terça-feira, 9 de agosto de 2016

Romeiros devem ficar atentos para caminhada não terminar no hospital



Especialista alerta que lesões podem ser evitadas
A partir desta semana a caminhada de fiéis em direção ao Santuário de Nossa Senhora da Abadia, localizado na cidade de Romaria, a 75 km de Uberlândia, é intensificada. A tradição religiosa atrai pessoas de todos os cantos do Brasil que viajam para pagar promessas feitas ao longo do ano, agradecer as bênçãos recebidas e participarem da festa religiosa que acontece no dia 15 de agosto.
A peregrinação é feita as margens da BR-452, que liga Uberlândia a Romaria. Mas, para o sucesso da caminhada, os romeiros devem estar atentos a detalhes que farão a diferença no final do percurso. A longa distância do trajeto requer preparo físico para enfrentar o cansaço.  Já aqueles que não estão bem condicionados correm o risco de não completar o trajeto proposto.
O ortopedista do Hospital Orthomed Center, Leandro Gomide, lembra que, nessa época, os hospitais ficam repletos de fiéis com tendinites de tornozelo, um dos problemas mais comuns. “Apesar de não serem as únicas consequências da longa caminhada, as tendinites estão em primeiro lugar no ranking das lesões ocasionadas durante as peregrinações religiosas”, diz o médico.
Leandro Gomide ainda explica que a primeira atitude para prevenir lesões é escolher um tênis adequado antes da peregrinação. “O calçado deve ser usado e possuir a forma do pé do caminhante e amortecedores. Já a meia precisa ser nova e grossa para uma maior absorção do suor”, orienta.
A postura durante a caminhada também é algo imprescindível, segundo o ortopedista, muitos romeiros costumam andar de cabeça baixa para não cair em buracos na estrada. Essa postura causa sérias dores no pescoço. “O peregrino deve tentar caminhar com o corpo ereto e, de preferência, olhando para o horizonte. Já a mochila precisa conter estritamente o necessário para a subsistência, pois o peso também pode prejudicar a coluna”, explica.
As bolhas que podem surgir nos pés devido à longa caminhada devem ser estouradas nos postos de assistência que se encontram ao longo do caminho. Além disso, o ortopedista alerta que é sempre bom respeitar o limite físico de cada peregrino. “Os romeiros devem seguir de forma rigorosa todas essas recomendações para que nada estrague essa bonita tradição de fé e religiosidade”, finaliza o médico.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Romeiros devem ficar atentos para caminhada não terminar no hospital
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial