sexta-feira, 17 de março de 2017

Prefeitura reabre leitos de UTI, de internação e recupera equipamentos do Hospital Municipal

Considerada uma das áreas prioritárias pelo prefeito Odelmo Leão, a saúde em Uberlândia tem recebido vários esforços da atual administração para oferecer um atendimento digno à população. Após dois meses de intenso trabalho e investimentos, a Prefeitura de Uberlândia reativou os 10 leitos de UTI (fechados desde janeiro de 2016), recuperou outros 70 leitos de internação (fechados desde janeiro de 2014)do Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro, além de equipamentos fundamentais como os da Central de Esterilização, monitores, aparelhos médico-hospitalarese o tomógrafo, que estava parado há quase um ano.
 O Hospital Municipal foi concebido para ser o melhor do país. Estamos trabalhando para fazer com que ele seja, novamente, uma referência em atedimento adequado e de qualidade, como tínhamos no passado. A população de Uberlânia não merecia ter o hospital na situação que encontramos. Por isso buscamos todas as soluções possíveis para colocá-lo em pleno funcionamento para atender as pessoas”, disse o prefeito Odelmo Leão.

Ativação dos leitos
 Graças aos esforços da nova gestão, por meio da Secretária Municipal de Saúde, os 10 leitos de UTI foram reativados nesta semana e já estão com pacientes. De acordo com o secretário municipal de saúde, Gladstone Rodrigues, a abertura dos leitos foi possível após o empenho da administração atual em recuperar equipamentos que garantissem o suporte e funcionamento deste leitos.
 O Hospital Municipal tem 236 leitos, divididos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), maternidade, UTI neonatal e internação clínica e cirúrgica. O projeto possibilita, ainda, a expansão da construção, que poderá comportar até 500 leitos em uma segunda etapa.
Quando Odelmo Leão assumiu a Prefeitura de Uberlândia, em janeiro de 2017, o hospital estava com 45 leitos fechados, sendo 10 de UTI e 35 de internação, por falta de infraestrutura e manutenção de equipamentos essenciais. Outros70 estavam sem receber pacientes devido à ausência de materiais e medicamentos básicos.  Aos poucos, a secretaria conseguiu adequar os estoques de insumos, por meio de compras emergenciais, e já reestabeleceu o funcionamento destes leitos para receber os pacientes. 

Recuperação dos equipamentos
 Além da reabertura dos leitos, a atual administração promoveu, também, a recuperação do aparelho de tomografia, que estava parado há quase um ano. O retorno dos procedimentos aconteceu na dia 24 de fevereiro e até o início de março foram realizados 76 exames, sendo 51 para pacientes internados no Hospital Municipal e 25 para pacientes das Unidades de Atendimento Integrado (UAIs).
 O aparelho de tomografia computadorizada estava parado desde o dia 26 de julho de 2016 devido à falta de manutenções preventivas e corretivas, que não ocorriam desde o último semestre de 2015. A ausência desta manutenção estava provocando perda significativa da fase de contraste, colocando em xeque não só o diagnóstico por imagem, bem como a exposição desnecessária à radiação e risco de acidente adverso na administração de contraste.
Buscando retomar o pleno atendimento do setor de Imagenologia, que foi considerado um dos mais modernos do país, a Secretaria de Saúde tem trabalhado para garantir que todos os pacientes que aguardam por uma tomografia realizem o procedimento. Por isso, desde o dia 6 de março o hospital passou a ofertar mais 10 vagas, passando de 20 para 30 tomografias semanais para agendamento da urgência e emergência das UAIs. A expectativa é que, em breve, com 100% da mão de obra técnica,  o aparelho volte a realizar as 400 tomografias por mês.
 Além do tomógrafo, a atual gestão já conseguiu recuperar parte dos equipamentos que são fundamentais para o funcionamento do hopsital, principalmente dos leitos de UTI. Já foram reparados 60 das 120 bombas de infusão e 11 monitores multiparâmetros dos 30que estavam inopeantes por falta de manuteção.  
 Também foram reativadas duas autoclaves (aparelho utilizado para esterilizar materiais hospitalares) e as duastermodesinfetadoras. Todos estes equipamentos compõem a Central de Esterilização e também estavam desativadas por falta de manutenção.

Mutirão cirúrgico
            Dentre outras ações da Prefeitura de Uberlândia para melhorar o atendimento à população, o Hospital Municipal também realizou uma força-tarefa na ala cirúrgica. A medida foi uma iniciativa da Secretaria de Saúde para dar assistência aos idosos, que estavam nas UAIs aguardando por cirurgia de fratura do colo de fêmur, além de outros pacientes que precisavam de cirurgia da traumatologia.
Segundo o secretário Gladstone Rodrigues, a ação adotada pela Secretaria foi emergencial diante da falta de leitos no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). No mês de fevereiro, foram 19 cirurgias de colo do fêmur em idosos e outros 26 procedimentos realizados durante os finais de semana.

“Essa medida foi emergencial para atender os pacientes que estavam aguardando por leitos no HC. Não era adequado que ficassem nas UAIs esperando por cirurgia, correndo risco de serem contaminados por outras doenças, principalmente os idosos, que têm a saúde mais debilitada. Mesmo com todas as dificuldades encontradas, sobretudo a financeira, já conseguimos realizar esse mutirão no mês passado e vamos dar continuidade nos meses seguintes”, finalizou o secretário.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Prefeitura reabre leitos de UTI, de internação e recupera equipamentos do Hospital Municipal
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial