quarta-feira, 18 de abril de 2018

Uberlândia concorre ao Comida di Buteco com receitas caseiras e mineiras


São 17 bares no páreo pelo melhor petisco 

Começou a temporada mais gostosa nos botequins. Em Uberlândia, concorrem ao prémio de melhor petisco 17 bares tradicionais e autênticos de diversas regiões da cidade. O concurso, que segue até o dia 6 de maio, está de dar água na boca. O valor máximo a ser cobrado pelo tira-gosto em todo o país é de R$ 25,90. Para o coordenador regional do Comida di Buteco, Thiago Gentil, o mais legal é a democratização, já que o teto de valor fomenta a movimentação nos bares e é um atrativo para o público e para os donos dos botecos.
            O Bar Alfaiataria, marca sua estreia com a linguiça de porco com jiló, acompanhada chips de pão de queijo, farofa de manteiga de garrafa e catchup de goiabada picante. Já o Butekão apostou na bisteca bovina com batata sauté.
            O bar das Américas inovou e trouxe bolinhos de batata e mandioca com carne desfiada, recheados com queijo provolone.
            O Bar do Betão, que já apresentou pratos inusitados, veio forte com a tilápia inteira frita servida com molho de mostarda com creme de leite e molho a base de shoyo.
            Para que gosta de bolinho de milho, não pode deixar de experimentar o petisco encontrado no Bar do Carlinho. O bolinho vem com frango, queijo e cuscuz, e acompanha molho picante. “O Comida di Buteco sempre é bom. Nós preparamos bem a equipe, aumentamos o número de atendentes e tentamos fazer a diferença com um prato bem aceitável. Graças a Deus, mais uma vez estamos muito satisfeito com o que tem acontecido até agora foi só elogios”, disse José Carlos Alves de Medeiros, dono do bar.
            Outro bar que concorre ao título de melhor petisco é o do Dudu, com bolinhos de mandioca recheados com queijo, requeijão e carne seca.
            De acordo com o coordenador regional do Comida di Buteco, Thiago Gentil, o objetivo do evento é valorizar a cozinha familiar. “São receitas simples, mas tradicionais, com temperos e um toque especial guardado a quatro chaves. Tudo para atiçar ainda mais o paladar e esquentar páreo. Tem gente investindo em música ao vivo, caprichando no atendimento, na limpeza do ambiente, tudo para fazer bonito”, afirmou.
            E tem mesmo iguaria pra todo gosto. O Bar do Sô Creysson investiu na moela dourada com açafrão, alho e cebola, acompanhada de pão francês.
            Já o Baroa, incrementou a bananinha bovina. O prato é ao vinho tinto e queijo gorgonzola e acompanha mandioca cozida e farofa de banana frita com bacon.
            O Celeiro apostou nos cubos de file de peito de frango, envolvidos com molho especial com catupiry, empanados e fritos no palito. Para dar aquele toque final, compõe o prato, geleia agridoce de pimenta dedo de moça, creme de alho e molho tártaro.
            Outro prato com cupim é o do Chefe Espeto. O petisco é um croquete de cupim serenado, que vem com molho de pimenta biquinho defumado e molho do chefe.
            O Bar Curcinos optou pela carne suína deitada em cama de pão de queijo coberta com molho de macaxeira e queijo canastra, folhas e ervas. Acompanhamento de molho do chef.
            O forte mesmo são as carnes. O Dom Coelho traz carne de boi e frango na chapa, com batata tipo bolinha, cebolinha pérola, tomatinho cereja e pimenta dedo de moça. Acompanha molho gourjon.
            O Mussa Petisqueira todo o ano traz uma surpresa. Dessa vez, o rocambole de frango recheado com muçarela e tomate seco será a aposta da edição 2018. “O petisco tem sido um sucesso. Aos fins de semana o movimento é bom. Para atrair o público, além do boca a boca, estamos divulgando em nossas redes sociais”, disse Wellington Mussa, do Mussa Petisqueira. 
            O Nosso! Que também participa pela primeira vez, escolheu as almôndegas recheadas com queijo minas meia-cura e cobertas com bacon.
            Outro prato que concorre ao prêmio é o cupim a moda da casa do Bar Point do Mercado, servido na chapa de ferro com purê de cambotiá. O petisco acompanha brusquetas à marguerita, e molho de cerveja com açúcar mascavo.
            O Santa Cana Bar investiu no misto de empanados (muçarela trança + maia) acompanhados dos molhos xeque (alho) e mate (limão siciliano com mel)
            No páreo pelo prêmio também está à copa lombo marinada, pré-cozida, pincelada com molho agridoce picante. Esta iguaria é do Spettus e é servida com queijo provolone e tomate assado com chimichurri. 
     A expressão 'Buteco', com 'U', explica Thiago, remete a maneira carinhosa na qual os mineiros chamam aqueles bares com comida boa, ambiente simples e aconchegante.

Para votar
            O público e um corpo de jurados visitam, votam e elegem o campeão. O voto do público vale 50% do peso total e o dos jurados, os outros 50%. Na segunda etapa, em junho, uma comissão de jurados vai aos campeões de cada cidade. Elege-se aí o melhor do Brasil, que será conhecido e premiado no mês de julho.
            São quatro quesitos, todos com notas de um a dez:
Petisco: Carro-chefe do concurso, o prato tem peso sete. Deve-se avaliar não só o sabor, mas também a apresentação e a proposta (como a originalidade, a concepção e o tamanho);
Temperatura da bebida: cervejas ou chopes estupidamente gelados valem nota dez e têm peso um. Os adeptos do suco ou do refrigerante podem e devem votar também.
Atendimento: Atenção, gentileza e agilidade garantem a nota máxima, que entra na conta com peso um. É importante verificar também se os garçons falaram espontaneamente do concurso e se a urna está em local visível.
Higiene: Não é necessário dar uma checada na cozinha, mas uma passadinha no banheiro é de lei. Tem peso um.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Uberlândia concorre ao Comida di Buteco com receitas caseiras e mineiras
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial