segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Bailarino de Uberlândia é selecionado para o Prix de Lausanne na Suíça



João Vitor Percilio garantiu a vaga nesse fim de semana na seletiva latino-americana realizada em Goiânia.
João Vitor Percilio durante apresentação no Teatro Municipal de Uberlândia. 
Foto: Fernanda Torquato 
O bailarino uberlandense João Vitor Percilio, de 15 anos foi selecionado para o Prix de Lausanne, um concurso internacional de dança realizado anualmente na Suíça, desde 1973. A seletiva latino-americana foi realizada em Goiânia, nos dias 29 e 30 de setembro e contou com a participação de 44 bailarinos, com idades entre 14 e 18 anos já pré-selecionados por meio de vídeo.
Além do bailarino uberlandense foram selecionadas para se apresentar na Suíça a bailarina brasileira Alice Balboni e a bailarina argentina Paloma Ramirez. Os três viajarão para Lausanne em fevereiro do ano que vem com todas as despesas pagas pelo Prix de Lausanne.
Durante a seletiva, os bailarinos foram avaliados em aulas de ballet clássico e contemporâneo e apresentaram no palco do Teatro Rio Vermelho variações clássicas e contemporâneas. João Vitor interpretou a variação clássica "Franz" do terceiro ato do ballet Coppelia e "Sinergia", uma coreografia contemporânea de Carol Segurado.
A banca de jurados foi composta por Kathryn Bradney, diretora artística e executiva do Prix de Lausanne e ex-primeira bailarina do Béjart Ballet Lausanne; Igor Piovano, diretor do Académie de Danse Igokat e ex-primeiro bailarino do Béjart Ballet Lausanne; Gisela Vaz, presidente do Conselho Brasileiro da Dança; Lidia Segni, ex-diretora da Companhia permanente de ballet do Teatro Colón (Argentina) e Claudia Zaccari, coordenadora do departamento de ballet clássico do Opus Ballet (Itália).

Sobre João Vitor: 
João Vitor Percilio tem 15 anos e desde os 12 é aluno do Projeto Pé de Moleque. No projeto ele tem aulas de ballet clássico com a professora brasileira Guiomar Boaventura e o professor russo Vladimir Rybyakov. Para Guiomar Boaventura a escolha de João Vitor como o único bailarino latino-americano para participar das finais do Prix de Lausanne representa “o Brasil que nos enche de orgulho. É isso que queremos para nossos jovens: o direito a um futuro melhor”.
Este ano, durante o Prêmio de Dança Uberlândia, João Vitor já havia sido selecionado para as finais do concurso Youth America Grand Prix, que será realizado em abril de 2019, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Ele também ganhou uma bolsa de estudos de verão para o Ballet Nacional da Holanda,  outra para a Escola Estatal de Berlim e foi presenteado com um figurino exclusivo de Andrea Delgado.  No Festival de Danças de Joinville deste ano foi medalha de ouro com a variação masculina "Harlequin" do ballet Harlequinade e medalha de prata com o solo "Sinergia" da coreógrafa Carol Segurado. 

Sobre o Projeto Pé de Moleque:
O Projeto Pé de Moleque existe desde 1997 com objetivo de dar oportunidades de crescimento pessoal e profissional a crianças e jovens de baixa renda por meio do ballet clássico. O trabalho realizado busca valorizar as capacidades individuais, mas também encoraja a socialização dos alunos. O foco se divide entre a técnica aprendida com amor e disciplina e o crescimento pessoal dos bailarinos, uma preparação completa para que possam seguir carreira na dança.
O Pé de Moleque já revelou vários talentos que conquistaram os palcos do Brasil e do mundo. É o caso dos bailarinos Victor Caixeta, contratado pelo Ballet do Teatro Mariinsky na Rússia, Daniel Robert, contratado pelo Ballet Nacional da Holanda, Thiago Vinícius, aluno da Academie Princesse Grace Kelly, de Mônaco, Wictor Hugo, que é bailarino do Bejart Ballet Lausanne, na Suíça e muitos outros.

Sobre o Prix de Lausanne:
            Criado em 1973, o Prix de Lausanne é um concurso internacional anual para jovens bailarinos de 14 a 19 anos. O objetivo é descobrir, promover e apoiar os melhores talentos. Sessenta e oito escolas e empresas de dança mais prestigiadas do mundo, como o Royal Ballet em Londres, a Academia de Ballet Vaganova em São Petersburgo, a Escola de Ballet de São Francisco e o Australian Ballet, estão associados ao Prix de Lausanne e apoiam suas atividades. O Prix de Lausanne representa uma plataforma excepcional para descobrir talento juvenil e está aberto para profissionais de dança que podem observar e estabelecer contatos com os candidatos, transformando Lausanne na capital mundial dos jovens dançarinos durante a semana da competição.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Bailarino de Uberlândia é selecionado para o Prix de Lausanne na Suíça
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial