quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Esquizofrenia afeta mais de 2,5 milhões de pessoas no país

 O uso de drogas provoca surtos 
A esquizofrenia é uma doença psiquiátrica, que se caracteriza pela perda do contato com a realidade e incide em 1% da população. Em cada 1000 mil habitantes, surgem 100 casos novos por ano. No Brasil, a doença afeta mais de 2,5 milhões de pessoas, que apresentam algum transtorno mental ligado à esquizofrenia. A doença atinge pessoas no final da adolescência ou início da fase adulta.
Mas quais são os sintomas de uma pessoa com esquizofrenia, como a família pode identificar a doença? Os sintomas mais comuns são alterações específicas do pensamento, da percepção sensorial, do comportamento e do afeto, além de isolamento, dificuldade de sociabilização, medos exagerados, excesso de preocupações, muito diferentes daquelas que a pessoa costumava ter e perda das reações emocionais.
O psiquiatra Bruno Caetano explica os transtornos do pensamento envolvem delírios, alucinações e ilusões. “Delírios são crenças inverídicas e pode levar a pessoa a acreditar que estão sendo perseguidas e que têm poderes especiais. Muitas vezes a pessoa escuta vozes, que muitas vezes não existe, fala de forma incoerente, é indiferente ao mundo exterior e não cuida de sua higiene. Em delírios e alucinações não existe argumento nem bom senso que convença o doente do contrário”.
O tratamento é feito com medicações, com psicoterapia e projetos de reinserção social. Estudos sugerem que a recuperação é possível para até 60% dos pacientes em tratamento e são maiores em pessoas que descobriram precocemente a doença.
Genética
O psiquiatra Bruno Caetano explica que existe uma tendência de ser manifestação genética, mas não significa que será determinada somente pela genética. “No nosso genótipo têm aproximadamente de 27 mil genes e trabalham em conjunto, dificilmente alguma manifestação será provocada a por um gene isolado. Se ampliarmos esse entendimento que todo fenômeno tem influência do trabalho genético, podemos dizer que toda e qualquer doença tem participação da genética, como viroses, bactérias e parasitas, por exemplo. Cada doença desta se manifesta de certa forma em cada um. Está dentro da bagagem biológica que cada um recebe”.
Outro agravante dos transtornos mentais é o uso de droga e também do álcool. “Se o esquizofrênico abandonar a medicação e fizer o uso dessas drogas, o surto pode ser fatal. As drogas que provocam quadros de esquizofrenia são as substâncias mais conhecidas como THC, alucinógenos naturais (chá de cogumelo)”. 

Prevenção
Segundo o psiquiatra é possível prevenir a doença adotando algumas medidas como o cuidado adequado durante pré-natal e na primeira infância, a promoção para melhorar a resiliência, adoção de certos programas psicossociais para evitar que crianças e adolescentes se envolvam com drogas. “Existem estudos que trazem esperança para futuro. Precisamos entender as pessoas vulneráveis e cuidar melhor delas. É preciso prevenir. Isso acontece, por exemplo, na cardiologia. Antes tratavam a doença, os infartados. Hoje, tratam pessoa que tem pré- disposição, corrigindo o colesterol, triglicérides, indicam atividade física e dieta adequada”, conclui.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Esquizofrenia afeta mais de 2,5 milhões de pessoas no país
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial