Região do Cerrado Mineiro. Em um ano de atividades conseguimos atender 180 clientes repassando técnicas que compreendem etapas desde processamento até comercialização do café. Também levamos informações sobre a realidade do mercado, principalmente, dos cafés especiais’’, destaca a analista do Sebrae Minas, Naiara Marra.
Além da ação Cluster de Qualidade, os produtores também contam com a assistência técnica e gerencial do projeto Educampo.  Entre os finalistas do prêmio há 13 produtores participantes deste projeto que é dinâmico e permanente, e busca por meio da capacitação gerencial e tecnológica, contínua e intensiva de grupos de produtores rurais, desenvolver todos os aspectos de gestão da propriedade.

Redução no tamanho do lote e novas ofertas
Para valorizar ainda mais os lotes exclusivos que são produzidos no terroir Região do Cerrado Mineiro foi criada uma nova oferta de lotes, o Grand Reserva destinada apenas aos lotes que obtiverem nota igual ou superior a 90 pontos, na metodologia da SCA. Os cafés com pontuação entre 88 a 89,99 pontos serão chancelados com Reserva Especial e os Safra Premiada serão aqueles que pontuarem entre 85 a 87,99 todos através da avaliação do corpo de júri e usando a metodologia SCA. Ainda nesta edição a nota de corte de 85 pontos também foi adotada.

Sistema de avaliação
No processo de seleção os lotes passam por três fases de classificação. Na primeira foram selecionados os 30 melhores cafés enviados, divididos na categoria natural e cereja descascado, desde que pontuem no mínimo 85 pontos. Os lotes classificados foram depositados em armazéns filiados e credenciados, conferidos e só então seguiram para a segunda fase de provas, que gerou o ranqueamento final dos cafés.  Além disso, a fase ético e rastreável que avalia a maneira de produzir o café, que deve ser sustentável e que compartilhe valor para toda a Região foi mantida como critério de classificação ou eliminação caso o produtor não alcance a porcentagem mínina de aproveitamento na avaliação.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Melhores cafés da Região do Cerrado Mineiro serão conhecidos nesta quarta-feira, em Uberlândia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial