quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Janeiro Branco: microfisioterapia é aliada ao cuidado da saúde mental



Técnica aplicada por fisioterapeutas estimula a autorregulação do corpo e trata doenças como depressão e síndrome do pânico

Início do ano é tempo de repensar a vida, criar metas e – por que não – cuidar das emoções.  Para reforçar esse clima de reflexão, a campanha Janeiro Branco visa colocar a saúde mental em evidência. Uma das questões que vem ganhando relevância ultimamente é a relação entre emoções e patologias, que já teve comprovação científica. O que muitas pessoas ainda não conhecem é a microfisioterapia, técnica manual de origem francesa que identifica e trata as causas primárias de um sintoma e é uma aliada no tratamento de doenças mentais.
            De acordo com a fisioterapeuta Drª Janaina da Costa, primeira profissional de Uberlândia a concluir o módulo mais avançado da formação em microfisioterapia, quando a pessoa sofre um trauma psicológico, seja um rompimento, uma briga, um ambiente nocivo, ou qualquer forma de estresse, há um registro nas células do organismo. Essas cicatrizes provocam sintomas que afetam a saúde mental, como distúrbios de sono e hormonais, fobias e outros problemas graves.
            “Essas marcas, que chamamos de memória, atrapalham o funcionamento dos tecidos e órgãos do corpo. O único caminho possível para interromper esse ciclo é a medicina integrativa, que trata corpo, mente e emoções”, explica Drª Janaina. Segundo ela, a microfisioterapia permite a identificação entre origem e causa. “É como se o corpo humano fosse um mapa que o terapeuta percorre para descobrir as regiões afetadas por essas cicatrizes. Ao identificarmos esses pontos, nós os estimulamos para proporcionar a autorregulação do organismo”.
            Ainda segundo a fisioterapeuta, cada pessoa reage de forma diferente a um mesmo tipo de trauma. Porém, a microfisioterapia atua para que o corpo encontre o caminho da autorregulação, restabelecendo as funções do organismo, eliminando as doenças e promovendo a saúde, tanto mental quanto física.

Tratamento
A microfisioterapia é aplicada em sessões com aproximadamente uma hora de duração e intervalos de 30 a 90 dias entre uma consulta e outra. “Esse tempo é necessário, justamente, para que ocorra a autorregulação, que é estimulada através das microapalpações”, explicou a fisioterapeuta. Em geral, o alívio dos sintomas ocorre já na primeira sessão. É indicado também a ingerir muita água, evitar o uso de medicamentos e não fazer esforços nos primeiros dias, para que o corpo se restabeleça e elimine as memórias de maneira natural.  

Indicações
São vários os problemas de saúde que podem ser tratados com a ajuda da microfisioterapia, que vão desde doenças já estabelecidas, como depressão e síndrome do pânico, até distúrbio do sono, fobias, falta de concentração, hiperatividade e traumas emocionais diversos. A técnica também pode tratar dores físicas e pode atuar na prevenção de doenças. “É importante enfatizar que a microfisioterapia não se opõe à medicina e à fisioterapia. Trata-se de uma técnica complementar muito eficaz, que vem proporcionando excelentes resultados, especialmente para pacientes que já tentaram diversos tratamentos com resultados parciais, sem alcançar a cura”, concluiu Drª Janaina.

Sobre a Drª Janaina da Costa
Com mais de 20 anos de carreira, a fisioterapeuta Janaina da Costa investiu, ao longo dos anos, em especializações e novas formações - nacionais e internacionais -, aliadas à constante prática clínica. É a primeira profissional de Uberlândia a concluir o módulo mais avançado de microfisioterapia, o chamado P9.  Além disso, possui formação em leitura biológica, terapia manual e postural, posturologia (palmilhas posturais), terapias quânticas e homeopatia.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Janeiro Branco: microfisioterapia é aliada ao cuidado da saúde mental
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial