sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O Seu Cão Está Preparado Para Os Fogos de Artifício?

As festas de fim de ano estão chegando, e, mais uma vez, a preocupação com o estresse gerado pelos fogos de artifício. Enquanto alguns dos nossos velhinhos podem ter se tornado surdos – e, portanto, “imunes” aos fogos -, muitos deles continuam bem sensíveis a estes altos barulhos, não importa quantas vezes já tenham passado por isso.
Para diminuir o estresse do seu peludo, o ideal é que ele esteja em sua companhia na hora dos fogos (ótima dica também para passar um ano novo bem acompanhado!). Se isto não for possível, procure deixá-lo com uma pessoa de confiança. Ter alguém ao seu lado ajuda o cão a se sentir mais seguro e tranquilo.
Em relação aos barulhos, como não temos como impedir que nossos vizinhos soltem fogos, podemos adotar duas estratégias:

Dessensibilização/ Associação positiva
Este processo requer um pouco mais de tempo e dedicação, mas, se funcionar, pode resolver de vez o problema do seu cão – inclusive para outros eventos festivos e também para trovões. A dessensibilização consiste em expor o animal gradualmente ao som que o deixa assustado. Para isso, você pode usar gravações de sons de fogos de artifício e/ou trovões: há CDs feitos especialmente para isso que podem ser comprados, ou você pode encontrar sons disponíveis para download grátis na internet – o problema destes últimos é que nem sempre os sons são de boa qualidade o suficiente para simular uma situação real.
Comece num ambiente tranquilo com o seu cão, e coloque o som num volume baixo. Se ele continuar calmo, recompense – com petiscos, carinho, brinquedos ou brincadeiras: o que funcionar melhor para ele. Gradualmente aumente o volume do som e vá recompensando o seu cão conforme ele for se mantendo calmo, até chegar a um volume próximo do que seria numa situação “real”. Deixe o som funcionando por alguns minutos e então desligue.
Se em algum momento ele começar a ficar inquieto ou assustado, vá mais devagar e espere ele se acalmar antes de aumentar mais o volume. Cuidado para não recompensar o comportamento agitado do seu cão, para que ele não pense que “tem razão” em estar assustado. Evite também tratá-lo como “coitadinho” nessa hora: ele apenas ficará ainda mais ansioso. O melhor que podemos fazer neste momento é nos mantermos calmos e agir naturalmente. Você pode também fazer “festinha” para ele, ou tentar atraí-lo para uma brincadeira, tirando assim o seu foco do barulho.
Geralmente são necessárias várias sessões – o número exato varia de um animal para o outro, e também da qualidade do som utilizado: alguns simplesmente “não enganam”… 

NEUTRALIZAÇÃO

Alguns sons ajudam a bloquear os outros. Você pode tentar usar música clássica num volume alto, mas geralmente o que funciona melhor é o chamado “som branco”. Este é mais fácil de ser encontrado para download grátis na internet, sem grandes problemas em relação à qualidade do som. O “som branco” é monótono e contínuo, e lembra o barulho que um rádio faz quando está fora de sintonia ou o da chuva. Ele ajuda a neutralizar sons externos e promove o relaxamento, sendo inclusive recomendado para pessoas com insônia e bebês que acordam com facilidade.
No dia do Ano Novo (ou outros que possam ter fogos de artifício, ou trovões, por exemplo), ligue o som no local onde o cão ficará, num volume relativamente alto. Escolha um local onde o cão se sinta normalmente confortável e tenha livre acesso – em geral, onde ele dorme. Apesar de não ser garantido que o cão irá ignorar os fogos por conta do som branco, a técnica pode ajudar bastante a minimizar o estresse e a acalmá-lo.Outra vantagem dessa técnica é que ela pode ser usada “na hora”, sem necessidade de um preparo prévio do cão, como ocorre no caso da dessensibilização.

CONFORTO NA HORA “H”

Na hora dos fogos, além de estar presente (ou, pelo menos, na medida do possível, deixar “alguém” presente), procure oferecer um ambiente confortável para o seu cão. Muitos cachorros se sentem mais confortáveis em ambientes pequenos e escuros, que lembram as “tocas” em que eles habitariam se estivessem na natureza. Não prenda o seu cão, mas disponibilize para ele uma casinha ou caminha tipo “toca” onde ele possa se abrigar quando quiser. Se quiser usar a técnica da “neutralização” que explicamos acima, coloque o som branco no ambiente onde ficará a “toquinha” do seu cachorro. Se ele tiver algum brinquedo “especial”, a sua presença no local também poderá ajudar a tranquilizá-lo.
Se o seu cão ficar muito assustado e procurar por você na hora dos fogos, ajude-o a se acalmar SE mantendo tranquilo e agindo naturalmente. Ficar com pena e tratá-lo como “coitadinho” irá apenas deixá-lo ainda mais nervoso, pois ele irá entender que você – que deveria ser o seu porto seguro – está com medo também! Para ajudá-lo a se acalmar, procure mudar o foco dele para outras coisas, como uma brincadeira ou uma “festinha”. Evite recompensar o comportamento ansioso dando petiscos, seu objetivo será distraí-lo e dar apoio moral através da sua tranquilidade. Vale qualquer coisa para animá-lo, mas lembre-se de se manter sempre positivo, e não demonstrar pena. O seu cão precisa de liderança positiva neste momento,e não de mais instabilidade emocional.

USO DE MEDICAMENTOS
Alguns florais e essências de aromaterapia prometem ajudar o cão a se acalmar nestes momentos de estresse. Apesar de não terem a sua eficiência comprovada, em geral também não fazem mal e você experimentar se achar que o seu cão costuma ficar muito nervoso quando há fogos de artifício. Muitas pessoas relatam bons resultados.
Já o uso de tranquilizantes e sedativos deve ser reservado para casos mais extremos, de animais que ficam muito estressados, e/ou que possam se colocar – ou aos outros – em situação de risco. Por exemplo: um cão tende a se automutilar quando está estressado, que pode tentar escapar ou pular cercas, ou mesmo que se torne agressivo. Animais que chegam a apresentar sinais físicos de estresse, tais como vômitos e diarreia, também podem ser candidatos ao uso deste tipo de medicamento.
Os tranquilizantes e sedativos podem ter efeitos adversos e contraindicações importantes, por isso nunca use sem indicação expressa do seu médico veterinário. Se você já sabe como o seu cão reage quando em situações de fogos de artifício, e acredita que ele precise ser sedado, leve-o com antecedência ao seu médico veterinário de confiança. Podem ser necessários exames de sangue e outros, para se ter certeza de que ele pode ser medicado sem grande risco à sua saúde, principalmente se ele já for velhinho e tiver doenças cardíacas, hepáticas e/ou renais.
Caso opte pelo uso de medicamentos, é importante não deixar o seu cão sozinho, pois, ainda que sejam feitos exames prévios e o seu médico veterinário prescreva o seu uso, este tipo de medicamento pode eventualmente causar reações adversas, e alguém deve estar disponível para atendê-lo caso isso ocorra.

CUIDADO COM A SEGURANÇA
Infelizmente, não são raros os casos de cães que sofrem acidentes graves e acabam feridos ou até mesmo mortos durante as festividades de Ano Novo. Outros, ainda, fogem e não são mais encontrados, ou passam longos períodos sofrendo nas ruas antes de serem resgatados. Por esta razão, tome precauções para evitar que o seu bichinho entre para esta triste estatística:
- Já dissemos antes, mas vale repetir: se possível, esteja presente. Assim, você pode ajudar o seu cão a se acalmar, e assim evitar que ele fuja e/ou se machuque;
- Se precisar deixá-lo sozinho, providencie um local seguro para ele. Lembre-se: eles podem quebrar vidros e se cortar; podem tentar pular cercas relativamente altas e ficar presos em cima delas/ ou podem conseguir escapar; eles podem tentar mastigar grades, que, se não estiverem em bom estado de conservação, poderão se quebrar e ferir o animal e/ou permitir que ele escape; eles podem tentar cavar uma saída, derrubar móveis, destruir objetos, etc.
- Em hipótese alguma, deixe o seu cão amarrado. São inúmeros os casos de sufocamentos causados por cordas e coleiras em animais que estão desesperados tentando escapar.
- Verifique possíveis rotas de fuga na sua casa, e bloqueie o acesso do seu cão a elas, ou feche-as. Se o cachorro for pequeno, veja se as grades do portão são largas a ponto de permitir a sua passagem – nesse caso, vale colocar uma tela para impedir que ele saia. Se o cão for grande, certifique-se de que ele não conseguirá escalar ou pular os muros e/ou portões.
Estes cuidados valem mesmo se você estiver em casa, pois você mesmo pode se distrair com os fogos, e, enquanto isso, o seu cãozinho pode tentar fugir e/ou acabar se ferindo!

Fonte: http://www.meucaovelhinho.com.br/ 

Compartilhar

Postagens Relacionadas

O Seu Cão Está Preparado Para Os Fogos de Artifício?
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial