sexta-feira, 20 de julho de 2018

Lucro líquido e base pós-paga em alta marcam segundo trimestre


Ao divulgar os resultados do segundo trimestre, a TIM reforça a consistência do seu desempenho financeiro e operacional. O lucro líquido reportado mantém trajetória ascendente, com crescimento de 53,2% na comparação do ano, totalizando R$ 335 milhões. A melhoria contínua do mix da base é outro destaque do período. O segmento pós-pago atinge 33,7% do total de usuários e soma 19,1 milhões de clientes, um aumento de 20,5% em relação ao 2T17.
O EBITDA normalizado(1) mantém crescimento na casa de dois dígitos, totalizando R$ 1.567 milhões, incremento de 12,7% ano a ano. A margem EBITDA normalizada(1) alcança 37,6% no período. Contribuem para estes resultados a receita de serviços móveis, que aumenta 5,7% ano a ano, e a receita de ultra banda larga, com evolução de 41% na comparação com o trimestre anterior.
No segmento residencial, a TIM registra 423 mil usuários de ultra banda larga, alta de 21,5% na comparação anual. O ARPU de TIM Live avança 12,7%. A empresa começa a acelerar a transição da tecnologia FTTC (Fiber to the Curd) para FTTH (Fiber to the Home), que já está disponível em três cidades, com 569 mil domicílios endereçáveis.
A boa performance da companhia também é fruto dos sólidos investimentos em infraestrutura. A TIM segue líder em cobertura 4G, alcançando 3.138 cidades e 92% da população urbana do país. Mais de um terço destes municípios já conta com ativação da tecnologia na frequência de 700 MHz garantindo uma melhor experiência de navegação.
“A mudança do perfil da base de clientes e a aposta na evolução da rede 4G trouxeram mais resiliência ao negócio da TIM. Com isso, estamos preparados para a execução dos nossos objetivos, mesmo em um cenário de maior instabilidade. Seguimos com o plano de investimentos e focados na expansão da nossa infraestrutura para oferecer cada vez mais uma melhor experiência para os clientes, tendo como premissas um portfólio completo e inovador e a digitalização nas interações com os usuários”. Stefano de Angelis CEO da TIM Brasil.

Foco na experiência do cliente
A ampliação da base de valor e a qualidade do mix de clientes são destaques do segundo trimestre. A operadora fecha o período com 19,1 milhões de usuários pós-pagos, resultado da adição líquida de 3,2 milhões de linhas no segmento. No pré-pago, a aposta são as ofertas recorrentes. Usuários dos pacotes semanais e mensais já representam 32,7% da base total, um crescimento de 93,7%. Como consequência, a receita média por usuário (ARPU) avança 13% ano a ano, atingindo R$ 21,9.
Os smartphones alcançam uma penetração total de 83,9% da base em junho de 2018, o que reforça a estratégia da TIM de equipar seus clientes com aparelhos 4G e, assim, oferecer uma melhor experiência de navegação móvel e a digitalização no relacionamento com os usuários.
O número de clientes que buscam atendimento pelo app MEU TIM e website, por exemplo, cresce acima de 60% em relação ao segundo trimestre de 2017.
Adicionalmente, as vendas digitais no pós-pago têm alta de aproximadamente 85% na comparação ano a ano.

Melhor e maior cobertura 4G
Líder na cobertura de quarta geração, a TIM chega com a tecnologia a 3.138 cidades. O número de usuários 4G alcança 31,3 milhões no segundo trimestre, um aumento de 39,8% em relação ao 2T17. O reflexo dessa evolução está no percentual do tráfego de dados que já acontece nessa rede: 68%. Novamente, o relatório da OpenSignal aponta a rede 4G da TIM como a mais disponível nacionalmente.
Em paralelo, a TIM expande a utilização da frequência de 700 MHz, licenciada em 1.131 cidades, sendo 24 capitais, incluindo Rio de Janeiro, Curitiba, Goiânia e Porto Alegre. Já o VoLTE (voz sobre rede LTE) está disponível em 1.559 cidades, garantindo eficiência e alta definição nas chamadas de voz. No início de julho, 5 milhões clientes já utilizavam a tecnologia, um marco entre os países da América Latina.
A maior rede 4G do Brasil possibilita a TIM diversificar e expandir sua estratégia de negócios. Como exemplo, a cobertura do serviço de internet residencial que funciona na tecnologia LTE (WTTX) chegou a mais 20 municípios e está em 87 cidades em todas as regiões do país. Além disso, a rede de fibra óptica apresenta avanço de 8,3% ano a ano, suportando a expansão da ultra banda larga residencial, agora mais focada na tecnologia FTTH, que leva a fibra até a casa do cliente.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Lucro líquido e base pós-paga em alta marcam segundo trimestre
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial