segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Conhecimento e entretenimento: 1º Congresso de Educação do Colégio Nacional proporcionou informação e divertiu pais e alunos



 “Acredito muito na parceria entre a escola e a família”, disse Maria Paula Calfat, mãe de uma aluna do Colégio Nacional sobre o "Tem Jeito Sim - 1º Congresso de Educação", que aconteceu na última semana no Castelli Master. E foi exatamente para fortalecer esses laços que o evento foi cuidadosamente preparado pela instituição, que convidou pais e estudantes para um dia diferente de aprendizado, com palestras de grandes nomes da educação brasileira, como o vice-presidente da Eleva Educação, Márcio Cohen; o líder da equipe criadora do Laboratório Inteligência de Vida (LIV), Caio Lo Bianco; a psicóloga e representante da Rede Solare, Letícia Chaves e a ex-ginasta que é um grande exemplo de superação, Lais Souza. Mas a diversão não ficou de fora: os pequenos tiveram muita música e brincadeiras ao som de Luiz Salgado e os adolescentes se deliciaram com as letras inteligentes do rapper e youtuber Fábio Brazza com quem dividiram o palco e criaram rimas.
De acordo com o consultor pedagógico do Colégio Nacional, Thome Caires, o resultado foi mais que positivo. “Tivemos muita participação tanto dos pais e alunos da Educação Infantil e Fundamental I quanto dos pais e adolescentes do Fundamental II e Ensino Médio. Foi um evento vitorioso com palestras de alto nível. Nesse primeiro congresso, demos um passo imenso para trabalhar as linguagens da escola contemporânea. Acho que o público ficou bem impressionado e abriu caminho para esse diálogo tão importante sobre as perspectivas da educação e de como a escola se posiciona nesse caminho de construção do ensino que nós tanto acreditamos”, afirma.
Para a aluna Andrea Sanchez, do Ensino Médio, eventos assim são muito relevantes. “É bastante importante pois, nessa fase em que estamos, de vestibular, temos problemas de autoestima, pensamos muito se vamos passar ou não nos concursos, então, muitas vezes a gente coloca isso como se fosse o maior problema do mundo. Mas não, tem pessoas como a Lais Souza que passou por um problema muito maior. Então isso nos ajuda a ver que a vida da gente está só começando e que temos que encarar as coisas de frente”, diz a estudante.

O que os palestrantes convidados disseram:

“Fazer parte de um evento como esse é algo muito significante. Apesar de eu não ter certeza se o meu exemplo é o melhor, eu vou dar uma dica: pra quem vai encarar os estudos por muitas horas, tem que ficar atento, a melhor forma é pegar o material, passar e repassar o conteúdo várias vezes. É preciso ter foco, as redes sociais podem atrapalhar um pouco, vai ficar no celular e vai acabar não estudando. E a atenção dos professores também é extremamente importante”, Lais Souza, ex-ginasta.

 “É importante trazer a mensagem que pode inspirar o jovem, despertar o gosto pela leitura, poesia ou até mesmo por alguma referência história ou cultural que eu acabo citando nas minhas letras. Muitos jovens vão atrás, pesquisam para saber o que é ou quem é ou apenas se impressionam com o que eu estou fazendo e falam “como eu posso fazer isso?”, aí vão estudar o que é o rap e conhecem alguns autores ou poetas. Então estou aqui para plantar a semente de alguma maneira e mostrar um pouco da minha poesia, do meu questionamento sobre a vida para que eles também possam questionar e quem sabe até escrever por conta própria. O rap é uma ferramenta que nos convida à reflexão, ao debate de certos temas que são tabus e pouco falados na sociedade e eu acho que os jovens vão ser aqueles que vão quebrar esses tabus, que vão debater e transformar a sociedade, então, estar aqui é a razão do trabalho que eu faço”, Fábio Brazza, rapper e youtuber.

 “Se a gente pensa na escola como um espaço de vida, onde ela acontece com projetos que se propõem não só os aspectos cognitivos, mas os aspectos relacionais e de transformação social também, a gente precisa considerar as famílias como parte integrante desse projeto e ela, por sua vez, precisa compreender que projeto é esse, e o que se faz enquanto educação no cotidiano da escola. Então, um evento como esse é uma oportunidade de aproximar as famílias para essa compreensão do que se pensa enquanto princípios, enquanto valores na escola, mas, sobretudo, é importante pensar também que essa participação se faz no cotidiano da escola a cada dia”, Letícia Chaves, psicóloga e representante da Rede Solare.

“Essa parceria é muito importante tanto para o Nacional quanto para nós da Eleva; temos algumas escolas que são referências em suas localidades e até nacionalmente e isso possibilita uma troca de experiências muito grande e a vantagem é que as famílias do Nacional têm a oportunidade de não só ter uma experiência educacional fantástica com a equipe da escola, mas também de trocar experiências com outras escolas do Brasil e do nosso lado a mesma coisa, porque a gente aprende muito com a experiência do Nacional também”, Márcio Cohen, vice-presidente da Eleva Educação.

“As habilidades socioemocionais que é o tema trabalhado pelo Laboratório de Inteligência de Vida (LIV), já é um tema muito forte na Europa, nos Estados Unidos, mas está engatinhando ainda no Brasil. Só que isso está chegando cada vez mais forte principalmente com a inclusão dessas habilidades na base nacional comum curricular que diz que em 2019, todas as escolas vão ter que incluí-las dentro do currículo”, Caio Lo Bianco, líder da criação do Laboratório de Inteligência de Vida (LIV).

                O Colégio Nacional já se prepara desde agora para os próximos congressos e deixa no ar o suspense de quem serão os próximos convidados.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Conhecimento e entretenimento: 1º Congresso de Educação do Colégio Nacional proporcionou informação e divertiu pais e alunos
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial