terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Diretoria da ABCZ discute futuro da pecuária com Ministro Blairo Maggi

Na reunião estiveram assuntos como criação de uma plataforma genômica para zebuínos, a transformação do Pró-Genética em política pública e a padronização na cobrança do ITR 

O presidente da ABCZ, Arnaldo Manuel de Souza Machado Borges, e diretores da entidade estiveram em Brasília (DF) nesta terça-feira (06/12) para audiência com o Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. Na pauta da reunião entraram assuntos relativos ao futuro do setor como sustentabilidade, Índice de Produtividade; genômica, exportação , ITR e Pró-Genética.
“Foi uma reunião muito boa.  Percebemos que o Ministro conhece e reconhece a importância da ABCZ como uma entidade parceira para a promoção da pecuária brasileira e nos acenou apoio para todos os projetos que apresentamos. Saímos animados”, comemorou o presidente Arnaldo Manuel.
A reunião durou cerca de duas horas. Uma das propostas apresentadas ao Ministro foi a de transformar o Pró-Genética em uma política pública, em que o governo subsidie 50% da compra dos touros PO para pequenos produtores. Como conta o diretor da ABCZ Rivaldo Machado Borges Júnior, o projeto beneficiaria mais de três milhões de propriedades, que não têm acesso a essa tecnologia de melhoramento genético. “Nossa intenção é conseguir, a curto prazo, democratizar a utilização de animais melhoradores, formar um rebanho eficiente, alavancando a produção de carne e leite no Brasil”, comenta.
Também entrou na pauta o projeto “Genômica Aplicada à Seleção das Raças Zebuínas”. O Superintendente Técnico da Associação, Luiz Antônio Josahkian, defendeu a importância para o país da estratégia de incluir a ferramenta genômica no PMGZ (Programa de Melhoramento Genético Zebuíno). “Com ela, conseguiríamos, no mínimo, dobrar a velocidade do melhoramento genético. Um processo que já acontece em outros países, como o Canadá. Estamos muito atrasados”, afirma, informando que a intenção da ABCZ é que haja um subsidio público (estimado em R$2,5 milhões) para a formação de uma plataforma base de mapeamento genômico dos touros mais utilizados no país para que, em um segundo momento, os criadores sejam estimulados e envolvidos no financiamento particular da genotipagem dos seus animais.
O diretor Arnaldo Rosa Prata ainda aproveitou a audiência para defender o interesse dos 21 mil associados da ABCZ em criar um padrão para cobrança do ITR (Imposto Territorial Rural). “Desde 2013, uma norma técnica autoriza municípios fazerem a cobrança. Até então, a responsabilidade era da Receita Federal. Com a mudança, enfrentamos uma situação delicada de grandes variações de valores para terras situadas próximas e com a mesma qualidade”, explica. A intenção é que o governo crie um conselho para regulamentação da cobrança desse imposto.

Além dos citados, participaram da audiência acompanhando o presidente da ABCZ: o vice-presidente Carlos Viacava; os diretores Ana Cláudia Mendes Souza; Cláudia Irene Tosta Junqueira; Eduardo Falcão de Carvalho e Gabriel Garcia Cid; e o membro do Conselho Consultivo, Jorge Antônio Pires de Miranda. Na oportunidade, a comitiva reforçou o convite para que o Ministro participe da ExpoZebu 2017.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Diretoria da ABCZ discute futuro da pecuária com Ministro Blairo Maggi
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial