segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Oficinas reúnem artistas de diversas esferas da arte na 1ª Virada Cultural de Uberlândia

Uberlândia terá uma imersão cultural no mês de agosto. Nos dias 26 e 27, a 1ª Virada Cultural de Uberlândia proporcionará atrações gratuitas à população. Para enriquecer a programação cultural do evento e promover interação, haverá oficinas com diversas técnicas do universo da arte e para todo gosto como: graffite, desenho, poesia, instrumentos musicais feitos de material reciclável , origami,   fotografia e até lambe-lambe, um cartaz com conteúdo artístico e/ou crítico colado em espaços públicos que tem o poder de despertar as pessoas para reflexões que em geral não estão presentes no nosso dia a dia. Os interessados em participar das oficinas podem se inscrever a partir do dia 1º de agosto pelo site www.viradaculturaluberlandia.com.br. As vagas são limitadas.
            Uma das oficineiras que participará do evento é Isabella Moreira Gonçalves, que é advogada e nas horas livres tem como principal hobby a poesia. Ela explica que não é preciso ter dom e a técnica que utilizará é simples. “Escrever envolve inspiração, gostar de ler, mas quando a inspiração não vem, o melhor caminho é estimular, e o caminho mais prático é colocar algumas palavras ou frases curtas no papel sobre algo que a pessoa goste. Por meio delas começam-se a montagem dos poemas”, explica.   

Graffite
            Nas grandes capitais é comum encontrar muros com a arte da pichação e grafitagem. A técnica é uma forma de expressão típica da cultura urbana. Em Uberlândia, o graffiteiro Wesley Undef dá cor a muros brancos da cidade. O artista pinta em locais de maior visibilidade, onde pessoas possam ver e interagir com sua arte e ele também estará nessa grande virada ensinando adeptos da arte.
            Sobre a dinâmica da oficina, o artista afirma que vai aliar teoria e prática. “Abordarei a história do graffite desde os tempos primórdios até os dias de hoje e algumas técnicas básicas para que o ‘aluno’ possa ter um primeiro contato com o graffite. Uma pessoa leiga só precisa se acostumar com o spray. Ser graffiteiro não é saber desenhar ou pintar, vai um pouco além. Conheço vários artistas que não são bons desenhistas, mas têm muita criatividade”, esclarece.

Ao falar sobre seus gostos, ele afirma que seu estilo é voltado para o realismo e composições realistas, mas que se dá bem com letras e personagens. “No dia a dia, gosto das zonas periféricas da cidade, locais onde dificilmente existirá uma galeria de arte, o que dificulta o acesso das pessoas. Então porque não uma galeria a céu aberto?!”, indaga.
Essas duas feras, e outros artistas como Dequete, Gabes Head, Weslei Undef, Isabella Moreira Gonçalves, o fotográfo Mauro Marques e o artista Rafael Naufael são os oficineiros confirmados até o momento.   
   A programação completa pode ser conferida no hotsite do evento www.viradaculturaluberlandia.com.br.
            A Algar e o governo de Minas Gerais apresentam o Cultura em Movimento,  projeto viabilizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com realização da Viva Marketing. O Projeto ainda conta com o apoio da Start Química e Provanza , E-Fácil e parceria do SESI Fiemg,  Sesc Uberlândia, Dicult e Secretaria Municipal de Cultura de Uberlândia.

Fique por dentro de tudo que vai rolar pelo www.facebook.com/culturaemovimento.

Compartilhar

Postagens Relacionadas

Oficinas reúnem artistas de diversas esferas da arte na 1ª Virada Cultural de Uberlândia
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

Página inicial