quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Dezembro Laranja alerta para a prevenção do câncer de pele

Chegamos ao fim do ano e neste mês de dezembro uma cor que se destaca além do tradicional vermelho de Natal é a laranja. Isso porque a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) inicia pelo terceiro ano consecutivo a campanha Dezembro Laranja, com o objetivo de alertar a população para a prevenção do câncer de pele.
O câncer de pele configura-se como o mais frequente em todas as populações. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que neste ano forma mais de 176 mil casos entre homens e mulheres. A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que, no ano 2030, existirá 27 milhões de casos novos de câncer, 17 milhões de mortes pela doença e 75 milhões de pessoas vivendo com câncer. O maior efeito desse aumento incidirá em países em desenvolvimento.
Os cânceres de pele podem ser divididos em câncer de pele não melanoma e câncer de pele melanoma. O não melanoma é o que está diretamente ligado à exposição excessiva ao sol e é o tipo mais comum. Já o melanoma é a forma mais grave da enfermidade e representa apenas 4% das neoplasias malignas do órgão.
Os dois tipos de câncer têm chances de cura elevadas, quando detectado nos estádios iniciais. Por isso, a especialista alerta para alguns sinais que devem ser investigados. “Devemos ficar de olho em pintas diferentes que aumentem de tamanho, feridas que não cicatrizam ou lesões novas. Se a pinta está crescendo, seja em elevação ou extensão, precisa ser avaliada imediatamente, pois o melanoma tem a capacidade de invadir outros órgãos como pulmão, fígado e até o cérebro se descoberto tardiamente”, alerta a dermatologista, Juliana Gumieiro.

Exposição solar
Para os dois tipos de câncer, o principal fator de risco é a exposição inadequada ao sol. A SBD divulgou uma pesquisa sobre o hábito de exposição solar do brasileiro:
•  Mais de 100 milhões de brasileiros se expõem ao sol de forma intencional nas atividades de lazer – 70% da população acima de 16 anos;
•  63% dos brasileiros (95 milhões) não usam protetor solar no seu dia a dia;
•  6 milhões de brasileiros adultos (mais de 4% da população) não se resguardam de forma alguma quando estão na praia, piscina,  cachoeira, banho de rio ou lago;
•   20% das crianças e adolescentes não se usam protetor solar adequado de forma alguma nas atividades de lazer. Se a análise incluir as classes D/E, esse percentual sobe para 35%;

Prevenção

Como forma de prevenção, a dermatologista recomenda o uso constante do protetor solar. “Devemos lembrar que existe um tipo de protetor para cada pele. O ideal é um fator de proteção de pelo menos 30, que proteja contra a radiação UVA e UVB. As peles mais sensíveis, com manchas, rosácea, entre outras, exigem um fator mais alto. O ideal é consultar um dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e ver qual seria o ideal para você”, recomenda Juliana Gumieiro.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Dezembro Laranja alerta para a prevenção do câncer de pele
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial