quarta-feira, 20 de junho de 2018

Doenças de pele são mais comuns no inverno


No inverno, além de gripes e resfriados, é muito comum a ocorrência de doenças de pele. Isto acontece porque na estação mais fria nosso corpo produz menos suor, e a oleosidade natural da pele é o que protege contra a entrada de bactérias, poluentes do ar, fungos e vírus. Existe ainda um aumento de banhos quentes, o que deixa a pele mais seca e favorece na dimuição da proteção natural. Abaixo, listamos as cinco doenças mais comuns no inverno.
 Dermatite atópica: é mais comum em crianças, principalmente as que apresentam algum tipo de alergia respiratória. Esses pacientes têm deficiências na barreira da pele e, consequentemente, apresentam uma proteção contra infecções e irritações reduzidas, agravando a desidratação da pele. Esta doença provoca coceira e até lesões mais graves, que podem formar crostas e soltar secreções. Por isso, deve-se caprichar no uso de hidratantes específicos;
            Dermatite seborreica: conhecida pelo aparecimento de placas que descamam, como a caspa no couro cabeludo e/ou na pele, sendo mais frequente no rosto, tronco e costas. O problema acontece com mais frequência no inverno, devido aos banhos quentes e demorados, que se tornam frequentes;
            Psoríase: é uma doença inflamatória crônica, que pode acometer a pele, causando placas descamativas, as unhas ou o couro cabelo e, em casos mais graves, afeta também as articulações. A hidratação adequada ajuda a aliviar as crises da doença.
            Rosácea: doença de pele comum, causada por microvasos na superfície da pele que inflamam. Os sintomas envolvem áreas de flushing (vermelhidão e forte rubor) na pele, lesões granulomatosas, pápulas, pústulas, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo. Com o tempo seco as micropartículas de poeira e poluição ficam em suspensão no ar e irritam mais essa pele, que já é sensível e reativa.
Xerose cutânea: uma das principais características dessa doença é a pele excessivamente seca. Isso é causado pela falta de água na pele, que pode ser decorrente do envelhecimento (xerose senil) ou por doenças subjacentes como hipotireoidismo, ictiose, diabetes, podendo tornando-se áspera, grosseira ou descamar.
 Enfim, ao perceber qualquer alteração na sua pele, principalmente no inverno, é preciso procurar um dermatologista para identificar os problemas e te orientar quanto ao tratamento mais adequado. Nunca pegue pomadas e cremes de tratamento de outras pessoas. Remédios sem prescrição médica podem agravar ainda mais os sintomas.

Dr.ª Camila Laranjo Marques - Dermatologista

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Doenças de pele são mais comuns no inverno
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial