quarta-feira, 18 de julho de 2018

Uberlândia atingiu a marca de 30 mil MEIs


Mapeamento de formalização feito pelo Sebrae Minas indica que a cidade está atrás apenas de Belo Horizonte e Contagem 

Uberlândia é hoje a terceira cidade de Minas Gerais em número de Microempreendedores Individuais (MEIs), com 30.549 registros até junho deste ano, segundo mapeamento de formalização realizado pelo Sebrae Minas com dados da Receita Federal. Ainda de acordo com o estudo, dos mais de 1,3 milhão de pequenos negócios mineiros optantes pelo Simples Nacional, 813 mil são MEIs. 
Apenas a Região Metropolitana de Belo Horizonte corresponde a 31% dos formalizados em todo o estado. A capital mineira lidera o ranking das formalizações com mais de138 mil MEI, seguida de Contagem (31 mil), Uberlândia (30 mil), Juiz de Fora (24 mil) e Betim (18 mil). “O potencial econômico somado ao grande contingente populacional que a cidade atrai, seja de pessoas em busca de trabalho, compras, ensino universitário ou lazer, justifica a classificação de Uberlândia diante dos demais municípios”, explica o consultor do Sebrae Minas, Marcílio Ribeiro.
Os setores de serviço e comércio somam juntos 74% dos MEIs no estado. São quase 600 mil formalizados nesses dois segmentos. As atividades que lideram o ranking de formalização são: cabeleireiro, manicure e pedicure (73 mil), comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (64 mil), obras de alvenaria (39 mil), bares (23 mil) e lanchonetes (22 mil).

Perfil
Ainda segundo o levantamento do Sebrae Minas, do total de formalizados no estado 53% são homens e 47% mulheres. Porém, elas são mais da metade dos formalizados nos setores da indústria e de serviço. Por outro lado, no setor da construção civil, as mulheres ainda têm pouca representatividade com apenas 5% dos formalizados.
Os dados mostram, ainda, que em 20 das atividades permitidas para formalização, elas representam 100% dos MEIs. Entre essas atividades, elas são totalidade em ocupações curiosas como: comércio por atacado de motocicletas e motonetas; atividades de gravação de som e de edição de música; suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação e clubes sociais, esportivos e similares.

Inadimplência
Em janeiro de 2018, os MEIs em débito com o pagamento de tributos nos últimos três anos e que não entregaram as Declarações Anuais do Simples Nacional (DASN-SIMEI) tiveram seus CNPJ excluídos do Simples Nacional. Em Minas Gerais, 117 mil CNPJ foram cancelados. 74% dos MEIs excluídos foram dos setores de comércio e serviço. Apesar da exclusão, no primeiro semestre deste ano, foram contabilizadas 75.693 novas formalizações, totalizando 813.349 MEIs.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Uberlândia atingiu a marca de 30 mil MEIs
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial