sexta-feira, 11 de maio de 2018

Insegurança faz seguradoras cobrarem mais na hora de fechar contrato com transportadoras de cargas



 A situação de insegurança enfrentada pelo setor transportador está atingindo índices alarmantes. Os roubos de cargas e os ataques ao transporte rodoviário de passageiros estão afetando a atividade transportadora em todo o país.
Segundo a Confederação Nacional do Transporte – CNT, os prejuízos financeiros acumulados pelos transportadores são de, aproximadamente, R$ 18 bilhões. Por conta disso, o transporte de cargas tem ficado cada vez mais caro.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Transportadores de Carga do Triângulo Mineiro – SETTRIM, Abud Cecílio, as seguradoras têm cobrado preços mais altos para empresas, principalmente as que fazem rotas em São Paulo e Rio de Janeiro, por conta dos altos índices de roubos na região. “Os dois estados correspondem a quase 80% dos roubos de todo o Brasil, que no estado de São Paulo, acontecem num raio de 150km”, afirma Abud.
As ocorrências são tantas que chegam a impedir a movimentação de cargas e de passageiros em algumas regiões, dificultando o escoamento da produção, o abastecimento das famílias e o pleno desempenho de diversos setores da economia.
No Triângulo Mineiro, o roubo de cargas sofreu uma redução de 27% de 2016 até hoje por conta de operações da polícia. Porém essas operações fizeram com que o número de crimes no estado de Goiás aumentasse, principalmente na região da divisa com Minas Gerais.
“Precisamos criar uma legislação de combate ao receptador em nosso Estado e leis mais severas contra esse tipo de crime”, finaliza Abud.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Insegurança faz seguradoras cobrarem mais na hora de fechar contrato com transportadoras de cargas
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial