segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Endometriose acomete cada vez mais as mulheres



Controle da doença permite uma melhor qualidade de vida às pacientes, além de possibilitar uma gravidez saudável.

Uma das doenças ginecológicas que mais têm levado as mulheres aos consultórios médicos é a endometriose. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% e 15% das mulheres em idade fértil são acometidas pelo problema caracterizado pelo implante de substâncias do endométrio nos ovários, trompas e na parte externa do útero.
Fato confirmado pelo ginecologista do Madrecor Hospital de Uberlândia-MG, Dr. Wander Batista. “Cada vez mais recebemos mulheres com o problema. Em alguns casos, em função de dores abdominais fortes, em outros pela infertilidade”, afirma.
Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade. Aproximadamente 20% das mulheres têm apenas dor, 60% têm dor e infertilidade, e 20% somente infertilidade.
“É uma doença que não tem como prevenir. Por isso é importante consultar periodicamente o ginecologista que indicará exames de imagens, uma das maneiras mais adequadas para diagnosticar a doença que poderá ser confirmada, posteriormente, com exames laboratoriais específicos”, orienta Dr. Wander Batista.

Tratamento
O tratamento da endometriose pode ser feito por meio clínico ou cirúrgico, dependendo da gravidade.
O tratamento cirúrgico é feito através de laparoscopia (videolaparoscopia). Em alguns casos é possível eliminar apenas os focos da endometriose, por meio da eletrocauterização, ou as complicações que ela traz – como cistos, por exemplo. No entanto, em situações mais sérias, o procedimento precisará até remover os órgãos pélvicos afetados pela enfermidade.
Já o tratamento clínico é feito com o uso de medicamentos, como analgésicos, anti-inflamatórios e Dienogeste. Atualmente, também é possível reduzir os sintomas utilizando o DIU com levonorgestrel.
“O melhor tratamento é associação do clinico com o cirúrgico”, destaca Dr. Wander Batista.

Gravidez
Entre 30% e 40% das mulheres estéreis são acometidas pela endometriose. Todavia, a doença não impede a gravidez. “Desde que se faça um tratamento bem feito é possível que a mulher portadora da endometriose se engravide”, confirma Dr. Wander Batista.

Cura
A endometriose é uma doença que não existe cura permanente. O objetivo do tratamento é aliviar a dor e amenizar os outros sintomas, como favorecer a possibilidade de gravidez e diminuir as lesões endometrióticas.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Endometriose acomete cada vez mais as mulheres
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial