quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Setembro Amarelo coloca em pauta a prevenção ao suicídio


Especialista da Faculdade Pitágoras alerta para a importância da desmistificação do tema como ação preventiva

Segundo o primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio no Brasil, divulgado pelo Ministério da Saúde, o número de suicídios aumentou 12%, entre 2011 e 2016. Por ano, cerca de 11 mil pessoas tiram a própria vida no país e, por dia, 32 brasileiros são mortos pelo autoextermínio, taxa superior às vítimas da Aids e câncer. Números alarmantes que despertam a atenção para o fato de que o suicídio é um problema de saúde pública e, como tal, deve ser combatido com a prevenção.
De acordo com o coordenador do curso de Psicologia da Faculdade Pitágoras, Dr. Lucas Nápoli, uma das frentes para essa prevenção é a desmistificação do assunto junto à população. Para ele, existe um tabu em torno do tema, que o torna um mal silencioso, já que as pessoas fogem do assunto e tendem a ignorá-lo, por medo ou falta de informação, sinais de possíveis suicidas.
"Frequentemente, pessoas que estão pensando em suicídio compartilham seus pensamentos na esperança de que alguém as acolha e as auxilie a reencontrar sentido na existência. Em outras palavras, trata-se de um pedido de ajuda", explica. Além desse mito de que as pessoas que falam em suicídio não têm a intenção de se matar, Lucas aponta outras falsas colocações que precisam ser desmistificadas:
Mito: a maioria dos suicídios acontecem sem aviso
Verdade: a maioria dos suicídios é precedida por sinais discretos de comportamentos

Mito: a pessoa com propensão ao suicídio está determinada a morrer
Verdade: a pessoa em risco de suicídio apresenta dúvida entre querer viver e querer morrer

Mito: somente pessoas com transtornos mentais cometem suicídio
Verdade: o comportamento suicida é provável quando existe sofrimento intenso, independente de transtornos mentais

Mito: conversar sobre suicídio pode encorajar o ato
Verdade: conversar abertamente pode fazer com que a pessoa se sinta acolhida e tenha oportunidade de receber ajuda

"A maioria das mortes por suicídio são prematuras e podem ser evitadas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez casos poderiam ter sido revertidos. Portanto, vamos falar sobre o assunto, vamos derrubar o preconceito em torno do tema, divulgar as ações preventivas e, com isso, salvar vidas", conclui. 


Compartilhar

Postagens Relacionadas

Setembro Amarelo coloca em pauta a prevenção ao suicídio
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial