terça-feira, 29 de agosto de 2017

Técnica inovadora salva a vida de cãozinho atropelado em Uberlândia

Tutores pensaram em fazer eutanásia devido ao estado gravíssimo do animal, mas os veterinários optaram por lutar pela vida do bichinho 

Todos os dias, o Pronto Socorro Veterinário (PSV), em Uberlândia recebe dezenas de animais que precisam ser atendidos com urgência. Entre tantos casos, um deles chamou atenção de toda equipe. Luck, um  cão da raça shih-tzu, havia sido atropelado e chegou quase morto no PSV.
O médico veterinário que o atendeu, Daniel Peixoto, contou que Luck havia perdido parcialmente os dois ureteres (Ductos que levam a urina dos rins até a bexiga). “Com isso começou a acumular urina dentro do abdome do cão, o que poderia matá-lo, caso o problema não fosse resolvido rapidamente.  Fizemos uma cirurgia de emergência para tentar restaurar os ureteres. Porém, ele teve uma parada cardíaca durante o procedimento e nossa equipe precisou agir rápido”, contou o veterinário.
A solução encontrada pela equipe foi ligar os ureteres para fora do corpo para que a urina fosse drenada. Os órgãos iriam ficar assim até que o cão se recuperasse para fazer uma nova cirurgia. “Tudo estava indo bem até que após algumas semanas, durante uma das ultrassonografias de rotina, foi observado que ele tinha perdido o rim direito devido a um acumulo de urina dentro do mesmo, chamado hidronefrose, e rim esquerdo estava comprometido também”, disse Daniel Peixoto.
Mais uma vez, a equipe do PSV precisou agir rápido e a solução encontrada foi utilizar uma técnica inovadora. A técnica recebeu o nome de Autotransplante Ureteral. “Retiramos o rim já perdido, mas preservamos o ureter do órgão. Ao invés de retirá-lo, uma parte desse ureter foi ligado ao ureter esquerdo para que ele ficasse longo o suficiente para alcançar a bexiga onde foi reimplantado. Esse método é inovador e está em processo de publicação em uma das mais conceituadas revistas de cirurgia veterinária”, contou Daniel Peixoto.
Depois disso tudo, Luck ainda passou por mais uma cirurgia, mas agora está feliz e saudável. “Os tutores pensaram em fazer eutanásia, visto ao grave estado de saúde que o cão se encontrava, mas eu consegui convencê-los a não fazer já que apesar das dificuldades e altos custos, era possível reverter o quadro e que no fim de processo eles ficariam felizes por terem tentado. Lutar pela vida sempre vale a pena!” Finalizou o veterinário. 


Compartilhar

Postagens Relacionadas

Técnica inovadora salva a vida de cãozinho atropelado em Uberlândia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial