quarta-feira, 18 de abril de 2018

Tecnologia ajuda na segurança no campo


Empresa de Uberlândia lança App gratuito com botão de emergência para produtores rurais. 

A falta de segurança é hoje uma das maiores preocupações de quem vive na zona rural. Segundo levantamento da Polícia Militar, em 2015 ocorreram 430 furtos a propriedades rurais na área de abrangência da 9ª Região de Polícia Militar. No ano seguinte, o número de ocorrências registradas subiu para 501. Já os casos de roubos, que envolve algum tipo de ameaça às vítimas, passaram de 41 para 52 no mesmo período.
Para quem mora na cidade e não é acostumado a transitar por estradas rurais, o problema é outro: a falta de informações precisas sobre rota e localização das propriedades.
Assim como já acontece na cidade, a tecnologia de geoprocessamento está contribuindo para mapear estradas rurais e dar mais segurança ao homem do campo.
O trabalho pioneiro é de uma empresa de Uberlândia que há vários anos iniciou o desenvolvimento de um sistema de navegação integrada o qual é possível traçar rotas precisas no campo e ainda obter informações sobre as propriedades rurais, como área e atividade.
Focado na segurança física e patrimonial do produtor rural, o sistema se transformou em um programa que hoje recebe o nome de ‘Rede de Fazendas Protegidas’, e já está implantado em cerca de 200 municípios de Minas Gerais com mais de 250 mil propriedades cadastradas. A previsão é de que, até o fim deste ano, 50% de todo o Estado de Minas Gerais esteja mapeado.
Para Mell Prates, diretor-proprietário da Earth Brasil, empresa responsável pelo trabalho, o programa se desdobra em um aliado também da segurança alimentar do Brasil, uma vez que proporcionando segurança ao produtor evita sua migração para as cidades. “Cerca de 70% dos alimentos produzidos no Brasil vêm de pequenas propriedades. É preciso criar condições de segurança para que esses pequenos produtores permaneçam no campo”, comentou Prates. 

BOTÃO DE EMERGÊNCIA
O sistema de geoprocessamento ganhou recentemente um aliado na área da segurança. Todos os produtores dos municípios onde o Programa Rede de Fazendas Protegidas está implantado já têm acesso a um aplicativo que pode ser baixado gratuitamente pela internet, e cujo objetivo é auxiliá-los em casos de emergência.
Aparecida Nunes, que é produtora rural em Patrocínio, no Alto Paranaíba, já sofreu dois assaltos em suas propriedades. Em um deles, invadiram a casa e levaram pertences. Em outro, levaram uma camionete, fazendo seu pai e marido de reféns. “O aplicativo é uma segurança a mais pra gente e uma forma do socorro chegar mais rápido”, avaliou a produtora que já baixou o App para seu celular.
Em caso de emergência, a pessoa pode acionar Polícia Militar e Samu apertando apenas um botão no aplicativo do celular. Quando o botão é acionado, as autoridades recebem a localização precisa do chamado instantaneamente, o que proporciona um atendimento mais rápido.
“Se a cidade ainda não faz parte do Rede de Fazendas Protegidas, a pessoa pode baixar o App e fazer a solicitação mesmo assim, pois vamos tentar incluir o seu município na rede”, detalha o diretor comercial da Earth Brasil, Plinio Pereira.
A lista completa dos cerca de 200 municípios integrados à Rede pode ser conferida no site www.earthbrasil.com.br.

INTEGRAÇÃO: Parceria com a Polícia Militar, prefeituras e sindicatos rurais
A integração das cidades ao programa Rede de Fazendas Protegidas e, consequentemente, a utilização do aplicativo de segurança dependem da parceria com prefeituras, sindicatos rurais e Polícia Militar. “Em todos os municípios onde o programa está implantado dependemos da ação conjunta desses órgãos, pois em geral os sindicatos são os pontos de apoio a quem o produtor vai procurar para fazer seu cadastro no programa, e a Polícia Militar será treinada para navegar no sistema”, conta Plinio Pereira.
Dados oficiais da Polícia Militar demonstram a redução de até 60% da criminalidade em algumas das localidades onde o Programa Rede de Fazendas Protegidas está implantado, chegando a 100% em alguns municípios.
“O trabalho dentro do Programa Rede de Fazendas Protegidas é a base da eficiência de muitos processos realizados hoje no 46º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais. É um trabalho sério, fruto de parceria e que serve de exemplo a ser adotado em todas as regiões de Minas Gerais e até em outros estados brasileiros", disse o Coronel Jarbas de Sousa Silva, comandante da 10ª Região de Polícia Militar de Minas Gerais, que tem sede em Patos de Minas e atende a 23 municípios mineiros.
Na avaliação do prefeito Netinho, de Paraguaçu, cidade no sul de Minas também integrada ao Rede de Fazendas Protegidas, o sistema proporciona benefício a todas as partes envolvidas. “Todo gestor público preocupado com a segurança do seu município precisa fazer parte desta rede. Em Paraguaçu, estamos todos satisfeitos, tanto prefeitura, polícia, sindicato, quanto produtor rural”, ressaltou.
Uberlândia e Uberaba, que são os dois maiores municípios do Triângulo Mineiro, ainda não fazem parte da Rede, mas os respectivos sindicatos rurais estudam a possibilidade de integração ao programa.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Tecnologia ajuda na segurança no campo
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial