terça-feira, 26 de setembro de 2017

Infarto do miocárdio: deixe seu coração longe desta doença



 O infarto do miocárdio é a interrupção do fluxo sanguíneo que deveria chegar pelas artérias que irrigam o coração. Geralmente se dá em decorrência da ruptura da placa de gordura dentro da artéria coronária formando um coágulo. Não existe uma causa única para o infarto, trata-se de uma doença multifatorial, ou seja, vários fatores podem contribuir para que ele ocorra.
O principal sintoma do infarto é realmente a dor no peito. Primeiramente, ela começa no centro do tórax, depois vai caminhando para o ombro esquerdo ou o braço e, às vezes, chega até o pescoço. Junto com a dor, a pessoa pode sentir fraqueza, náuseas, vômito e até uma sensação de desmaio. Os sintomas podem iniciar abruptamente ou de modo insidioso, ou seja, lento. O denominado Infarto fulminante se dá quando o paciente sofre uma parada cardíaca em decorrência do infarto, que se não for prontamente revertida levará ao óbito.
De acordo com o cardiologista do Hospital Santa Clara, Dr. Rodrigo Penha, existem fatores de risco que aumentam as chances de uma pessoa ter um infarto. Os mais importantes são: a hipertensão arterial, o aumento do colesterol, o diabetes, o tabagismo e a obesidade. Estes fatores quando presentes, aumentam as probabilidades de desenvolver aquela placa de gordura no coração, explica o doutor.
A prevenção do infarto do miocárdio baseia-se na redução dos fatores de risco, ou seja, o controle adequado da pressão arterial, dos níveis de colesterol, do diabete e da obesidade. Também é muito importante, alimentar-se de maneira saudável, fazer atividades físicas e reduzir o estresse emocional. Controlando os fatores de risco diminui-se muito a chance de ter um infarto.
Ao presenciar uma pessoa com sintomas de infarto, o mais indicado a se fazer é procurar imediatamente um serviço de emergência de grande porte que tenha serviço de cateterismo ou hemodinâmica para o tratamento do infarto.
“É fundamental, primeiro, acionar o serviço de emergência, manter as portas da casa ou apartamento abertas e aguardar numa posição de fácil resgate, próximo à saída”, explica o médico. Mastigar uma aspirina enquanto não chega ao pronto socorro pode ajudar, pois o ácido acetil salicílico leva uma redução da coagulação sanguínea.
No infarto do miocárdio, é muito importante que o paciente seja atendido por uma equipe especializada de cardiologistas e, principalmente, com uma UTI unidade coronariana para que a evolução seja melhor e as sequelas sejam menores para estes pacientes. Se o infarto for atendido a tempo e o tratamento for feito da maneira adequada, o paciente pode voltar a ter uma vida normal.
“O mais importante no tratamento do infarto é o tempo. Quanto mais rápido o paciente chegar ao hospital, melhor a chance do sucesso no tratamento e melhor a chance dele sobreviver”, enfatiza Dr. Rodrigo.
Existem muitas dúvidas quando o assunto é o infarto. Importante saber que o cateterismo, é o método de diagnóstico, realizado através da introdução de finos cateteres até o coração. Já a angioplastia trata-se de um procedimento terapêutico, ou seja, após a identificação da obstrução o médico utiliza pequenos balões pelas artérias e uma prótese chamada de “stent”, desobstruindo o vaso e tornando o fluxo de sangue adequado novamente.
“É muito importante quem já sofreu um infarto fazer o acompanhamento com o médico, controle adequado dos fatores de risco, usar as medicações corretamente e fazer atividade física para evitar um novo infarto”, lembra o cardiologista.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Infarto do miocárdio: deixe seu coração longe desta doença
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial