quinta-feira, 30 de agosto de 2018

CEO do Social Bank fala sobre criação de um ecossistema financeiro sustentável durante painel no Cities 2018



 Criar um ecossistema financeiro sustentável, que une pessoas, iniciativa pública e privada, associações e universidades em prol de uma nova cultura, que pretende transformar as relações do indivíduo com seus recursos financeiros. Essa é a ideia defendida pelo o CEO do Social Bank, Rodrigo Borges, que participou na última quarta-feira (29/08) de um painel com o tema ‘Cultura das fintechs’, durante o Congresso Internacional de Tecnologia, Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade – Cities - 2018.
Durante o encontro, que também contou com a participação do diretor da Stone Pagamentos, Augusto Lins, Guilherme Horn, da Neon Pagamentos, e mediação de Fabiano Alves, do Sebrae, o empreendedor falou sobre as mudanças que vem acontecendo na relação do consumidor com as instituições financeiras, e o crescimento do setor de fintechs, em que o Social Bank está inserido. Um dos pontos destacados pelo CEO foi a escolha de Uberlândia para a implantação de projeto de ecossistema financeiro sustentável, que já está em andamento e deverá servir de modelo para outras localidades onde o banco atua. “Queremos criar em Uberlândia o primeiro ecossistema financeiro sustentável do Brasil, com destaque para a utilização dos diferenciais que oferecemos aos nossos clientes, reforçando um novo conceito de serviços financeiros que permitem o compartilhamento de recursos de forma mais igualitária e com menor custo. A partir da consolidação deste projeto, vamos expandir para todo o País, tornando Uberlândia uma referência nacional”, destaca Rodrigo Borges.
O projeto tem como base os diferenciais oferecidos pelo banco, como o serviço Social Cash, que oferece a possibilidade de realizar empréstimos diretamente entre os usuários, sem cobrança de nenhuma taxa pela instituição financeira. Além disso, os clientes do Social Bank também contam com outras facilidades, como a possibilidade de abrir uma conta online e administrar seus recursos de forma digital, podendo realizar transações como pagamento de contas, saques, transferências gratuitas entre usuários, solicitação de cartão e muito mais sem burocracia.
Para o empresário Mateus Carrijo, que assistiu ao painel, as fintechs estão conseguindo estabelecer uma nova relação com os consumidores. “As relações entre o consumidor e as marcas tem se transformado nos últimos anos e percebo que as fintechs, como o Social Bank, tem ganhado cada vez mais espaço neste mercado que estava acostumado a tratar tão mal o cliente. Com o desenvolvimento de uma cultura interna focada no bom atendimento, essas novas empresas têm conseguido conquistar e fortalecer a relação com seus usurários”, destaca o empresário.
Além da participação do CEO, o Social Bank também marcou presença no Cities por meio do responsável pelas relações institucionais, Alonso Neto, que fez parte de um painel sobre colaboração nos ecossistemas de inovação. Para saber mais sobre o Social Bank, acesse: www.socialbank.com.br.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

CEO do Social Bank fala sobre criação de um ecossistema financeiro sustentável durante painel no Cities 2018
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial