terça-feira, 14 de março de 2017

As premiadas peças “Race” e “Oleanna” terão sessões gratuitas no Teatro Municipal de Uberlândia

Sesi no Palco e Fiemg Regional Vale do Paranaíba trazem para Uberlândia as apresentações das peças teatrais "Race" (28 de março) e "Oleanna" (29 de março).  As apresentações são gratuitas e serão no Teatro Municipal de Uberlândia, as 20 horas. Os convites são limitados e podem ser reservados pelo telefone (34) 3230 5200 e retirados no dia das apresentações no teatro. 

Espetáculo ‘Race’ discute violência contra mulher, abuso de poder e racismo
O espetáculo 'Race' é a segunda peça da Trilogia Mamet, idealizada pela CiaTeatro Epigenia. A trama conta os bastidores de um crime que envolve abuso de poder, racismo e violência contra mulher, da construção da defesa de um homem branco acusado de estuprar uma jovem adulta negra. 
Na peça, o bilionário Charles (Yashar Zambuzzi), réu em um julgamento por estupro, procura advogados para defendê-lo. O acusado é branco e a vítima, negra, assim como o são, respectivamente, Jack (Gustavo Falcão) e T.J. (Nill Marcondes). Os dois são sócios no escritório que tentará inocentá-lo, para indignação de Susan (Heloisa Jorge), advogada idealista — e negra — que trabalha com eles.
Em cena, os personagens bons de lábia e raciocínio apontam bons argumentos para todos os lados, o que deixa nas mãos do público a definição de quem tem razão.  O texto traduzido por Leo Falcão é ágil, agressivo, direto, em estado constante de confronto. É como se os advogados, por terem que manipular tanto a linguagem nos tribunais, se despissem de qualquer cortesia nos bastidores do caso no escritório. A dramaturgia constrói percepções para desconstruí-las em seguida, revelando nuances e incitando o público a pensar se realmente é 100% isento de atitudes e pensamentos de teor racista.
O espetáculo desperta inquietudes e incômodos ao botar o racismo na mesa. O fator étnico se sobrepõe à discussão do estupro. Tal temática faz muito sentido no Brasil. Ainda que se trate de um texto americano, com peculiaridades americanas, comunica diretamente com o espectador. Ao fim da sessão, ainda há, uma conversa do elenco com o público na sala, o que torna a experiência mais rica.

Oleanna' revela os problemas de comunicação entre professor e aluna
“Tudo o que você disser pode e será usado contra você’. A famosa expressão do aviso de Miranda é velha conhecida em séries e filmes policiais. Mas poderia se encaixar muito bem ao enredo de Oleanna. O subtítulo da obra - uma peça sobre poder - dá o clima do que se pode se esperar da trama onde as ‘armas’ para a luta pelo poder são as palavras proferidas.
Com direção de Gustavo Paso, a peça narra a história de uma adolescente que acusa seu professor de assédio sexual. Isso aconteceu porque ele não quis aumentar a nota da aluna em uma prova, o que a impediu de ingressar na faculdade.  A montagem promete um diálogo instigante e um final surpreendente. A ideia é criar uma reflexão sobre o poder e a incomunicabilidade entre as pessoas.
O elenco é formado por Luciana Fávero e Fernando Vieira. A primeira montagem brasileira para o texto de Mamet surgiu em 1996, e contava com a participação de Antônio e Mara Carvalho.

SERVIÇOS:
RACE – 28 DE MARÇO  Texto: David Mamet - Direção: Gustavo Paso
Elenco: Gustavo Falcão, Heloisa Jorge, Leandro Vieira e Clóvis Gonçalves / Gênero: Drama  Classificação: 14 anos – Teatro Municipal de Uberlândia – 20h.

OLEANNA – 29 DE MARÇO - Texto: David Mamet - Direção: Gustavo Paso  Elenco: Luciana Fávero e Fernando Vieira
Gênero: Drama  Classificação: 14 anos – Teatro Municipal de Uberlândia – 20h.

Eventos gratuitos: convites limitados - reserva de ingressos pelo telefone: (34) 3230 5200

Compartilhar

Postagens Relacionadas

As premiadas peças “Race” e “Oleanna” terão sessões gratuitas no Teatro Municipal de Uberlândia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial