terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Como está a saúde dos seus olhos?

Hospital Santa Genoveva conscientiza sobre os principais problemas de visão 

Quando falamos em cuidados com a saúde e exames preventivos, poucas pessoas se preocupam, também, com a visão. Esquecem que a consulta periódica com um oftalmologista é essencial para prevenir problemas oculares, que podem ocorrer em qualquer fase da vida.
Para o Oftalmologista com foco em Retina Clínica e Cirúrgica, Catarata e Uveítes do Hospital Santa Genoveva, Guilherme César Naves Borges, as principais doenças oculares, conhecidas como vícios refrativos, podem ser descobertas nas consultas de rotina. “Os problemas mais comuns encontrados são os vícios de refração (miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia) e a partir da quinta década de vida, além do mencionado tem-se o aumento da prevalência do aparecimento de catarata, glaucoma, retinopatia diabética e degeneração macular relacionada à idade. Os vícios de refração são corrigidos com óculos, lentes de contato e cirurgia refrativa a laser. A catarata, por exemplo, é uma patologia relacionada ao envelhecimento biológico, porém alguns hábitos como tabagismo, diabetes, uso crônico de corticoides e exposição solar prolongada aceleram o surgimento e progressão”, comenta o oftalmologista.
De acordo com Censo Oftalmológicorealizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) divulgado em 2014, a população míope é estimada entre 22 e 72 milhões de indivíduos, enquanto a hipermetropia atinge aproximadamente 68 milhões de pessoas e a presbiopia, 37 milhões.
Segundo dados da Agência Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em 2015, que 6,2% da população brasileira possui alguma deficiência. Desse número, cerca de 3,6% tem algum tipo de deficiência visual, sendo mais comum entre as pessoas com mais de 60 anos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o Brasil tenha aproximadamente 1,2 milhões de cegos, dos quais cerca de 700 mil poderiam ter essa condição evitada ou revertida, caso recebessem o tratamento adequado a tempo. Dados da OMS indicam que em 2020 existirão 75 milhões de pessoas cegas no mundo.
Para o médico, é possível identificar algumas infecções que podem levar a comprometimento visual do feto durante o exame de pré-natal. “A rubéola é a principal causa de catarata congênita. Toxoplasmose pode ser transmitida para o feto durante a gestação e levar a um comprometimento bilateral da mácula (área mais nobre da retina) e causar cegueira permanente. Por último, temos o vírus da Zika que tem sido relacionado a vários casos de cegueira permanente em recém-nascidos por comprometimento da retina”, afirma Guilherme.
O oftalmologista salienta que a idade ideal para procurar o oftalmologista é  a partir do nascimento, quando realizam o exame de fundo de olho, importante para descartar doenças no recém-nascido como: catarata congênita, toxoplasmose ocular, glaucoma congênito e tumores oculares. “A hereditariedade está relacionada em algumas formas de glaucoma, miopias ditas patológicas, algumas formas raras de tumor ocular e em algumas distrofias retinianas (entidades raras que acometem a retina que levam a perda progressiva da visão). As patologias visuais podem acometer pacientes em todas as fases da vida, porém são mais prevalentes a partir da quarta década de vida”, disse.

Para Naves, os sintomas mais comuns podem variar de acordo com a patologia, a partir de embaçamento da visão em casos de vícios refracionais, até escurecimento completo por descolamento da retina. “As doenças oculares em sua maioria causam baixa de acuidade visual. Algumas doenças de alta prevalência são silenciosas e que se não diagnosticadas e tratada precocemente, podem levar perda irreversível da visão”, finaliza o médico.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Como está a saúde dos seus olhos?
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial