domingo, 21 de abril de 2019

Apenas metade da população com pressão alta sabe do diagnóstico da doença

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão, 32% da população adulta brasileira, equivalente a 36 milhões de adultos, têm hipertensão. Do número apresentado, apenas 50% sabem do diagnóstico e 50% dos que sabem que são portadores da doença, realizam o tratamento. Para incentivar os cuidados e o diagnóstico, foi criado pelo Ministério da Saúde o Dia de Prevenção e Combate à Hipertensão, celebrado no dia 26 de abril.
Para que o sangue possa ser bombeado do coração para todos os órgãos do corpo humano, é necessária a ajuda da pressão arterial. A hipertensão arterial é o aumento anormal da pressão que faz o sangue circular pelo corpo. A enfermidade é silenciosa, mas pode apresentar sintomas como dor de cabeça, tontura, enjoo e falta de ar.
Apesar de não ter cura, o tratamento pode evitar possíveis complicações como infarto, “derrame” (AVE – Acidente Vascular Encefálico), insuficiência cardíaca e “problemas nos rins”.
Para o Gestor Médico do setor cardiologia do Sabin Medicina Diagnóstica, Eduardo Veludo, o ritmo de vida acelerado pode contribuir para o aumento de hipertensos nos próximos anos. “Consumo de alimentos com muito sódio, principalmente em lanchonetes de fast food e a falta de exercício físico podem contribuir para o desenvolvimento do distúrbio”, explica. O médico lembra também que de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) a doença é responsável por 40% dos infartos do coração, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal.
O aparelho utilizado para aferir a pressão é simples e em poucos minutos é possível ter um resultado. Pessoas com sobrepeso, obesidade, má alimentação, sedentarismo e tabagismo estão mais dispostas a desenvolverem a doença, além daquelas com histórico familiar (filhos de pais hipertensos têm 30% de chance de terem hipertensão). “Mudanças no estilo de vida com uma dieta rica em frutas e cereais integrais, a realização de atividades físicas, a aferição regular da pressão, a diminuição do consumo de sal e o fim do consumo de cigarros podem ser excelentes medidas para reduzir o risco de complicações”, comenta o médico.
Mais informações

Dengue cresce 40% em 2 semanas. Aprenda a identificar rapidamente


Informação do Ministério da Saúde: o Brasil já registra pelo menos 322 mil casos de dengue.
É um crescimento de 40% em duas semanas. 
Em algumas regiões, já virou epidemia. 
Na comparação com o ano passado, o crescimento é de 303%.

Depois de três anos com casos em queda, voltou a crescer a disseminação da doença. Em novo avanço da dengue, o país já soma ao menos 322 mil casos da doença, de acordo com novo balanço do Ministério da Saúde. Já a incidência atual de dengue, parâmetro que considera o volume de casos pela população, é de 154,5 casos por 100 mil habitantes, tida como moderada.
Os dados, que contabilizam atendimentos até 30 de março, representam um aumento de 40% no total de registros em duas semanas –para comparação, em 16 de março, haviam 229 mil casos.
Já em relação ao mesmo período do último ano, o crescimento é de 303% —o que indica que, após quase três anos com casos em queda, há uma retomada de um crescimento na transmissão da doença em diferentes regiões do país.
Sudeste lidera com 213 mil casos ou 66% dos registros; depois, Centro-Oeste, com 56 mil casos. Se o adulto adoentado já sofre com os sintomas, uma criança então sofre ainda mais. “A dengue na criança pode começar com um quadro de síndrome febril com sinais de fraqueza, sonolência, recusa da alimentação e de líquidos, vômitos e diarreia. Os sintomas podem ainda regredir alguns dias depois de aparecerem deixando uma falsa impressão de melhora para os pais do pequeno, mas o quadro clínico depois pode voltar a piorar”, alerta o pediatra e neonatologista, Dr. Jorge Huberman.
Existe ainda uma forma mais grave da doença, a dengue hemorrágica. Ela acontece quando a pessoa já foi infectada anteriormente por um tipo diferente do vírus. “Na dengue hemorrágica os sintomas são mais intensos. Podem acontecer hemorragias nasais, gengivais, urinárias e gastrointestinais. Há também ocorrências raras em que a  pressão arterial baixa tanto que pode levar a um choque e até a morte”,explica o pediatra.
Dr. Jorge dá algumas dicas aos pais: “Não medique seu filho antes de consultar o médico, deixei ele em repouso e, o mais importante, combata os focos de acúmulo de água na sua residência. A dengue não é contagiosa e, para se infectar, a criança precisa ter sido picada pelo mosquito hospedeiro da doença, o Aedes aegypti”, completa o médico.
Mais informações

Oncologista alerta sobre hábitos que contribuem para o aumento na incidência de câncer entre jovens


Comportamentos nocivos à saúde têm levado ao aumento na taxa de tumores entre adultos nascidos nos anos 1990

Estimativas do Centro Internacional para Pesquisa do Câncer (IARC), instituição internacional subordinada à Organização Mundial da Saúde (OMS), apontam que em 2018 teriam sido feitos mais de 18 milhões de diagnósticos de câncer no mundo, um aumento de cerca de 28% se considerado o levantamento anterior, de 2012, que indicava 14 milhões de casos reportados.
Divulgado em setembro do ano passado pela entidade, o relatório traz adicionalmente informações baseadas no recorte da população por gênero, indicando que um em cada cinco homens e uma a cada seis mulheres no mundo desenvolverá algum tipo de tumor maligno durante a vida.
Diante deste cenário de contínua progressão da doença, a entidade destaca que é preciso atentar para a perigosa relação entre hábitos pouco saudáveis da nova geração e o potencial aumento nos índices de tumores entre o grupo de pessoas formado por aqueles que atualmente têm menos de 30 anos.
"É preciso rever nossos hábitos de vida – ou a falta deles – para frear as estatísticas crescentes ano a ano. No Brasil o número de novos casos de câncer deve ultrapassar a marca dos 600 mil registros neste ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Por isso, o incentivo à prática constante de exercícios físicos, dieta equilibrada, consumo moderado de bebidas alcoólicas, não fumar e outras medidas simples devem ser entendidos como parte de uma política de saúde pública", diz Andrey Soares, oncologista.
Para o especialista, essas não são apenas iniciativas essenciais para frear os índices aumentados do câncer como uma maneira de promoção à qualidade de vida e bem estar geral, mas servem também como aliadas no processo de tratamento para pessoas diagnosticadas com a doença e outras condições como diabetes e hipertensão. Para reforçar essa percepção, Andrey ressalta que sobrepeso e sedentarismo estão no topo dos fatores que afetam especialmente a saúde da geração de adultos nascidos nos anos 1990.
"Millennials têm o dobro de risco de desenvolver câncer no cólon (segmento do intestino grosso) e quatro vezes mais chance de receberem um diagnóstico de câncer no reto em comparação à geração Baby Boomers, indivíduos com 55 anos ou mais, apenas para citar mais um exemplo dos malefícios do sedentarismo e da ingestão de alimentos pobres em vitaminas e fibras", afirma o médico, citando o estudo recente sobre o tema feito pela Sociedade Americana de Câncer (ACS, sigla do inglêsAmerican Cancer Society).
E não são apenas os tumores intestinais que estão relacionados ao nosso comportamento diário. A obesidade já é tida como importante contribuinte para o aparecimento de ao menos outros onze tipos de câncer: esôfago, vesícula, fígado, pâncreas, rins, útero, ovário, mama, mieloma múltiplo, tireóide e próstata.
"Sedentarismo, consumo aumentado de carne vermelha, fast food, comida processada, álcool e cigarro são hábitos comuns entre os jovens que podem trazer malefícios à saúde. Se não atentarmos para os hábitos que colaboram para a redução do risco de câncer, teremos futuramente um contingente cada vez mais aumentado de pacientes nos consultórios oncológicos", finaliza Andrey.

Mudanças de hábito simples
Abaixo, o oncologista Andrey Soares lista os principais fatores que podem contribuir para o surgimento do câncer:

Tabagismo: Antigamente, o hábito de fumar era visto com elegância e glamour, sendo incentivado até pelas propagandas que mostravam atores famosos tragando seus cigarros, o que estimulava esse costume entre as pessoas mais jovens. O cigarro era liberado nos restaurantes e até na sala de aula. Hoje, o uso do cigarro pela geração Millenials, na maioria das vezes, vem acompanhando de bebidas alcoólicas. Estimativas apontam que 75% dos casos de câncer de pulmão são decorrentes do uso do tabaco e os fumantes têm cerca de 20 vezes mais risco de desenvolver a doença. Além disso, o cigarro também é responsável pelo aparecimento do tumor na cabeça e pescoço.

Etilismo: O consumo exagerado de bebidas alcoólicas tem se mostrado um dos hábitos mais frequentes entre jovens adultos. Essa prática traz consequências para a saúde física, sendo um depressor do sistema nervoso central e gerando impactos nocivos a diversos órgãos, como o fígado, o coração e o estômago. Uma pesquisa publicada no Alcohol and Alcoholism mostra que as consequências podem ser ainda maiores: segundo o periódico, basta uma dose de bebida alcoólica por dia para aumentar o risco das mulheres desenvolverem câncer de mama em 5%. A conclusão é parte de uma revisão de 113 estudos feita por pesquisadores da Alemanha, França e Itália. Para mulheres que bebem mais – três ou mais doses por dia – o risco de contrair a doença aumenta em 50%.

Sedentarismo: Pode parecer um pouco clichê relacionar a saúde com a prática de exercícios físicos diários, mas esse é um fator que pode diminuir bastante o risco de aparecimento da doença. Mais de um terço dos jovens brasileiros está acima do peso, de acordo com dados do Ministério da Saúde e, esse fato, leva a um risco maior de desenvolver doenças como colesterol alto, diabetes e hipertensão arterial. Com o avanço da tecnologia, os jovens passam mais horas em frente ao computador, plugados no celular ou tablets, deixando de lado as atividades físicas. Mas com pequenos ajustes na rotina, como pequenas caminhadas diárias e subir e descer escadas ao invés de utilizar o elevador, é possível dar um salto na qualidade de vida e prevenir inúmeras doenças, não apenas o câncer. A recomendação da OMS é que pessoas de 18 a 64 anos pratiquem pelo menos 150 minutos de exercícios moderados por semana – ou, em média, pouco mais de 20 minutos por dia.

Infecções Virais: A geração de jovens e adultos com menos de 30 anos preza e valoriza muito a liberdade sexual. Trata-se de um grupo que nasceu após o "boom" do HIV e, apesar de bem informada e consciente dos riscos envolvendo doenças sexualmente transmissíveis, apresenta índices elevados de contágio pelo chamado papilomavírus humano – conhecido como HPV. Mais comum tipo de infecção sexualmente transmissível em todo o mundo, o vírus atinge de forma massiva a população feminina - 75% das brasileiras sexualmente ativas entrarão em contato com o HPV ao longo da vida, sendo que o ápice da transmissão do vírus se dá na faixa dos 25 anos.
Após o contágio, ao menos 5% dessas brasileiras irá desenvolver câncer de colo do útero em um prazo de dois a dez anos, uma taxa alarmante. O tumor já é considerado um problema de saúde pública no Brasil e faz parte do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) no país, o que inclui a vacinação contra o HPV para meninos e meninas com idades entre 9 e 26 anos. Além do HPV, existem algumas infecções virais que também podem estar relacionadas ao aparecimento do câncer. A hepatite B e C, por exemplo, podem desenvolver o câncer de fígado. Já o HIV pode ser responsável por tumores hematológicos como linfoma.

Exposição Solar: Os jovens estão acostumados a se prevenir contra o sol quando vão para a praia no verão. Porém, a exposição solar vai muito além, pois para pessoas que costumam ficar expostas aos raios solares, é preciso reforçar o uso do protetor diariamente, principalmente no rosto. Se a exposição for maior, como na praia ou piscina, por exemplo, é importante abusar do protetor no corpo todo, usar chapéus e evitar horários em que a incidência solar esteja mais forte. Em geral, as pessoas costumam relacionar os casos de câncer de pele exclusivamente ao melanoma, mas 95% dos casos de tumores cutâneos identificados no Brasil são classificados como não melanoma, um índice que está diretamente relacionado à constante exposição à radiação ultravioleta (UV) do sol.

Obesidade: Obesidade: Embora o aumento da obesidade ocorra em todas as idades, os jovens foram os mais afetados. Isso ocorre pela ingestão exacerbada de alimentos ultraprocessados, pobres em nutrientes e também por conta do sedentarismo.
Em alguns tipos de câncer, o excesso de peso corporal durante a vida adulta pode ser considerado como um fator para o surgimento da doença.
Um estudo publicado pela The Lancenet Public Health sugere que as taxas de incidência de cânceres associados à obesidade estão aumentando mais rapidamente em jovens adultos entre 25 e 49 anos nos Estados Unidos.
Dos subtipos existentes da doença, ao menos 14 têm seus riscos aumentados pelo sobrepeso e obesidade: mama, cólon, reto, útero, vesícula biliar, rim, fígado, ovário, próstata, mieloma múltiplo, esôfago, pâncreas, estômago e tireoide.

Mais informações

sábado, 20 de abril de 2019

Linguagem Proativa: como melhorar seu poder de negociação


Por Dilson Dalpiaz*


inteligência emocional  é uma característica muito procurada pelas empresas para a contratação e também extremamente fundamental no dia a dia para a tomada de decisões e até na maneira como enxergamos as situações.
Segundo renomados especialistas a nossa linguagem e a forma como abordamos uma situação são determinantes na nossa qualidade de vida, atitudes e na forma de pensar. Por isso é importante aprender a substituir a linguagem reativa por uma proativa, pois ajuda a conseguir resultados mais positivos.
Veja alguns exemplos de linguagem reativa e como você pode mudá-las. Troque “não há nada que eu possa fazer” por “vamos procurar alternativas”. Isso mostra que você está empenhado em resolver determinado problema e assim é mais fácil encontrar uma solução.
Experimente em vez de falar “sou assim mesmo e pronto”, dizer “posso tomar uma atitude melhor”para que você consiga ver a situação por outro ângulo e tentar melhorar pensamentos que você achava ser irreversíveis. Tudo e todos os comportamentos podem ser melhorados.
Troque “eles nunca vão aceitar isso” por “vou buscar uma apresentação mais eficaz” como forma de mostrar que você tem alternativas para convencer, persuadir e mostrar outro ponto de vista abrindo portas para novas oportunidades de negócio, por exemplo.
Não fale “tenho que fazer isso”. Determine “eu quero fazer isso” como forma de vislumbrar o resultado. O querer é um desejo, uma emoção positiva e assim conseguirá realizar uma atividade que provavelmente esteja procrastinando, por exemplo.
Mude o “não posso” por “vou experimentar fazer”. Não coloque limites para essa situação. Tente aprender o que você precisa para alcançar o seu objetivo como uma forma de mudar a perspectiva dessa imagem negativa com mais autoestima e melhorando a sua imagem.
Uma postura positiva emana mensagens que despertam crenças de que podemos atuar para que as coisas se realizem superando quaisquer situações adversas e para que conquistas maiores possam acontecer de forma efetiva.

* Além das carreiras de executivo e gestor público, Dilson Dalpiaz atuou como professor. Destaca-se a sua participação nos cursos de graduação em Engenharia na UFU, MBA em Marketing na USP de Ribeirão Preto e na Faculdade Politécnica de Uberlândia (FPU). 
Em 2016 foi nomeado secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo. Casado, pai de dois filhos e avô de dois netos, Dilson Dalpiaz hoje é palestrante, consultor empresarial e compartilha com o público todo o conhecimento e experiência adquiridos ao longo de sua carreira. 
Mais informações

Vantagens da educação a distância

Mais barato e flexível do que os cursos presenciais, o EaD é uma ótima ferramenta para qualificação profissional

As vantagens da educação a distância superam em muito as do aprendizado presencial ou em sala de aula, e empresas que desejam incorporar um novo programa de treinamento devem ter isso em mente se quiserem estar alinhadas com as novas tendências. Crescer e manter eficiência são objetivos extremamente importantes atualmente, e muitas organizações estão se voltando para a EAD para economizar dinheiro, tempo e energia.
Veja alguns dos benefícios que as empresas podem obter com a implementação de uma plataforma de treinamento online e por que sua empresa deve se posicionar como uma empresa de ensino a distância para atrair os melhores talentos.

1. Redução de custos
Um sistema de treinamento online reduz muitos custos que normalmente seriam associados ao treinamento em sala de aula, incluindo viagens, materiais didáticos e locais de reunião. As plataformas de treinamento online permitem que você atualize planos de aula importantes de maneira rápida e fácil, e, como eles permanecem online, você pode economizar nos custos de impressão.

2. Melhor desempenho e produtividade
As pessoas estão sempre procurando oportunidades para crescer. O treinamento online permite que funcionários aprendam rapidamente sobre novos processos. Uma queixa principal sobre os métodos tradicionais de treinamento é a demora, que tira tempo valioso que poderia ter sido gasto em outro projeto. Com os sistemas de gerenciamento de treinamento, os funcionários podem participar de seus cursos online a qualquer momento, inclusive em casa ou durante o tempo de inatividade no trabalho, para que o aprendizado não tenha que entrar em conflito com outras tarefas importantes.

3. Flexibilidade
Uma das principais vantagens é que os funcionários podem participar de cursos online de qualquer lugar, bastando uma conexão de Internet. Isso elimina muita energia que seria gasta coordenando onde e quando o curso será realizado. Além disso, reunir a equipe inteira de funcionários em um só lugar nunca é fácil ou eficiente. O e-learning oferece à gerência e aos funcionários mais flexibilidade para concluir importantes treinamentos “just-in-time”.

4. Feedback oportuno
Os funcionários podem obter feedback em tempo real durante um curso de treinamento online. E como tudo está conectado, o gerenciamento também pode obter análises atualizadas sobre o desempenho dos cursos e acompanhar o progresso de cada funcionário. Outra vantagem é a ausência de uma avaliação manual do curso. Se você quiser incluir questionários em seu treinamento, todos os autores precisam fornecer as respostas corretas, e o sistema de gerenciamento de aprendizado pode automatizar a classificação e a avaliação.

5. Acesso fácil à informação
Anotações manuscritas desleixadas feitas durante os treinamento não são a maneira mais eficaz de reter informações. O treinamento online ajuda a tirar o papel da jogada por completo. Os materiais de e-learning são armazenados online, para que os funcionários possam acessar recursos importantes sempre que encontrarem uma pergunta ou situação difícil.

6. Retenção de aprendizado
As empresas de e-learning têm a oportunidade de criar cursos de treinamento divertidos e envolventes por meio do uso de vídeos, slides interativos e jogos. Esses cursos levam a melhores resultados, ajudando os funcionários a reterem mais das informações aprendidas.

7. Experiência de treinamento personalizada
Nem todo funcionário aprende da mesma maneira. Embora o material seja o mesmo para todos, o e-learning permite que cada aluno controle o ritmo do curso. Os usuários também podem fazer o curso em um ambiente mais propício ao seu estilo de aprendizado. A educação a distância ajuda as empresas a criar uma experiência de treinamento mais eficiente e de melhor qualidade para os funcionários, com um custo mais acessível. Quando os funcionários ficam mais empolgados com o treinamento, o envolvimento deles é transferido para o restante de seu trabalho e, quando esse envolvimento é multiplicado por departamentos inteiros, o resultado final é afetado de forma positiva. O ROI de uma empresa pode ser a mais surpreendente - e mais evidente - vantagem do aprendizado online.
Mais informações

Descubra o que pessoas com mais de 50 esperam em um relacionamento

A maturidade valoriza o companheirismo nos relacionamentos

A maturidade tem as suas vantagens. As experiências acumuladas nos relacionamentos trazem certa sabedoria para aqueles que conseguiram encarar as vivências anteriores como um aprendizado. A fase de cuidar da família, dos filhos e da carreira foi consolidada. É o momento de repensar os valores e de criar novas expectativas para as décadas seguintes. É hora de buscar mais qualidade de vida e talvez um novo amor, na maioria das vezes, com critérios mais objetivos do que no início da idade adulta. Alguns fatores assumem uma importância até então menosprezada. Mas, o que muda? O que se torna mais valorizado em um relacionamento para uma pessoa que já cruzou a linha dos 50?
Tive a curiosidade de entender o que os usuários dessa faixa etária da minha plataforma de relacionamentos, Meu Patrocínio, esperam de um novo amor. Ouvi muito que, por se sentirem mais equilibrados e experientes, a denominada maturidade emocional leva, inevitavelmente, a um passo além do superficial. Tanto que a qualidade mais desejada para um envolvimento amoroso foi o companheirismo, citado por 70%. Com a idade, cresce a necessidade de ter alguém com quem compartilhar a vida e as conquistas alcançadas. Neste encontro, segundo os usuários, reside uma nova fonte de felicidade e o prazer com as emoções de um recomeço.
Além do desejo de exercer a cumplicidade com o novo parceiro, 38% dos entrevistados mencionam o bom humor como essencial. O peso das responsabilidades ficou para trás. A partir de agora, torna-se fundamental experimentar a vida com mais leveza, sem tantas preocupações com a garantia de um futuro financeiramente seguro. Ele já foi conquistado e é o momento de aproveitar o resultado dos esforços empreendidos até então. O compromisso é com o bem-estar e com a satisfação pessoal. Algo efêmero como a beleza do novo companheiro ainda é apontada um fator de atração para 35% dos entrevistados e a exigência de se dar bem com a família e amigos foi considerada importante por 6% das pessoas que buscam uma nova relação. Todos puderam mencionar mais de uma característica que valorizassem nos relacionamentos.
Quando questionados a respeito dos quesitos necessários para uma relação duradoura, a fidelidade aparece em primeiro lugar. Para 48%, as chances de sucesso são inexistentes sem ela. Ao mesmo tempo, ao lado do respeito pelo companheiro, 45% buscam encontrar sexo de qualidade, segundo eles, indispensável para a almejada qualidade de vida. E, novamente, a capacidade de se divertir com o novo parceiro é ressaltada por 32%. Pessoas amargas e desiludidas com a vida são rejeitadas logo no primeiro encontro, se tiverem a sorte de chegar até ele. Por fim, o dinheiro tem importância para 16%, por julgar que ele está diretamente relacionado a uma boa educação e nível social.
No decorrer da vida, é natural que alguns fatores adquiram uma importância diferente da que tinham anteriormente. Felizmente, a maioria das pessoas passa por transformações no seu processo de evolução, inclusive quanto às características que buscam no parceiro idealizado. A procura por um novo amor traz em si uma demonstração de proatividade, de esperança na renovação. E o que pode haver de mais corajoso na vida? Não temer recomeços e estar sempre aberto às oportunidades que ela oferece. Pronto para novos amores, mesmo que na maturidade.

Mais informações

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Governo Federal garante investimentos para continuidade do Minha Casa, Minha Vida

Articulação dos titulares da Casa Civil e do Ministério do Desenvolvimento Regional assegurou o montante de R$ 800 milhões para o Programa. Tema é prioridade da União. 

Os recursos para o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) estão assegurados pelo Governo Federal. A medida vai garantir a continuidade das obras e permitirá que a capacidade mensal dos repasses financeiros do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) ao Programa seja de R$ 550 milhões nos meses de abril e maio e de R$ 500 milhões em junho. O tema vem sendo tratado ao longo deste ano pela Casa Civil e pelo MDR. A decisão foi tomada nesta semana durante reunião da equipe econômica na Junta de Execução Orçamentária (JEO). O aporte será disponibilizado pelo Ministério da Economia.
A Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 prevê investimentos de R$ 4,1 bilhões para o Programa. No entanto, o Decreto nº 9.741, de 29 de março de 2019, publicado pelo Ministério da Economia, reduziu os limites, no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para empenho (em 27%) e para pagamentos (em 39%) do MDR.
Preocupado com a possibilidade de interrupção do Programa e os prejuízos que poderiam ser causados à população, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, tratou a situação com o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência República, Onyx Lorenzoni, que garantiu a suplementação de R$ 800 milhões para a continuidade do Minha Casa, Minha Vida. O Programa é uma das prioridades do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Pagamentos em 2019
Desde o início do ano, o MDR liberou R$ 933 milhões ao Minha Casa, Minha Vida.
Em janeiro e fevereiro houve um repasse menor para o Programa, justamente em razão do limite de pagamento do MDR. Nesses dois meses foram liberados R$ 200 milhões para o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), uma das modalidades do Faixa 1 do MCMV. Outros R$ 100 milhões foram destinados para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), que atende as Faixas 1,5 e 2 do Programa. Foram disponibilizados, também, R$ 33 milhões para o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR).
A partir de um trabalho do MDR e da Casa Civil junto ao Ministério da Economia, foi antecipado um fluxo financeiro relevante e, com isso, ampliada a capacidade de pagamento de março. A antecipação foi definida pela Portaria nº 105, de 1º de março de 2019, que aumentou o limite do MDR em R$ 450 milhões no último mês. Com o acréscimo, a liberação foi de R$ 399 milhões em março, sendo R$ 271 milhões para o FAR, R$ 65 milhões para o FGTS e R$ 63 milhões para o PNHR.
Em abril, até o momento, foram disponibilizados R$ 130,2 milhões para o FAR, R$ 40 milhões para o FGTS e R$ 30 milhões para o PNHR.

MCMV
Entre 2009 e 2018, o Programa contratou aproximadamente 5,5 milhões de unidades habitacionais das Faixas 1; 1,5; 2 e 3 em todo o País. Destas, mais de 4 milhões já foram entregues à população.



Mais informações

Páscoa é época importante para falar sobre diabetes


*por Dr. Ulisses dos Santos
 
A Páscoa é uma das datas mais celebradas pelos brasileiros e o motivo não é segredo. A troca de ovos de Páscoa, repletos de chocolates e cada dia mais recheados de guloseimas que vão desde doces até o chantili, é alegria garantida. A data, porém, é uma boa deixa para falar de um dos principais males que assombram a nação: a diabetes.
Segundo informações da International Diabetes Federation (IDF), o Brasil é o quarto país com mais diabéticos no mundo. Cerca de 7%, ou 12,5 milhões de cidadãos nacionais, sofrem de algum tipo da doença. Estamos atrás apenas da China, Índia e Estados Unidos, diz a federação. Já o Ministério da Saúde informa: o número de brasileiros com diabetes cresceu 61,8% nos últimos dez anos. São dados deveras desanimadores.
A diabetes é uma síndrome metabólica decorrente da falta de insulina ou da incapacidade dela de exercer suas tarefas de maneira adequada, o que causa um aumento da glicose no sangue. Isso acontece quando o pâncreas não é capaz de produzir a insulina em quantidade suficiente para o organismo.  A diabetes pode vir de diversas formas, sendo que o tipo 1, por exemplo, ocorre quando o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em razão de um defeito do sistema imunológico. Já o tipo 2, mais comum, é uma combinação de dois fatores: a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação. Este segundo é tratável com medicamentos orais ou injetáveis, diferentemente do primeiro. Há, ainda, a diabetes gestacional, que é o aumento da resistência à ação da insulina durante o período de gestação, o que leva aos aumentos nos níveis de glicose no sangue. Infelizmente, a condição pode, sim, persistir após o parto.
A diabetes pode causar diversas complicações, como a arteriosclerose, a retinopatia diabética e o infarto do miocárdio, então deve ser levada a sério. Hoje em dia, já sabemos que uma das causas da diabetes é justamente o ganho de peso, por isso, é necessário o cuidado com o chocolate. Há, porém, outros fatores que aumentam o risco de desenvolver a doença, entre eles o histórico familiar.
Ou seja, não tenha medo: a grande maioria da população pode comer seu ovo de Páscoa, sim. Porém, para os diabéticos, a recomendação é maneirar. O mais importante é conhecer seu histórico familiar e estar em dia com suas visitas ao médico. Além disso, uma vida saudável, repleta de refeições balanceadas e uma rotina ativa são essenciais. Então, acabe-se nos chocolates, sem culpa, mas com responsabilidade.

Mais informações

Ingressos para jogo das finais da Superliga de Vôlei começam a ser vendidos neste sábado (20)


Compra pode ser feita nas bilheterias da Arena Sabiazinho e do Praia Clube
Os ingressos para o segundo jogo das finais da Superliga Feminina de Vôlei, entre Dentil/Praia Clube e Itambé/Minas Tênis, começam a ser vendidos presencialmente neste sábado (20), das 9h às 18h, nas bilheterias da Arena Sabiazinho e do Praia Clube. Para sócios do Praia, o valor é R$ 35, enquanto para os não sócios a meia entrada custa R$ 40 e a inteira R$ 80. A organização e realização dos jogos são de responsabilidade da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).
Depois de treinar três dias na Arena Sabiazinho, local do segundo jogo das finais, dia 26 deste mês, às 21h, a equipe praiana viaja nesta quinta (18) de manhã para Belo Horizonte, onde encara o Minas no domingo (21), às 11h, com transmissão ao vivo no SporTV.
Finalistas da Superliga Feminina, Praia Clube e Minas se enfrentaram cinco vezes na temporada, com quatro vitórias do time de Belo Horizonte – sendo três em finais – e uma da equipe uberlandense. Apesar dessa diferença, a ponteira Fernanda Garay faz sua análise: “Se a gente fizer um retrospecto somente da Superliga, foi uma vitória para elas e uma vitória para nós. Então, está tudo igual agora.”

Finais da Superliga feminina de Vôlei
O quê: Venda de ingressos
Quando: A partir de sábado (20) – até quando se esgotar toda a carga disponibilizada pela CBV
Onde: Bilheterias da Arena Sabiazinho e Praia Clube
Forma de pagamento: À vista (dinheiro ou cartão)
Preços: Sócios do Praia – R$ 35 (preço único)
Não sócios – R$ 40 (meia) e R$ 80 (inteira)

Confira as datas da série melhor de três – finais

21/04 – Mineirinho – 11h - Minas Tênis x Dentil/Praia Clube
26/04 – Arena Sabiazinho – 21h30 - Dentil/Praia Clube x Minas Tênis
03/05 – Se necessário – Mineirinho – 21h30 - Minas Tênis x Dentil/Praia Clube

Mais informações

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Coluna Visite Udi


Uberlândia Shopping anuncia construção do Zona Sul Hotéis
Reinventar Uberlândia: esse foi o ponto inicial para que o Uberlândia Shopping buscasse ampliar seu mix, dessa vez no setor imobiliário. Será a primeira torre hoteleira na região Sul de Uberlândia, contando com 220 apartamentos com perfil mais corporativo, 14.500m² de área construída e, claro, integrado ao shopping. As obras começam no quarto trimestre e durará 36 meses, aproximadamente. Segundo o superintendente de Uberlândia Shopping, Fredson Dourado, a construção do hotel integrada ao shopping é de muita importância, pois trata-se de uma área de mercado potencial.

Comida di Buteco comemora 20 anos
Com o intuito de descobrir a melhor comida de boteco em Uberlândia, cerca de 15 bares participam de 12 de abril a 5 de maio de uma mais uma edição do “Comida Di Buteco”. O prêmio já soma vinte anos na cidade e muitas histórias já passaram pela sua trajetória. É importante lembrar que o Comida di Buteco não é um concurso apenas de Uberlândia, mas sim de 21 cidades em todo Brasil, que participam ativamente para encontrar o melhor boteco do Brasil.

Revista Cult lança projeto de ponto de venda em hotéis filiados ao Visite Uberlândia
Pensando em inovar, a revista Cult quer levar a informação turística até o viajante que visita Uberlândia. Com apoio do Visite Uberlândia o projeto fundamenta a construção de uma revista em formato diferente, como um guia para quem visita a cidade com locais de lazer, gastronomia e as informações necessárias para que o turista possa tirar o melhor da cidade que tem muito a oferecer. Além disso, a revista fará presença no quarto de cada hóspede, que poderá escolher abrir a revista ou não, ademais o hotel terá benefícios com o ponto de venda. Portanto o projeto ainda está em fase de amadurecimento e teste, mas a ideia pioneira tem muito a beneficiar a cidade.

Após isenção de visto para alguns países, Brasil recolhe dados
Após um mês depois da assinatura do decreto 9.731 que deixava isento o visto para alguns países (Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá) a fim de lazer e negócios, realização de atividades artísticas ou desportivas ou em situações excepcionais por interesse nacional. O Brasil já recebe resultados positivos com altas buscas de destinos brasileiros e na confirmação de reservas em nossos destinos. Até o momento o registro de crescimento foi de 53% nas reservas feitas por turistas dos Estados Unidos, em seguida Canadá 86%, Japão 150%.

Mais informações
Página inicial