terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Bebida e trânsito não combinam

Com as festas de fim de ano os sentimentos de fraternidade, companheirismo e compaixão ficam à flor da pele. Chamamos isto de espírito natalino, que é quando as pessoas estão mais propensas a fazer o bem, a perdoar e a compreender a situação do próximo. Além disso, as festas e feriados prolongados fazem com que o indivíduo beba e coma mais que o necessário. Exageros são comuns nesta época do ano.
De acordo com o clínico do Hospital Santa Clara, Dr. Alessandro Carvalho, nestas datas tudo é possível; reencontros, reconciliações, reconhecimentos, homenagens aos que se destacaram no ano ou trabalho, lembranças carregadas de sentimentos por aqueles que já se foram - literalmente uma explosão de emoções.
E como quase tudo na vida é regado à uma boa bebida. Pré-requisito básico na composição da boa mesa e na perpetuação do costume que atravessa séculos de tradição nas famílias. Fica a dica: Não estrague tudo!
“Os efeitos, do suposto "barato", que o álcool promove é efêmero e muito tênue à embriaguez. Na natureza, bem como no interior do organismo humano, - o álcool tem dentre as suas principais características - a volatilidade, ou seja, num curto espaço de tempo o álcool pode levar a pessoa à embriaguez. Portanto, brinde muito, beba pouco e não dirija”, comentou Dr. Alessandro.


Compartilhar

Postagens Relacionadas

Bebida e trânsito não combinam
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial