quarta-feira, 29 de agosto de 2018

ENGIE recebe investidores, em Uberlândia, em mais uma edição do evento “Por Dentro da ENGIE”


 Reunião tem o intuito de aproximar empresa e mercado financeiro

A ENGIE, maior empresa privada geradora de energia elétrica do país, recebeu em Uberlândia a presença de dezenas de investidores do país inteiro, no 12ª Por Dentro da ENGIE. O evento teve como pautas Apresentação de Resultados, Atualização do Ambiente Regulatório, Diferenciais Competitivos e Estudos de Caso, além da Visão Estratégica ENGIE.
Segundo Rafael Bozio, Gerente de Relações com Investidores da ENGIE, o encontro é de grande importância. “A ideia é trazer uma proximidade da empresa com investidores, que ficam muito atrás do computador, atrás do telefone, liga pra gente, faz perguntas diariamente, lê nossos relatórios, mas ele não vê o ativo. Então o principal  é trazer os investidores pra realidade da operação, conhecer a usina, as pessoas que estão por trás daquele resultado que a empresa reporta, ter uma proximidade maior com a administração, que é algo muito importante para eles. Uma coisa é ele escutar os resultados em discurso, outra coisa é ele estar em um ambiente mais informal, ter acesso ao presidente, ao diretor financeiro, com isso você traz os investidores para mais próximo da companhia. Isso amplia a transparência e a comunicação com o mercado de capitais”, explica.
Para Carlos Freitas, Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, os assuntos abordados no evento dizem respeito ao futuro não só da empresa, mas também da realidade da energia elétrica no Brasil. “Abordamos temas importantes: além de apresentar a usina de Miranda, a gente fez uma atualização do ambiente regulatório, visto que estão em tramite no congresso propostas para haver mudanças nas regras que regem o setor elétrico, que vão ter impacto, alguns deles de forma profunda na maneira como as empresas operam. Então, embora não saibamos como isso irá acontecer, devemos deixar claro que já estamos nos antecipando e procurando alternativas e para estarmos prontos para agir com rapidez quando tudo isso for aprovado. E também mostrar que nós somos ativos em construir esse novo marco regulatório. Entramos em contato com o Ministério, com a Aneel. A empresa, sendo a maior geradora privada do Brasil, ela tem uma influência para que as regras reflitam a necessidade do sistema, para fazer um sistema benéfico e não acabar dando uma canetada e acabar prejudicando todo mundo”, conta.
A efetividade da empresa também foi citada na reunião. “Outro tema, que foi baseado em estudos de caso onde a gente comprova os nossos diferenciais competitivos, mostra a capacidade de desenvolvimento de projetos, capacidade de execução, ou seja, construir para que o projeto saia do nível de desenvolvimento e vá para a construção, a operação, porque a ENGIE é reconhecidamente é a melhor operadora do sistema, o que nos diferencia em termos de operação, capacidade de disciplina do financeiro, capacidade de levantar capital, financiar os projetos ao custo competitivo, todos esses fatores nos diferenciam das outras empresas e que levam a maioria desses analistas. Nos relatórios deles, eles sempre pontuam que a ENGIE é vista como a empresa com a melhor administração do setor. E por último, uma revisão da estratégia da companhia nos próximos anos, que é nos posicionarmos como um player, com investimentos em infraestrutura, uma maior possibilidade do cliente, investimento em renováveis e ampliação das tecnologias com foco na digitalização”, afirma.
Representando a diretoria financeira da ENGIE, Carlos Freitas reforça a relevância do encontro. “É importante para o pessoal conhecer mais dos artigos da empresa, dar mais acesso aos gestores, criar uma relação de confiança, mostrar credibilidade no que faz, mostrar exemplos concretos do que a temos feito entregando aquilo que a gente promete pra manter a alta credibilidade que o time da ENGIE tem com o mercado”, diz.
Para Eduardo Sattamini, Diretor Presidente da ENGIE, que apresentou os próximos passos da ENGIE, as estratégias da ENGIE Brasil Energia para os próximos anos é o crescimento em fontes renováveis, maior proximidade de alcance à clientes, criação de plataforma em infraestrutura de geração, transmissão a gás e ampliação da eficiência operacional via tecnologia de ponta. “Temos reconhecida capacidade de execução. Não queremos crescer por crescer, queremos crescer gerando valor, com disciplina e solidez financeira”, finaliza Sattamini.


Compartilhar

Postagens Relacionadas

ENGIE recebe investidores, em Uberlândia, em mais uma edição do evento “Por Dentro da ENGIE”
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial