sábado, 25 de janeiro de 2020

Pesquisa inédita mostra os efeitos do endividamento no trabalho dos brasileiros

Estudo encomendado pela Creditas ao Ibope Inteligência revela ainda que 39% dos entrevistados perdem o sono quando se endividam. 

Cerca de 44% dos brasileiros gostariam de trabalhar em uma empresa que os ajudem na gestão financeira, segundo pesquisa encomendada pela Creditas, principal plataforma online de crédito com garantia do Brasil, ao Ibope Inteligência - o número sobe para 54% quando se fala apenas em endividados. O levantamento, segundo Murilo Doro, líder de pesquisas da Creditas, foi encomendado para entender as principais dores dos brasileiros em relação às suas dívidas e também o impacto que o benefício do consignado privado, produto oferecido pela fintech, pode ter na vida dos colaboradores de suas empresas parceiras e também no auxílio de sua retenção de talento. “O consignado privado, junto com outros benefícios, pode prover uma melhor saúde financeira e, consequentemente, uma melhor produtividade no trabalho”, diz Doro.
O estudo aponta ainda que os trabalhadores que possuem crédito consignado declaram estar menos desmotivados com o trabalho que quem não possui (17% vs 23%). Além disso, 19% das pessoas com dívida consideram ser muito provável pegar um empréstimo consignado privado nos próximos seis meses, sendo que 31% delas desejam o benefício para refinanciar dívidas mais caras existentes.
Oferecer o consignado privado também é um benefício para a empresa e para a área de Recursos Humanos. O estudo revela ainda que ter muitas dívidas pode aumentar a rotatividade de funcionários, já que 37% buscam um novo emprego para pagar as contas, enquanto 32% fazem trabalho extra para complementar a renda. Outros 19% dizem que produzem menos no trabalho quando as contas não estão em dia. Para 39%, ter dívidas significa perder o sono, enquanto 27% afirmam ter impacto na autoestima e 44% assumem ter vergonha de se endividar.  
“Muitas pessoas ainda relacionam empréstimo como algo negativo. A verdade é que o empréstimo ruim, que vem com juros muito caros e altas parcelas mensais, podem, sim, prejudicar a vida financeira das pessoas”, diz Ramires B. Paiva, VP do consignado privado da Creditas. “Por isso, a empresa oferecer um crédito mais barato, com parcelas mais baixas, ao colaborador é uma forma de ajudá-lo a quitar esta dívida cara e incentivá-lo na realização de um sonho, como fazer um MBA e se casar. Muitas pessoas estão enroladas no empréstimo pessoal, por exemplo, com juros que chega a mais de 100% ao ano, sendo que no consignado privado da Creditas, ele paga a partir de 16,6% ao ano. É uma diferença enorme na renda da pessoa.”
Foi exatamente o que aconteceu com o Matheus, que era jovem aprendiz de uma empresa parceira da Creditas, e precisou pegar um empréstimo pessoal para reformar a casa nova. A parcela pesava no orçamento e, quando ele ficou sabendo do consignado privado, ele trocou a dívida antiga e passou a economizar R$ 100 em cada parcela, além de ter diminuído um ano de empréstimo. 
Outro dado que chama a atenção é que mais da metade dos brasileiros que possuem crédito (51%) não sabe qual é a taxa de juros cobrada em seus empréstimos. Este número sobe para 70% com o cheque especial. O estudo mostra também que 42% dos entrevistados usam uma opção cara de crédito. A pesquisa conclui que os endividados buscam 1,9 vezes mais um novo emprego para pagar as dívidas e estão 1,4 vezes mais desmotivados com o trabalho, além disso, quem possui dívidas faz mais hora extra para complementar a renda do que quem não possui dívidas (1,7 vezes). A pesquisa ouviu mil pessoas entre homens e mulheres, acima de 18 anos, da classe ABC nas cinco regiões do Brasil. 
Mais informações

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Parceria Casa Thomas Jefferson e Colégio Olimpo

Parceria Casa Thomas Jefferson e Colégio Olimpo

Notícia boa é para ser compartilhada: Chegamos ao Olimpo!
A partir de 2020, os alunos poderão estudar inglês nas dependências do colégio, durante o contraturno, ou seja, sem prejuízo da carga horária normal e sem deslocamento adicional.
Esta será uma jornada de muito aprendizado e crescimento.
Informações sobre turmas disponíveis, valores e matrículas podem ser obtidas nos números 3442-5500 e 3442-5555 (WhatsApp).


Mais informações

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

CineMaterna começa 2020 exibindo "Minha mãe é uma peça 3"

O sucesso de bilheteria nacional, “Minha mãe é uma peça 3” irá render boas risadas na próxima edição do CineMaterna. Os papais e mamães poderão assistir ao filme e aproveitar um momento de muita descontração com seus bebês na próxima terça - feira (28),  às 14 horas, no Cinépolis do Center Shopping. Os ingressos da sessão já estão a venda e podem ser adquiridos no site do cinépolis ou na bilheteria. 
Após desbancar importantes produções, “Minha mãe é uma peça 3” se tornou o filme com maior arrecadação na história do cinema nacional. Desde de que estreou, no mês passado, a bilheteria do filme já atingiu a marca de mais de R$137 milhões em ingressos vendidos. A história da obra cativa e diverte o público. Na trama, Dona Hermínia (Paulo Gustavo) vive um novo momento ao descobrir a gravidez de sua filha Marcelina e o casamento de Juliano, seu filho. Para aumentar a confusão, o ex - marido da personagem, Carlos Alberto, decide se mudar para o apartamento ao lado. 
O CineMaterna, criado em 2008, oferece sessões de cinema especialmente preparadas para mamães, papais e seus bebês de até 18 meses. A infraestrutura oferecida pelo projeto é um diferencial para o público. As salas são adaptadas com luzes levemente acesas, estacionamento de carrinhos, ar condicionado suave e uma equipe preparada para auxiliar no que for necessário, oferecendo todo o conforto e comodidade. 

Serviço:
CineMaterna no Cinépolis do Center Shopping
Filme: “Minha mãe é uma peça”
Local: Cinépolis – Center Shopping
Data: terça-feira, 28 de janeiro, às 14h

Ingressos: podem ser adquiridos no site do Cinépolis ou na bilheteria.
Mais informações

4 cuidados necessários para evitar contaminação na produção da cerveja artesanal

Especialista explica quais cuidados tomar ao produzir cerveja de modo artesanal e em casa.
 
A arte de brassar cerveja tem se difundido entre os brasileiros. Com a facilidade de acesso na compra de kits de produção de cerveja e matéria prima de boa qualidade, mais e mais pessoas estão produzindo sua própria cerveja em casa.
Porém alguns cuidados são extremamente necessários para que se produza uma cerveja de qualidade para o consumo e livre de contaminação.
Quem passa as dicas é o paranaense Fausto de Miranda, sócio-diretor da Biertek, fabricante do Izzibeer: um fermentador para produção caseiras de bebidas fermentadas que evita contaminações. 
01. O primeiro passo é manter o ambiente e os equipamentos limpos e higienizados. Qualquer interferência externa pode contaminar a cerveja já no início da produção, causando desde um sabor diferente ou um produto que fará mal a quem consumir. Ao final de cada produção, garanta que tudo foi limpo com extremo cuidado.
02. Outro ponto importante é minimizar o contato da cerveja com o oxigênio. Isso evita a oxidação da cerveja, processo que interfere no sabor, tempo de validade do produto e pode ser um meio de cultivo para bactérias.
03. Para que esse contato seja evitado, é necessário o uso de um bom fermentador. Um que mantenha a cerveja isolada do ambiente externo durante todas as etapas de sua produção é primordial. O Izzibeer, por exemplo, possui uma tampa com conexões que permitem manuseio da bebida durante o processo de fermentação sem a sua abertura total, evitando contaminações. Estas conexões são destinadas à introdução de gás CO2, de sonda termométrica para controle de temperatura e volume, e válvula para a retirada da bebida sem contato com os resíduos que comumente se formam no fundo do fermentador. "O ideal é que o produtor produza e envase sua cerveja com contato quase nulo com o oxigênio” diz Fausto.

04. Todo o cuidado é necessário ao brassar cerveja de maneira artesanal e caseira. Muito pior do que estragar o sabor de sua cerveja, um produto contaminado pode trazer sérios danos à saúde. Por isso, procure sempre produtos certificados e de qualidade comprovada e siga todos os procedimentos para que sua cerveja tenha uma ótima qualidade.
Mais informações

Uberlândia Shopping recebe circuito com piscina de bolinhas gigante e escorregador

No Uberlândia Shopping não faltam opções para se divertir nas férias. A mais nova delas é o Magic Snow, um circuito com piscina de bolinhas gigante em meio a passarelas e escorregador com iluminação em led. O Magic Snow fica até o dia 1º de março, no piso 1 - em frente ao Walmart, das 10h às 22h.
Além do Magic Snow, a programação para o período de férias ainda contempla Oficina de Slimes, Trenzinho, Acqua Ball, cinema, parque Magic Games e TINY Espaço da Criança.  
  
Ingressos Magic Snow:
30 minutos: R$20,00
45 minutos: R$30,00
1 hora: R$35,00
1 hora e meia: R$40,00
2 horas: R$45,00
Acima de 2 horas: R$50,00.


Mais informações

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Clementina tem programação musical com MPB neste fim de semana

O Clementina Bar e Ristoranti tem em sua programação musical deste fim de semana a apresentação acústica do cantor Henrique Ribeiro, na sexta-feira (24/01), trazendo o melhor da MPB para embalar o jantar dos clientes.
No sábado (25/01), a noite terá a música clássica e erudita como trilha sonora, com o Piano Bar comandado pela pianista Charlene Magalhães. As apresentações acontecem a partir das 19h.

O Clementina abre diariamente às 17h. De domingo a quarta-feira, o funcionamento é até 0h. De quinta a sábado, o Clementina permanece aberto até 1h.
Mais informações

Hugo Henrique anuncia gravação de DVD com muitas novidades

Hugo Henrique Sem Filtro é o nome do trabalho que trará participação especial de Jorge - dupla com Mateus - e marca a chegada de Rafael Vanucci ao projeto.

Para aproveitar o começo do ano com boas novas em sua carreira, Hugo Henrique anuncia a gravação do novo DVD, Hugo Henrique Sem Filtro, dia 28, em Uberlândia/MG. O registro será no Studio Bar, do produtor musical Junior Melo, que acaba de chegar ao time para trazer uma sonoridade diferente e mais madura para o cantor.
No total, entre regravações e algumas inéditas, serão 18 músicas que farão parte do repertório. Outra grande novidade é que uma das faixas terá a participação de um ícone do sertanejo, o cantor Jorge (Jorge e Mateus).
Este álbum marca também a entrada de Rafael Vannucci como sócio na carreira de Hugo Henrique, sendo empresário do artista ao lado da Holy Music. Atualmente o profissional é responsável pela carreira artística de Felipe Araújo, e já acompanhou Hugo em diversos momentos quando, ainda criança, cantava com Cristiano Araújo.
“Lá atrás, quando eu vim pra Goiânia para o Cristiano gravar um DVD, chamamos o Huguinho! Ele era bem pequeno, usava as roupas parecidas com as do Cristiano e a partir dali ficou muito presente nas nossas vidas. Eu vi o seu amadurecimento durante esses anos todos e quando fui chamado para somar ao projeto fiquei muito feliz!”, conta Vanucci.
O trabalho apresentará o artista completo que Hugo Henrique vem se tornando a cada dia. A ideia desta gravação é mostrar para o público a essência romântica que continua em alta nas letras e melodias. “Participei ativamente da seleção de repertório com minha equipe. Selecionamos músicas que marcaram minha vida e faixas inéditas que acreditamos bastante. E claro, ‘Mala’ não poderia ficar de fora”, comenta Hugo Henrique.
Em 2019 o artista se destacou por suas composições gravadas por nomes conhecidos do cenário musical e este ano pretende continuar levando sua música para o Brasil.

Acompanhe Hugo Henrique nas redes sociais e não perca nenhuma novidade.
Mais informações

Plataforma gratuita é opção barata e acessível para autônomos e profissionais liberais

Sem burocracia, Dooplace reúne espaços comerciais de todos os ramos de atuação e permite reservas por hora, dia ou semana com pagamento por meio de boleto ou cartão.
O número de profissionais autônomos e liberais tem crescido no Brasil e, atualmente, estima-se que sejam mais de 24 milhões, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Um crescimento de 4,9% em 2019, considerado o maior da série histórica. De olho na realidade do mercado, na movimentação dos empreendedores e a necessidade de desburocratização do acesso ao trabalho, a Dooplace, plataforma gratuita de compartilhamento de espaços comerciais, surgiu como uma alternativa a quem deseja gerar renda investindo pouco e com flexibilidade, além de contar com um local privativo por um determinado período.
O processo tradicional e engessado que requer diversas garantias para locação de espaços comerciais costuma ser um entrave para a realização das atividades desses profissionais, conforme explica Everson Gauer, diretor comercial da Dooplace. “Hoje, você pode reservar estadias, carros, equipamentos e uma infinidade de coisas de forma digital e sem burocracia. No entanto, ao procurar um local para trabalhar e atender seus clientes há exigência de contrato, fiadores e depósito caução, que dificultam o acesso, principalmente, de autônomos e profissionais liberais que buscam gerar ou complementar a renda”, explica.
A solução encontrada foi conectar proprietários de espaços que estão disponíveis a profissionais interessados em reservá-los por determinados períodos. Por isso, a plataforma que tem cadastro gratuito disponibiliza opções de reserva por hora, dia ou semana com pagamento em boleto ou cartão de crédito. Além disso, é possível selecionar espaços privativos de acordo com a região da cidade, ramo de atuação e valor de interesse.
“Dentistas, psicólogos, designers, advogados e até mesmo cabeleireiros, manicures, tatuadores e esteticistas podem encontrar um local para atender clientes de acordo com o seu ramo de atuação. Pode ser uma cadeira em um consultório odontológico, uma sala exclusiva em um escritório de advocacia ou um espaço de barbeiro, por exemplo”, explica o diretor comercial.
Os preços, que chegam a custar até um quarto do valor de um coworking, e bem menos que uma imobiliária, são definidos pelos proprietários, os quais contam com seguro garantia fornecido pela Dooplace. Já na comparação com estruturar o próprio negócio, Gauer é categórico. “A economia é muito maior. No caso dos dentistas, por exemplo, somente uma cadeira odontológica custa mais de R$ 12 mil, sem os demais materiais de trabalho, o aluguel, energia elétrica e água. Todo esse dinheiro pode ser economizado, investido em outras áreas ou, até mesmo, na própria carreira”, finaliza.

Conheça a plataforma em www.dooplace.com.br/
Mais informações

Proprietários podem evitar danos a seus veículos

O verão brasileiro é marcado por tempestades recorrentes e imprevisíveis. Nessa época, os motoristas devem redobrar os cuidados para evitar perdas causadas pela água das enchentes e por outros elementos naturais. Quanto mais partes elétricas e eletrônicas tiver o veículo, maior o risco, e muitas seguradoras não cobrem esses danos.   
Uma alternativa que cresce cada dia mais é a de proteção veicular, que cobrem prejuízos gerados por chuvas de granizo, alagamentos, ventanias, quedas de árvores e de outros elementos sobre o veículo. Além disso, a proteção veicular não cobra acréscimos pelo perfil do condutor; os valores são os mesmos para qualquer pessoa, e o associado é ressarcido de acordo com a tabela Fipe. 
Segundo Mateus Martins Coelho, gerente comercial da Magna Proteção Veicular, a cobertura é garantida quando o veículo e associado (ou outra pessoa habilitada à direção) forem simultaneamente vítimas do incidente. “Se a pessoa não estava ciente do risco ou ficou presa em um congestionamento, por exemplo, ela não teria como se proteger. Portanto, está apta à cobertura”.   
Mateus esclarece, no entanto, se o motorista insistir em passar por um local alagado ou em dar partida no veículo durante uma enchente, provocando danos ao motor, seus prejuízos não serão cobertos. “A cobertura por causas naturais protege a pessoa de uma situação sobre a qual ela não tem controle. Por isso a necessidade de ter um plano contratado para cobrir esse tipo de situação”, explica. 
  
Confira abaixo algumas dicas para preservar seu veículo e evitar danos: 
1- Se o motor morrer em uma área alagada, não tente dar partida. O ideal é deixá-lo desligado e remover o veículo até uma oficina. 
2- Não atravesse trechos em que o nível da água ultrapasse a metade da altura das rodas do carro. 
3- Dirija em baixa velocidade, pois isso evitará respingamento de água no motor.   
4- Desligue o ar condicionado para reduzir o risco de calço hidráulico. 
5- Em caso de veículos com transmissão automática, faça a troca de marchas manualmente. 

6- Após passar por uma enchente, recomenda-se revisão e limpeza completas do veículo para evitar danos posteriores. 
Mais informações

UMC sedia cirurgia inédita para tratamento de Parkinson em Uberlândia

A unidade Hospitalar do UMC - Uberlândia Medical Center sediou a realização, no último sábado (18/11), de uma cirurgia inédita em Uberlândia e região, voltada para o tratamento de portadores da Doença de Parkinson, com o objetivo de diminuir seus sintomas motores. O procedimento foi realizado por uma equipe multidisciplinar, liderada pelo neurocirurgião Bruno Burjaili, que trouxe experiências adquiridas na Universidade de Oxford, na Inglaterra, e também na Universidade da Flórida, local em que mais se realiza esta modalidade de cirurgia no mundo. É formado pela Universidade Federal de Uberlândia e já conduz procedimentos como este em São Paulo e no Espírito Santo.
O procedimento realizado consiste na implantação cerebral de um eletrodo, algo como um fio isolado de pouco mais de 1 milímetro de diâmetro, que possui uma ponta com quatro contatos. “Após a cirurgia, cada contato poderá ser ligado ou desligado, moldando uma espécie de nuvem elétrica no cérebro para estimular a região doente sem interferir com as regiões vizinhas. Assim, conseguimos melhorar os sintomas sem causar efeitos indesejados”, explica o neurocirurgião. A outra extremidade desse eletrodo é conectada a um fio extensor, escondido sob a pele, por trás da orelha, que vai até abaixo da clavícula na região peitoral, onde é implantado um pequeno gerador com bateria.
De acordo com o Dr. Bruno Burjaili, o objetivo principal desta cirurgia é diminuir o tremor e outros sintomas do Parkinson, que afetam de maneira intensa os pacientes. “Quem não tem a doença sempre se lembra do tremor, mas quem a tem sabe que, muitas vezes, também são importantes a lentidão dos movimentos, que chamamos de bradicinesia, e a rigidez. Alguns pacientes também desenvolvem discinesia, isto é, um excesso de movimentos, semelhantes a uma serpente ou a uma dança”, ressalta.
Sobre o passo a passo da cirurgia, o médico explicou que tudo começa com um exame de ressonância nuclear magnética do crânio. “A partir dela, definimos o alvo cerebral, que é milimétrico, e o caminho pelo qual o eletrodo passará, justamente para evitar danificar estruturas mais delicadas do cérebro. Durante a cirurgia, há um novo exame, a tomografia computadorizada, para ajudar a calcular esse caminho. Então, o paciente permanece acordado na maior parte do tempo, pois a sua cooperação é importante para que a precisão seja ainda maior. Graças à anestesia local, não há dor. Conforme o eletrodo é colocado, lentamente, sua profundidade é avaliada por testes, em que a atividade elétrica em ondas de cada camada do cérebro é avaliada por meio de som e imagem, em um aparelho de micro registro. Ao chegar ao destino cerebral, aplicamos uma pequena corrente elétrica na região, e podemos observar a melhora parcial instantânea do paciente, ou seja, o tremor e/ou a rigidez são reduzidos, confirmando que a posição está correta. Apesar de ser longa, os pacientes geralmente levam a experiência tranquilamente, e cooperam bastante”, descreveu Dr. Bruno, ao afirmar que pode durar várias horas.
O paciente que foi operado no último sábado recebeu alta no domingo à noite, ficando cerca de 24 horas internado após a cirurgia. “Em geral, são quatro pequenas cicatrizes, três na cabeça e uma abaixo da clavícula”, detalha o médico. A realização dos estímulos elétricos continua no consultório, por um aparelho que consegue controlar a bateria por ondas que passam pela pele, sem contato direto. “No retorno ao consultório, buscamos aumentar os estímulos elétricos através da bateria, testando qual tipo de contato ou intensidade do estímulo será melhor para o paciente. O objetivo é melhorar a qualidade de vida ao reduzir seus sintomas. É comum conseguirmos, com o neurologista clínico que acompanha o paciente, diminuir a quantidade de medicamentos utilizados”, destacou o neurocirurgião.
Explicou também sobre a questão da bateria do gerador implantado no paciente. “A bateria do gerador dura cerca de três a quatro anos. Ela pode ser trocada em uma cirurgia bem mais simples, que dura alguns minutos, via de regra, apenas com anestesia local e sedação. Envolve apenas a região abaixo da clavícula e não mais a cabeça”, explica. Ainda sobre a bateria, alega que “hoje já existe uma opção recarregável, que dura mais tempo, mas exige que o paciente faça carregamentos uma ou mais vezes por semana. A escolha depende da preferência de cada paciente, diante das orientações da equipe”, acrescenta o neurocirurgião.
A realização deste procedimento, disponível no UMC, depende de uma rígida avaliação da condição do paciente, sendo que um dos critérios é ter no mínimo cinco anos de diagnóstico da doença. O neurocirurgião Bruno Burjaili assinala que “É necessário passar por um protocolo que envolve a Neurologia Clínica, a Neurocirurgia e Neuropsicologia, com ampla participação da família. Aplicamos rigor na seleção e preparação dos pacientes, para que o resultado seja otimizado. É um trabalho em equipe, e todas as áreas envolvidas são fundamentais”.

Para finalizar, o médico explica que esta técnica, apesar de inédita na região, já é consolidada cientificamente há décadas e realizada em grandes centros neurocirúrgicos do mundo. 
Mais informações
Página inicial