terça-feira, 21 de agosto de 2018

Diagnósticos de câncer de pulmão devem ultrapassar 31 mil novos casos em 2018


No mês marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, lembrado em 29 de agosto, oncologista do Centro Oncológico do Triângulo - COT - faz um alerta sobre o tabagismo, que está relacionado a 90% dos casos da doença

Mais de 31 mil diagnósticos somente em 2018: essa é a estimativa de surgimento de novos casos de câncer de pulmão no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). O tabagismo é apontado como a principal causa de morte pela doença, estando relacionado a 90% dos diagnósticos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o cigarro mata 6 milhões de pessoas por ano e também é responsável pela morte de 600 mil fumantes passivos. Neste mês, marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, lembrado em 29 de agosto, a oncologista do Centro Oncológico do Triângulo - COT, Nathália Almeida, faz um alerta sobre este vício que é considerado a principal causa de morte evitável.
Além do câncer de pulmão, o cigarro também está relacionado ao desenvolvimento de outros tumores como: cavidade oral, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo do útero e leucemias, além de mais 50 doenças. Para o oncologista do Centro Oncológico do Triângulo - COT, Nathália Almeida, é necessário que haja uma conscientização da população sobre os riscos e a importância de abandonar o vício. “Sabemos que os fumantes têm aproximadamente de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão e que o hábito de fumar é responsável por cerca de 30% das mortes por câncer. A mudança desta realidade passa primeiro pela conscientização e percepção da população de que o tabagismo não traz nenhum benefício e que muitas mortes poderiam ser evitadas com o abandono do vício”, destaca a especialista.”

Sintomas e diagnóstico:
            Por apresentar sintomas semelhantes a outras doenças mais comuns, o câncer de pulmão é um tipo de tumor difícil de ser diagnosticado em sua fase inicial. Mas, de acordo com a Dra. Nathália Almeida, há alguns sinais que podem ser observados com maior atenção. “É importante que o paciente esteja atento a sinais como: tosse frequente, falta de ar, chiado no pulmão, presença de sangue no escarro, dor no peito, perda rápida de peso e de apetite. O rastreio para câncer de pulmão é indicado para pacientes entre 50 e 74 anos que fumaram por mais de 30 anos pelo menos um maço de cigarro por dia. A orientação para essas pessoas é buscar a orientação de um especialista para que sejam indicados exames específicos”, afirma a oncologista.

Números sobre o cigarro
No Brasil, o tabagismo é o responsável por 12,6 % de todas as mortes que ocorrem no país em pessoas maiores de 35 anos. Se o cenário se mantiver como o atual, estão previstas mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030, sendo que mais de 80% dessas mortes devem atingir pessoas que vivem em países de baixa e média renda.


Compartilhar

Postagens Relacionadas

Diagnósticos de câncer de pulmão devem ultrapassar 31 mil novos casos em 2018
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial