quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Cresce desospitalização em Uberlândia

Tendência mundial, a desospitalização cresce em Uberlândia como alternativa às internações hospitalares de longo prazo, sobretudo, para pacientes crônicos. Apenas no Hospital Santa Genoveva, entre janeiro e julho deste ano, foram feitos 93 encaminhamentos de paciente para o home care. O número é quase o total de solicitações feitas ao longo de todo o ano passado, quando houve 111 encaminhamentos. Além de pacientes e familiares, que dispõem de tratamento mais seguro e humanizado, hospitais e planos de saúde também ganham.
Em países como Inglaterra e Estados Unidos, a utilização da infraestrutura de um grande hospital acontece apenas nas fases agudas e não em fases crônicas das doenças. “Em fase estável, os pacientes são desospitalizados, ou seja, encaminhados para a assistência domiciliar ou home care. O objetivo não é dar alta precoce ao paciente, mas oferecer o suporte para que o tratamento tenha continuidade com êxito em ambiente extra-hospitalar”, disse a coordenadora do serviço social do Hospital Santa Genoveva, Vanessa Amaral.
Segundo a profissional, a desospitalização tem um papel fundamental na prevenção de infecções hospitalares, no aumento da qualidade de vida de pacientes e familiares, além de contribuir para ampliar o acesso de mais pacientes aos leitos hospitalares. “Muitas vezes, o paciente fica no hospital somente para tomar medicação ou fazer curativo, o que o expõe a riscos diversos, além de aumentar a ocupação de leitos que poderiam ser usados por pacientes em estado grave de saúde, que necessitam da estrutura hospitalar”, afirmou Vanessa Amaral.
De acordo com o diretor da empresa especializada em assistência domiciliar, Med Care, Luiz Henrique Vidigal, a desospitalização só ocorre sob recomendação médica e o processo é todo acompanhado pelo médico responsável. “Uma vez em casa, além de contar com toda a infraestrutura necessária para os cuidados que o estado de saúde do paciente exige, temos profissionais que fazem observação 24h e estão em contato direto com o médico responsável, o que torna o tempo de resposta a possíveis imprevistos idêntico ao do hospital”, disse Vidigal.

Barreiras
O maior obstáculo à desospitalização ainda é cultural, segundo o diretor clínico do Hospital Santa Genoveva, Geraldo Carneiro Junior. “Embora existam empresas especializadas em assistência domiciliar, o que aumenta a segurança dos tratamentos de casa, ainda há forte resistência à modalidade de tratamento pelas famílias, que se sentem mais seguras com o paciente sendo observado no hospital. Porém, com a crescente adesão de planos de saúde ao home care, acreditamos que esta realidade pode ser transformada em breve”, afirmou dr. Geraldo Carneiro Junior.

Segundo coordenadora do serviço social do Hospital Santa Genoveva, Vanessa Amaral, cresce a autorização de solicitações de assistência domiciliar por planos de saúde. “Atualmente, cerca de 90% dos encaminhamentos feitos por médicos para o home care são aprovados”, disse Vanessa Amaral. Os planos de saúde que mais liberam atendimento domiciliar são Unimed, Cemig Saúde, IPSM, FUSEX e CASSI. 

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Cresce desospitalização em Uberlândia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial