quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Uberlandinos contam o que faz Uberlândia ser tão especial



No Bretas mais de 230 colaboradores vieram de outros lugares
Na semana em que Uberlândia completa 130 anos, o Bretas conta a história de dois colaboradores: um maranhense e uma gaúcha, que junto das famílias buscaram oportunidade de emprego e novas experiências em terras mineiras. Os exemplos mostram que a cidade é acolhedora e querida por Uberlandenses e Uberlandinos.
Do Maranhão para Uberlândia, Hernani Ferreira de 59 anos é gerente de loja no Bretas. Há oito meses na cidade, ele fala que o que mais sente falta da terra natal é da culinária e da temperatura. “Eu estou no varejo há 31 anos e vim à trabalho para Uberlândia, onde moro com minha esposa e minha filha adolescente. Aqui sinto-me acolhido não só pelos meus colegas de trabalho, mas também pelas pessoas com quem convivo na minha vida social”, disse.
Hernani acrescenta que Uberlândia é um bálsamo para quem vem de capitais agitadas. “O que eu mais gosto aqui é a estrutura urbana, pois é uma cidade onde tudo que procuramos, encontramos e não tem aquela loucura no trânsito como nas grandes metrópoles”, ressalta.
A analista de Recursos Humanos, Cynthia Nunes, de 39 anos é natural de Porto Alegre e veio para Uberlândia acompanhada do marido que foi transferido do trabalho. Recém-chegada à cidade, Cynthia logo conseguiu emprego no Bretas, onde está há três anos e meio. “O que sinto mais falta da minha terra natal é dos festejos tradicionalista gaúcho e da culinária local: cuca e das rodas de chimarrão. Mas, me senti muito acolhida. As pessoas foram muito receptivas comigo e com a minha família”, conta.
Um dos lazeres preferidos da Cynthia com a família é passear em um dos cartões postais da cidade: o Parque do Sabiá e o Praia Clube. “Gosto também das festas juninas, que aqui na região é muito forte e do clima quente e seco, porque em Porto Alegre é muito frio mesmo”, explica.

De norte a sul
Em Uberlândia, a primeira loja do Bretas foi inaugurada em 1998. Atualmente, são dez unidades na cidade e mais de 800 colaboradores, destes 234 são naturais de outras cidades, por tanto, Uberlandinos. Pessoas que vieram de várias partes do Brasil: Bahia, Ceará, Santa Catarina, São Paulo, Piauí, Sergipe... e construíram famílias, carreiras e futuros. Esse número revela que a cidade é acolhedora e geradora de emprego. Todos esses personagens figuram a estatística econômica da cidade, contribuindo cada um a sua maneira. Assim como o Bretas, que não faz distinção na hora de fazer a contratação, principalmente, porque a rede faz parte do Grupo Cencosud, detentora de outras bandeiras distribuídas em vários estados e sabe a importância de ter colaboradores diversos.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Uberlandinos contam o que faz Uberlândia ser tão especial
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial