segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Cresce o número de empresas que investem em serviços de segurança digital


Vendas das soluções Anti-DDos e SOC oferecidas pela Algar Telecom para o segmento B2B quase triplicaram em 2017. Gartner prevê mais crescimento em 2018. 

As invasões e falhas na segurança digital ocorridas em 2017 levaram ao roubo de dados de empresas e pessoas em várias partes do mundo. De acordo com o Gartner, a preocupação das organizações com as ameaças cibernéticas devem levar um aumento de 8% nas despesas mundiais com segurança da informação em 2018. A estimativa é que o valor total ultrapasse os US$ 96 bilhões.
A repercussão recorrente dos ataques nos noticiários, aliada a uma reformatação no portfólio, levaram a Algar Telecom - empresa de telecomunicações do grupo Algar - a quase triplicar o número de clientes de serviços de segurança da informação em 2017, incluindo pequenas, médias e grandes empresas.
Uma das soluções oferecidas pela companhia é o Anti-DDos. Durante um ataque de DDos - ou ataque de negação de serviço -, vários pedidos de acessos são enviados a partir de diversos pontos da internet, o que pode deixar o serviço instável ou indisponível. "Esse serviço filtra e bloqueia pacotes de dados maliciosos que entram na rede do cliente", explica Rogério Garchet, diretor de Marketing da Algar Telecom.
A análise do tráfego é feita pela equipe de segurança da Algar Telecom, que é dedicada para identificar e combater esse tipo de incidente. O cliente pode acompanhar e até gerenciar as notificações por meio de uma plataforma. "O maior benefício é que a empresa que contrata a solução não precisa ter uma estrutura própria para esse tipo de ataque e nem arcar com o custo de treinamento de profissionais da área. É uma alternativa econômica e eficiente", afirmou o executivo. O serviço é disponibilizado em parceria com a Arbor, líder mundial em soluções Anti-DDos.

Proteção contra invasões
Já Gerenciamento de Segurança (SOC) oferece três níveis de serviço que se adequam ao porte e às necessidades da empresa: gerência e controle; políticas de segurança; e controle de invasão. O último nível conta com o IPS (Intrusion Prevention System), que examina o tráfego de rede para prevenir vulnerabilidades, com detecção de anomalias através de parâmetros calibrados por uma equipe especializada. 
"O IPS contempla várias 'vacinas' aplicadas na medida em que surgem novos tipos de vírus. É uma solução é bem completa e previne todos aqueles ataques de sequestro de dados que foram recorrentes no ano passado", ressalta Garchet. A parceria é com a Fortinet e o serviço engloba também antivírus, antispam, bloqueio de sites, acesso remoto ao ambiente corporativo, controle de rede e balanceamento de tráfego.

Dispositivos pessoais
No segmento B2C, a Algar Telecom oferece o Hero, que reúne aplicativos para proteger os dispositivos pessoais de ataques pela internet. Fazem parte da cesta de soluções do Hero: antivírus com localização antirroubo; wi-fi seguro, que protege o dispositivo nas conexões em redes públicas; nuvem para armazenamento de arquivos; e aplicativo para monitoramento de acesso em dispositivos usados por crianças.
"É possível observar que as empresas estão mais conscientes em relação à necessidade de proteger os dados, mas quando se trata de uso pessoal e até microempresas, ainda há uma preocupação maior com a conectividade do que a com a segurança", avalia Garchet. Para estimular a utilização de serviços de segurança digital, a Algar Telecom vai realizar campanhas educativas ao longo de 2018 focadas no usuário final.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Cresce o número de empresas que investem em serviços de segurança digital
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial