terça-feira, 21 de novembro de 2017

Outback lança cerveja exclusiva inspirada em seu famoso pão australiano



Em parceria com a cervejaria Colorado, rótulo celebra 20 anos do restaurante no Brasil

            O Outback Steakhouse acaba de lançar, em parceria com cervejaria Colorado, uma cerveja exclusiva da marca inspirada no pão australiano da rede. A partir do dia 20/11, a cerveja estará disponível para compra em todos os restaurantes do Brasil por R$ 19,90. O lançamento especial é mais uma novidade que o Outback oferece aos clientes para comemorar os 20 anos da marca no Brasil.
            Apresentada em uma garrafa de 600 ml, a cerveja do tipo Rye Light American Wheat possui 5% de teor alcoólico. De textura cremosa e sabor encorpado, a Cervejaria Colorado vem misturando os mais legítimos sabores brasileiros, trazendo na receita lúpulos australianos, centeio e açúcar mascavo. O rótulo traz ícones tribais e a imagem de um canguru, que remetem à inspiração da marca aos símbolos da Austrália. A parceria homenageia com um sabor exclusivo a paixão do brasileiro pelos ícones do Outback.
            “Sabemos que nossos clientes são apaixonados pelo pão australiano do restaurante. Nada mais incrível do que brindar nosso aniversário com essa parceria deliciosa com a Colorado, apresentando uma cerveja com alto teor de Outback”, afirma Renata Lamarco, head de Marketing do Outback Brasil.
            O lançamento foi pensado para harmonizar perfeitamente com os pratos da casa. Uma boa pedida é a Ribs On The Barbie, icônica costela do restaurante preparada em chama aberta, marinada com um mix temperos do restaurante, coberta de molho barbecue e acompanhada de fritas e cinnamon apples. A cerveja da parceria do Outback com a cervejaria Colorado estará disponível em todos os restaurantes do Brasil por tempo limitado.

Sobre o Outback Steakhouse
A rede Outback Steakhouse possui 87 restaurantes no Brasil, está presente em 37 cidades, 14 Estados brasileiros e Distrito Federal. No mundo está em 22 países entre Américas, Ásia e Oceania. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em 1997. Com seus cortes de carne especiais e aperitivos icônicos como a Bloomin’ Onion®, o Outback caiu no gosto do brasileiro graças à qualidade, fartura e sabor marcante da culinária oferecida somados à descontração no atendimento e as instalações aconchegantes.
Mais informações

Peça “Os Malefícios do Tabaco” estará em cartaz na Escola Livre do Grupontapé de Teatro



 A Escola Livre do Grupontapé de Teatro de Uberlândia-MG receberá a peça “Os Melefícios do Tabaco” da companhia Sutake Teatro. A apresentação será nos dias 25 e 26/11 (sábado e domingo), às 19h30 e no domingo (26/11), às 17 horas haverá um bate-papo sobre o processo de criação do espetáculo com o ator Imanol Telarexipi.
            As atividades fazem parte do projeto de Manutenção da Escola Livre provado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, que contribui para o funcionamento do espaço e a realização de uma série de atividades ao longo do ano, como ensaios abertos, leituras dramáticas, oficinas de férias e espetáculos convidados.
            A peça teatral, que se passa num cassino de província, conta a história de Niujin, emigrante, pai de sete filhas e temeroso de sua mulher, proprietária de uma escola de música e de um pensionado de “señoritas”. Ele dispõe-se a dar uma conferência com fins benéficos, com o título:  "Sobre o dano que o fumo causa à humanidade". 
            O elenco conta com o ator Imanol Tolaretxipi e terá a participação especial da co-fundadora do Grupontapé de Teatro, Katia Lou.
            Tolaretxipi, que reside em Uberlândia desde 2014, já trabalhou com vários artistas uberlandenses a fim de dar continuidade a seu trabalho iniciado em Barcelona, cidade em que “Os Malefícios do Tabaco” foi apresentado pela primeira vez.

Sobre o ator
            Formado em Artes Interpretativas desde o ano 2002 na “Escola Superior de Arts Interpretatius Xavier Gratacòs” de Barcelona (Catalunya). O ator possui larga experiência em Teatro, ressaltando os seguintes trabalhos: Foi membro fundador das Cías teatrais: 2 X 2 TEATRE e TRB (teatro ruso-barcelonés); Produções com 2 X 2 TEATRE: -“PEDRO Y EL CAPITÁN” M.Benedetti;  2009: Direção na peça do autor Frances Guy Foissy “El nen mort damunt la vorera” ; 2008: Prêmio melhor montagem teatral ACTAC 2008 “OSCAR WILDE”  Districte Les Corts de Barcelona a la compañía 2 x 2 Teatre por la obra “Pedro y el capitán” de Mario Benedetti; - “ALMACENADOS” de David Desola. Produções com TRB: -“Kashtanka” A. Chejov  -“Sobre el daño del tabaco”  A. Chejov -“El Péscador y el Pez”  Pushkin; -“As três irmãs” A.Chejov; 2007/10: Profesor de teatro y expresión corporal en el centro I.T.A. (instituto de transtornos alimentarios) de Barcelona. 2003: Ier Prémio no concurso de monólogos do Teatro de La Riereta de Barcelona con el texto “Me han robado” de Mireia Adelantado.     

A atriz convidada
            Katia Lou é atriz co-fundadora Grupontapé de Teatro (1994). É coordenadora Geral e  professora da Escola Livre do Grupontapé. Licenciada em Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia (2015). Como atriz participou de dezenas de espetáculos do Grupontapé, dentre eles os espetáculos em repertório: "Balaio Popular” com o roteiro de Katia Lou e direção Fernando Limoeiro (2003); “Por de dentro" de Eduardo Moreira - atriz e co-direção (2014) e o mais recente “Tempo de águas” de Patricia Zangaro - direção Inês Peixoto (2017). Por meio do Grupo já participou e produziu filmes, mostras, intercâmbios e seminários.

Serviço
O quê: Peça “OS MALEFÍCIOS DO TABACO”
Data: 25 e 26/11 – Sábado e Domingo
Horário: 19h30
Ingresso: 20,00 e 10,00 (meia)
Local: Teatro da Escola Livre do Grupontapé

O quê: Bate papo sobre o processo de criação do espetáculo “Os Malefícios do Tabaco”
Quando: 26/11
Horário: às 17h
Local: Teatro da Escola Livre do Grupontapé

Mais informações

Presidente do Observatório Social do Brasil se reúne com G7 Uberlândia



      O Presidente do Observatório Social do Brasil, Ney Nóbrega Ribas, estará em Uberlândia nesta quarta feira, 22-11-17, para uma reunião com o G7, empresários e a diretoria do Observatório Social de Uberlândia presidida pelo professor Vladimir Rodrigues de Queiroz.  O encontro será às 16 horas na sede da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia. Na ocasião, o presidente do OS Brasil falará sobre sua participação no Congresso da FEDERAMINAS que acontece em Araxá nesta semana, a expansão da Rede de Observatórios Sociais em nosso estado e as metas a serem alcançadas ainda neste exercício.
O observatório Social de Uberlândia é uma espaço democrático e apartidário voltado para o exercício da cidadania. Agrega o maior número possível de entidades da sociedade civil e empresários, profissionais liberais, estudantes, professores, funcionários públicos e outros que se entregam à causa da justiça social.
Atuando como pessoa jurídica o observatório social de Uberlândia prima pelo seu trabalho técnico, fazendo uso de uma metodologia de monitoramento das contas públicas em nível municipal, desde a publicação do edital de licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço, de modo a agir preventivamente no controle social dos gastos públicos. Além disso, atua na Educação Fiscal, demonstrando a importância social e econômica dos tributos e a necessidade de o cidadão acompanhar a aplicação dos recursos públicos. Também faz o acompanhamento da produção legislativa, a inserção da micro e pequena empresa nos processos licitatórios. Promove a divulgação gratuita dos editais de compras públicas e a construção de Indicadores da Gestão Pública com base na execução orçamentária e nos indicadores sociais do município e, na construção e implantação do Conselho Municipal da Transparência.
Colaboradores – Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Corpo Técnico e Voluntários, trabalham para a causa da justiça social, contribuindo para a economia dos recursos públicos, formando uma nova cultura de observar a aplicação dos recursos públicos em benefício da comunidade. Sabemos que a melhoria da gestão pública passa pelo entendimento de que “o que é público está a serviço de todos” e não dos interesses pessoais de quem quer que seja. Assim o serviço público pode e deve ser de qualidade e os recursos dos impostos podem e devem ser bem aplicados.

Mais informações

Confira a programação social do Cajubá para o fim de novembro

 Para animar a última semana de novembro, o Cajubá preparou atrações animadíssimas para os associados. Na sexta-feira (24/11) o Happy Hour do Clube vai ser com o cantor Dino Fonseca, a partir das 19 horas. A criançada também vai se divertir com o Cineminha Infantil, a partir das 20h, na sala de Karatê.
Já no domingo (26/11), vai ter música ao vivo durante o almoço no Cajubá com a dupla Mara e Adriano, a partir das 12 horas. Enquanto isso, as crianças podem curtir a recreação do Charada, no quiosque infantil, a partir das 11h.

Mais informações

Artrose não é uma doença exclusiva da terceira idade



Atividade física de baixo impacto e musculação de resistência são maneiras de evitar a doença, que atinge 15 milhões de brasileiros.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 80% da população mundial com mais de 65 anos tem artrose, que é o desgaste ou lesão da cartilagem que reveste as articulações. O Brasil aparece em segundo lugar no ranking de pessoas afetadas pela doença, perdendo apenas para os Estados Unidos. Outro dado alarmante é que 15 milhões de brasileiros sofrem de artrose, que normalmente afeta as articulações da coluna, quadril e joelho.
“A artrose é uma das doenças mais frequentes no consultório, representando entre 30% e 40% das consultas. Dores ao se movimentar e crepitações nas articulações são sinais de alerta, e mesmo não tendo cura o tratamento correto ajuda a reduzir ou eliminar a dor e garantir uma boa qualidade de vida ao paciente”, explicou o médico ortopedista e traumatologista, Vicente Carlos Franco Macedo.
O desgaste ocorre gradualmente e altera o líquido sinovial que nutri a cartilagem agravando com o passar do tempo se não for feito tratamento. Engana-se quem pensa que a doença só atinge a terceira idade. Os primeiros sinais da artrose podem aparecer, em média, aos 30 anos, sendo mais comum a partir dos 40 anos.
Entre as causas estão o sobrepeso, a má alimentação, o excesso de atividade física de impacto, deformidades articulares como joelhos em X ou arqueados, dentre outras. “A partir dos 30 anos de idade, por exemplo, perdemos 1% da massa muscular quando não se faz atividade física muscular de baixo impacto. Desde cedo é importante se exercitar, pois é esse trabalho de resistência que vai regular o metabolismo da musculatura que regula a do osso e da cartilagem. Quem faz atividade de impacto há anos, como futebol e corrida, também precisa ficar atento”, destacou o médico.
Os alimentos que causam processo inflamatório no sangue pioram o prognóstico e acentuam o desgaste. Excesso de carne vermelha, refrigerantes e enlatados aumentam muito a inflamação no sangue, desregulando o metabolismo muscular, ósseo e cartilaginoso.

Uma das medidas mais eficazes de prevenir a doença é o alongamento e o fortalecimento muscular, aliados a uma alimentação saudável. Apesar de não ter cura, Vicente Carlos reforça que os tratamentos ajudam a reduzir a dor e a manter o movimento e a função articular.
Entre os tratamentos atuais para osteoartrose estão a musculação com pouco peso e mais repetição, hidroginástica, fisioterapia, alongamentos, viscossuplementação com injeções articulares de ácido hialurônico, sinovectomia parcial via artroscopia com viscossuplementação após 30 dias e artroplastia total (prótese). “São várias as modalidades de tratamento, porém cada paciente deve ser tratado de forma individualizada e com acompanhamento do ortopedista”, finalizou Vicente Carlos Franco Macedo.
Mais informações
Página inicial